15min. de leitura

10 coisas que aprendi com uma vida consciente

Ter uma vida consciente não é só felicidade, não! Mas é aprendizado, evolução e realização!


Vamos começar com uma reflexão: faça uma lista com as coisas que você mais gosta. Tente listar pelo menos 10 coisas que o deixam muito feliz! Agora, faça uma lista do que você faz no seu dia a dia, na sua rotina e na sua semana. Compare as duas e veja se você ama o seu estilo de vida.

Para essa reflexão temos apenas duas conclusões.

1. Amo meu estilo de vida! – Ótimo, você está no caminho certo. Porém, pergunte-se sempre: “Como pode melhorar?” Não deixe de aproveitar cada momento da sua vida e, claro, se possível compartilhe sua jornada com outras pessoas para que elas possam aprender com isso.


2. Preciso de alguns ajustes na minha vida! – Esta, infelizmente, é a resposta da maioria das pessoas, e tudo bem, nem sempre estamos bem e, às vezes, a nossa rotina nos deixa tão atarefados, que em meio a correria esquecemos de fazer o que realmente queremos e nos faz bem.

E é por isso que ter uma vida mais consciente vai ajudá-lo diariamente a voltar ao seu foco, a entender o que está passando e o mais importante – dará a você força e vontade para viver uma vida que ame!

Ter uma vida consciente nos traz diversos insights e nos faz refletir muito. Crenças, pensamentos, emoções, sentimentos, hábitos e nosso consumo –  tudo passa a ter um valor diferente em nossas vidas e passamos a enxergá-los de uma forma mais alinhada ao que buscamos para nós.


Um breve relato: Há 3 anos, eu me sentia muito perdida em minha vida. Não entendia as fases que estava passando, sentia que sempre faltava alguma coisa para eu finalmente me sentir realizada. Projetava minha felicidade em conquistas futuras, nunca no que eu possuía no momento. Isso me causou sérios problemas, como depressão e crises de ansiedade. Porém, hoje enxergo que isso foi preciso para que eu (re)pensasse a vida que eu queria para mim. Foi então que passei a viver de forma mais consciente! Criei um estilo de vida que eu realmente amo viver.

Os benefícios de uma vida consciente são incontáveis. Não há uma regra para todos e nem uma fórmula mágica, mas a partir do momento em que você passa a se notar, a se ouvir e entender o que se passa dentro de você (e como isso expande para as pessoas ao seu redor e para o Universo), as melhorias não param de aparecer.

Listei abaixo 10 coisas que aprendi nesses 3 anos que eu passei a utilizar a vida consciente como minha filosofia e estilo de vida:

1. Dar tempo ao tempo. Nada de desespero!

Eu sempre fui muito ansiosa (e preciso confessar que esse ainda é o meu grande desafio). Porém, passei a ter mais consciência das fases da vida que passava, respeitar mais o tempo das coisas, das pessoas e do mundo. Hoje, tenho um entendimento melhor sobre viver no presente, não antecipar o futuro e trazer do passado somente os ensinamentos – deixar lá mágoas, dores e coisas que não me são úteis. É uma evolução diária, e existem momentos bons e alguns bem desafiadores. Mas o legal de ser consciente em relação ao tempo é que você se permite surtar às vezes, mas pelo menos sabe o porquê de estar surtando e, claro, é bem mais fácil de voltar ao seu equilíbrio.

2. Não projetar a felicidade

Eu parei de projetar minha felicidade em coisas materiais e em eventos futuros! Sabe aquela famosa frase: “Quando eu tiver/for_____ eu serei_____.” Pois é, eu sempre projetei minha felicidade para algo que estava por vir, e muitas vezes esse momento não chegava. Não porque eu não tinha conquistado o que queria, mas sim porque eu sentia que sempre faltava alguma coisa. E realmente estava, viver mais o presente! Não estou dizendo que não podemos ter ambições ou fazer planos para o futuro, mas, sim, que esses planos sejam uma motivação para você batalhar pelo que deseja, sem se esquecer de viver o hoje. Tudo que você tem hoje foi algo que você desejou há algum tempo atrás. Não deixe de curtir este momento e comemorar essa conquista. Reconheça o que o faz feliz hoje.

3. O caminho é mais importante que o destino

Hoje, eu tenho muito mais claro para mim onde quero chegar e como eu quero ser e estar na minha vida. Porém, o caminho, a jornada que eu vou trilhar é muito mais importante do que apenas chegar nesse “destino”. Todos os aprendizados, evoluções, entendimento de quem sou, virão no caminho (nem sempre muito fácil) para que eu possa chegar aonde quiser. É clichê sim, mas faz todo sentido. Por todos os dias, nós temos inúmeros motivos para agradecer, muitos aprendizados e é preciso acolher e reconhecer tudo isso. São pequenas vitórias diárias que temos e que farão o nosso “destino” muito mais prazeroso.

4. Querer um “corpo” saudável | Pilar físico

Não adianta ter um corpo zero defeitos por fora, se por dentro ele não funcionar bem. Nosso corpo é composto por músculos, órgãos, ossos, pele, sistemas e nossos sentidos. Nosso corpo é uma “máquina” perfeita e é a partir dele que conseguimos sentir e experienciar a vida. Por isso, passei a ter mais consciência do que consumia – alimentos industrializados, gordurosos, açúcar, refrigerantes, bebidas alcoólicas e afins. Não deixei de consumir nada do que eu realmente gostava, mas busquei por mais equilíbrio nas minhas refeições, consegui abrir mão de coisas que me faziam muito mal e passei a me exercitar pelos motivos certos – ter mais qualidade de vida e cuidar do meu corpo e não apenas para atingir um padrão de beleza.

Além disso, passei a entender a relação entre a nossa mente, nossas emoções e aquilo que manifestamos em nosso corpo físico. Existem estudos científicos que comprovam a relação do que pensamos e sentimos e como isso pode se transformar em doenças. Então, entra o próximo aprendizado.

5. Vibrar mais positivamente

Como dito acima, nossos pensamentos, sentimentos e emoções causam um impacto interno – em nosso corpo físico, e também ditam como estará a nossa energia. Se estivermos perto de pessoas negativas, ficarmos assistindo somente tragédias, olhar somente para o lado negativo das coisas, iremos vibrar de forma pessimista; e vibrando de forma pessimista, criamos mais pensamentos, sentimentos e emoções negativas, o que pode causar doenças e tudo isso se tornar um ciclo de “coisas ruins”.

Por isso, hoje, eu me atento ao tipo de informação (de forma geral) que eu consumo durante o dia. Seja em uma conversa, nas redes sociais ou me atualizando das notícias, eu sempre paro para perceber que tipo de emoção isso está me causando e se isso está me fazendo bem ou me afetando. Sei que é impossível vivermos sem saber de nada ruim ou mesmo sem poder escutar algo pessimista de outras pessoas. Porém, a ideia não é ficar alienado, mas ter a consciência do que isso me causa e cuidar para que isso não afete o que estou sentindo e a vibração que estou emanando.

6. Minhas emoções: por que estou sentindo isso?

Entender as nossas emoções é um aprendizado diário! Nós já nascemos com as emoções básicas (raiva, medo, nojo, tristeza, alegria, surpresa), mas somente ao longo da vida, começamos a entender o que desperta cada uma delas e qual impacto elas têm sobre nós.

Para usar nossas emoções a nosso favor e não nos deixar abalar (tanto) é preciso acolher e entender o porquê sentimos aquilo, o que nos causou determinada situação, a que fatos ela está relacionada e o que fazer para reverter as emoções negativas ou para intensificar as positivas. Então, trazer para o consciente o porquê das nossas emoções nos ajuda a tirar ótimos aprendizados sobre nós mesmos e a entender nosso estado emocional. Todos temos dias ruins, e tudo bem! Mas com maior consciência do que sente e o que isso desperta em você, voltar para o seu equilíbrio se torna menos doloroso.

7. Respeitar o próximo

Com uma vida consciente a gente passa a se respeitar mais. Nós acolhemos o que sentimos, o que pensamos e nossa forma de agir e esse respeito reflete também nos nossos relacionamentos. No meu caso, passei a entender melhor as fases das pessoas que me rodeiam. Entender que assim como eu, elas têm as lutas delas. Nem sempre pode ser um bom dia e que também as opiniões foram feitas para serem ouvidas. É claro que todos temos que ter respeito pelo outro! Mas é legal quando você passa a aceitar e a entender melhor as diferenças dos outros. Estar consciente de que minha ação vai causar uma reação em outra pessoa me faz repensar nos tipos de atitude que eu quero ter, como quero me expressar e como quero que a outra pessoa se sinta com o que estou falando ou vibrando.

8. Mudança de hábitos

Nós criamos os nossos hábitos e muitas vezes eles não são bons para gente.  Vai entender, não é?! Se você já sabe das coisas que ama, já sabe o tipo de estilo de vida que você quer viver, é preciso mudar ou adaptar antigos hábitos. Assim eles se tornarão benéficos para você e para a rotina que você deseja ter. Na maioria das vezes nós já sabemos que queremos mudar, mas estamos tão acostumados com eles que não fazemos nada. Então é preciso sair da zona de conforto. Comece aos poucos rever seus hábitos, veja o que pode mudar e seja consistente e persistente nas suas escolhas. Ninguém pode fazer isso pela gente, e precisamos sempre começar de algum lugar. E apenas para reforçar, você vai se sentir muito mais feliz e realizado com seus resultados.

9. Qual o tamanho do impacto que eu causo no meio ambiente

Como dito anteriormente, todo o nosso consumo gera um impacto interno e externo! Não tem como falar de vida consciente e não falarmos também de consciência ambiental. O nosso consumo desenfreado tem causado sérios danos ao meio ambiente. E se não repensarmos nos nossos hábitos logo não terá mais solução para esse problema. Você já reparou na quantidade de lixo que você gera todo dia?

Um estudo Global Footprint Network, mostra que se não houver um consumo consciente, em 2050, precisaremos de mais um planeta para suprir nossas necessidades de consumo.

Com pequenos atos é possível fazer uma grande diferença. Reciclar e reutilizar seu lixo, não jogar no chão, economizar água, evitar o consumo de resíduos que demoram para se decompor – são pequenos exemplos simples de fazer no seu dia a dia. Só existe este planeta e cabe a nós cuidarmos dele.

10. Eu realmente preciso comprar isso?

Uma das coisas que aprendi com a filosofia de Vida Consciente foi repensar nos meus hábitos de consumo. Não possuo um estilo de vida minimalista, mas hoje procuro comprar somente coisas que eu realmente queira ou que sejam necessárias. Procuro saber sobre a empresa que está vendendo o produto e, como eu disse acima, qual o impacto essa compra irá causar – para mim e para o meio ambiente. Ter mais consciência na hora de comprar me ajudou a reduzir as compras por impulso, a gastar menos e também a apoiar empresas que têm a mesma preocupação com o meio ambiente que eu.

Ufa! Hoje foi dia de textão, e olha que só contei 10 coisas que aprendi com a vida consciente. Espero que o tenha ajudado a repensar seu estilo de vida e que o inspire a viver uma vida que você ame viver.

Lembre-se: vida consciente não é estar feliz todos os dias, mas sim estarmos conscientes do que queremos, de onde queremos estar, de como pretendemos chegar e saber que pelo caminho haverá desafios, mas que nós temos as ferramentas para superar todos eles e podemos chegar onde quisermos.

Não espere amanhã para começar!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.