ColunistasComportamento

10 passos para ter uma boa autoestima:

10 PASSOS CAPA

Hoje em dia muito se fala de autoestima. Mas o que é que ela significa mesmo?



Pois é, a autoestima trata-se de um conjunto de atitudes e crenças que moldam a avaliação (boa ou má) que temos acerca de nós mesmos.

Que valor nos damos a nós mesmos? Qual o respeito que sentimos por nós?

Estas duas questões são pertinentes para percebermos se temos ou não uma boa autoestima.


As pessoas com tendência a privilegiar as necessidades dos outros são, na verdade, as que têm uma autoestima mais baixa.

Digam-me: quantas vezes vos apeteceu dizer «não», mas não tiveram coragem com medo de que os outros ficassem chateados ou vos rejeitassem?

10-passos-01

Sim, porque a base da autoestima é a rejeição. É ela que está por detrás de rotulagens, impressões negativas, comparações, humilhações e críticas negativas. Esta panóplia de espinhos cria, sobretudo se foram frequentes na infância, padrões de pensamento e de comportamento que irão influenciar a consideração que temos por nós próprios.


Quantas vezes negamos ser quem somos só para agradarmos os outros ou nos integrarmos num determinado grupo ou contexto?

Não será que assim estamos a rejeitar-nos a nós mesmos, a negarmos quem somos de verdade?

Sabe-se que a estima – que temos por nós e pelos outros – é uma das necessidades básicas a par das necessidades fisiológicas e afetivas. Devemos, portanto, estar atentos aos nossos comportamentos e saber identificá-los: em que medida somos inflexíveis com as regras e os deveres? Somos perfecionistas ao ponto de acharmos que não fazemos nada bem? Somos vulneráveis à crítica? Conseguimos afirmar-nos nas diferentes situações?

A meu ver, o medo é o motor da baixa autoestima. A nossa mente prega-nos partidas muitas vezes projetadas por nós mesmos e que não correspondem à realidade. Como podemos libertar-nos do medo e conseguirmos identificar-nos com o amor, que é a nossa essência?


Como primeiro passo, podemos começar por não julgar os outros.

Quando aprendemos a não julgar os outros e a aceitá-los como são, sem nenhum desejo de os mudar, podemos aprender simultaneamente a aceitar-nos a nós mesmos. Assim que deixamos de rejeitar e de rotular os outros, passamos a viver sem medo do que os outros possam pensar de nós.

Eis alguns passos para começarmos a desenvolver uma autoestima equilibrada:

10-passos-capa


1. Diminuir o número de pensamentos negativos quando estamos mais frágeis e darmo-nos conta das causas; reformular positivamente;

2. Comunicar aos outros as nossas qualidades positivas;

3. Desenvolver uma visão mais realista do mundo em que vivemos:

4. Reconhecer que somos pessoas únicas;


5. Aceitar que não somos responsáveis pelas reações emocionais dos outros;

6. Aceitar que não somos os nossos erros e desidentificarmo-nos;

7. Aprender a deixar de nos compararmos aos outros;

8. Reduzir a indecisão, que é fruto de uma preocupação acerca do que os outros pensarão das nossas decisões;


9. Limitar o número de compromissos que assumimos;

10. Utilizar a imaginação positiva: recordar e recriar as coisas positivas e os sucessos que conseguimos alcançar.

Em uma geração que foge de relacionamentos, eu quero te namorar…

Artigo Anterior

A máscara sentimental chamada orgulho…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.