11min. de leitura

10 perguntas poderosas para ajudar você a encontrar seu propósito:

Quem sou eu? O que estou fazendo aqui? Por que estou aqui? Por que de tudo isso? Para onde a gente vai, de onde a gente veio? Por que nasci?



O grande mistério da vida. Se você ainda não se fez alguma dessas perguntas, pode ter certeza de que um dia ainda vai fazer. São questões existenciais, e todos, de uma forma ou de outra, vão se questionar, pelo menos em algum momento da vida. Essas foram perguntas que eu me fiz desde muito cedo.

Existem muitas vertentes a respeito de missão e propósito. Alguns autores/pensadores/filósofos chamam de missão, outros de propósito. Há os que dizem que é a mesma coisa, outros que são coisas diferentes. Para uns, temos apenas uma missão, para outros umas 3 ou 4…

Para ser bem sincera, já estudei muito a respeito, pois, desde que eu me entendo por gente, eu me lembro de sentir uma forte atração por assuntos relacionados à espiritualidade e desenvolvimento pessoal. E com toda a minha busca, cheguei à minha própria definição, que é a forma como eu vejo, como eu sinto. E, no fundo, todas essas explicações diferentes querem dizer exatamente a mesma coisa, apenas com nomes e/ou descrições distintas.


Eu gosto de dizer que temos uma missão da alma e um propósito de vida. Ou seja, nossa alma tem um objetivo claro aqui, que será alcançado pela realização do nosso propósito.

Então, o propósito é o caminho para cumprirmos nossa missão.

A missão de todo ser humano aqui na Terra é a mesma: evoluir. E o que isso significa? Voltar ao caminho do amor. Mas aí você deve estar se perguntando: que raios é o caminho do amor? Caminho do amor é o caminho da abundância, da fluidez. Da confiança, da fé. Evoluir significa curar nossas emoções inferiores, curar nossas relações, gerar bons exemplos, num compartilhamento e contribuição mútuos. Evoluir é o processo de expansão da consciência, que ocorre através do amor. É despertar para o amor incondicional.


E o propósito da vida? Esse já é único, pessoal e intransferível: cada um tem o seu propósito específico. 


O Sri Prem Baba disse numa palestra que o propósito é o programa da nossa alma. Gosto muito dessa definição. Propósito é o programa da nossa alma, ou seja, o que viemos especificamente realizar nessa vida, que vai contribuir para a nossa evolução e dos demais seres.

De forma bem simplificada, podemos então dizer que o nosso propósito é ser quem realmente somos – só assim poderemos cumprir nossa missão de evoluir.

Propósito é quem você é. Propósito é ter significado, é a sua motivação. É a sua contribuição, o porquê e o sentido da sua vida. É através do seu propósito que você vai contribuir com a espécie humana.

Então, propósito é ser quem você nasceu para ser, é ser você e ser feliz na sua jornada.

Um dos grandes mitos sobre propósito é que ele é sempre algo grandioso e para algumas poucas pessoas. Não, não precisa ser grandioso. Pelo menos não grandioso aos nossos olhos. Ser grandioso é do ego, não do coração. Para o Universo, todos têm igual importância. E como apenas algumas pessoas poderiam ter propósito? Somos 7 bilhões de seres humanos hoje na Terra. Você acha, realmente, que apenas alguns deles tem algo de especial? Claro que não! Somos partes de um todo e cada um tem seu papel fundamental no mundo, independente de qual seja. É importante lembrar que estamos todos no mesmo barco: alguns mais despertos que outros, mas todos no mesmo nível de evolução. Portanto, ninguém é mais especial do que ninguém.

E algumas pessoas se perdem do seu propósito porque, ao se depararem com ele, pensam: “Ah, não é possível que seja isso!”. Ou simplesmente não o enxergam. Apenas por acharem que aquilo é simples demais, singelo, comum, sem glamour, sem graça. Mais uma vez, essa é só outra armadilha do ego.

Diversos são os sintomas, quando você se desconecta de sua essência e se desalinha de seu propósito, alguns mais comuns:

  • acordar sem energia, estar sempre cansado;
  • sensação de vazio que nada preenche;
  • vida profissional bloqueada, estagnada;
  • insatisfação generalizada;
  • sentir que sua vida não tem sentido;
  • ansiedade;
  • depressão;
  • angústia;
  • baixa imunidade.

E quando a gente não entende esses sinais de desalinhamento, a vida começa a mandar avisos mais incisivos, podendo ocorrer perdas, dívidas, problemas repentinos, assaltos, acidentes.


Agora, então, é o momento de você parar e avaliar. Qual seu nível de satisfação com a sua vida? Você tem alguns dos sintomas acima? Tome alguns minutinhos e avalie.

Você pode estar se perguntando: e quando é que a gente se desconecta da nossa essência? Quando a gente escolhe seguir o caminho do medo, ao invés do caminho do amor.

Quando nascemos, somos nossa essência, conectados com a fonte. Não há distinção entre nós e o mundo exterior, entendemo-nos realmente como parte do todo, tudo sou eu e eu sou tudo. Não existe a individualidade, não existe a divisão. Ainda, nascemos livres, curiosos, espontâneos, inteiros, abundantes.

Conforme crescemos, vamos perdendo a espontaneidade, porque alguns dos nossos comportamentos começam a ser podados pelos adultos. Com isso, entendemos que ser quem somos não é o suficiente. Ou seja, somos condicionados a uma necessidade de sermos aceitos, para receber o que precisamos para viver, inclusive amor. Para sermos aceitos e nos sentirmos pertencentes àquele ambiente, àquelas pessoas, vamos nos cobrindo daquilo que os outros julgam bom e necessário, enquanto escondemos nossa essência, até nos perdermos dela. Vestimos camadas e mais camadas de condicionamentos que nos impedem de ser quem somos verdadeiramente. O caminho do medo.

Continuamos crescendo e agindo pelas expectativas que os outros depositam em nós, pela necessidade de agradar.

E aí quando a criança fala que quer ser bombeiro, professor, a família diz que não dá para viver disso. Quer ser ator, escritor, artista… isso não dá dinheiro. Tem que ser médico, advogado ou engenheiro. Fazer faculdade e construir carreira sólida. E aí você cresce ouvindo coisas como essas, absorve essas crenças para você e, quando chega a hora de escolher sua profissão, se vai ou não fazer uma faculdade, escolhe novamente o caminho do medo.

Sua paixão é fazer brigadeiro, é o que seu coração pede, mas você vai fazer Direito, porque é mais seguro, porque isso sim dá dinheiro e estabilidade. Esse é só um exemplo.

Hoje vivemos uma pandemia de insatisfação. Pessoas infelizes, vivendo no piloto automático, no efeito manada. Vivendo uma vida sem propósito. Porque condicionaram suas escolhas às expectativas da família, da sociedade, perderam-se de sua essência.

E como remediar isso? Não há outra forma, além de um mergulho para dentro de si mesmo. Não existe pílula mágica, é necessário um trabalho de autoconhecimento que pode ser, inclusive, doloroso. O caminho pode ser longo, mas tudo só começa quando você decide dar o primeiro passo.


Então, esse é um novo momento de avaliação. Separe alguns minutinhos para responder as perguntas abaixo.

Coloque-se num lugar calmo, tranquilize sua mente. Permita-se lembrar de momentos felizes da sua infância, da sua vida. Tente não se interrompido.

Vamos lá! Quando você era criança:

  • O que você queria ser quando crescesse?
  • Quais as brincadeiras que você mais gostava?
  • Quem você admirava, quem eram seus heróis?
  • Quais eram os seus sonhos?

Hoje:

  • Quais suas paixões? Do que você gosta de fazer que nem percebe o tempo passar?
  • Dons e talentos: o que você faz muito bem e com facilidade?
  • No que as pessoas costumam pedir sua ajuda?
  • O que você faria se não tivesse que se preocupar com dinheiro, com sua subsistência?
  • O que é felicidade para você?
  • Qual o seu sonho?

Nosso propósito não é algo distante, inalcançável. Ele está dentro de nós, pronto, à espera para se revelar quando você tiver a coragem de ser quem é.

Nosso propósito nos guia para um caminho de realização plena e satisfação, de escolhas conscientes sempre baseadas no caminho do amor.

Não persiga seu propósito. Inicie sua jornada em busca da sua essência, comece a cuidar melhor de si, do seu corpo, sua mente, seu coração. Tenha uma alimentação mais saudável, faça uma atividade física, nutra sua mente com coisas boas, diminua o consumo de notícias ruins. Essas são ações simples, mas que geram ótimos resultados na busca por uma vida com mais propósito e equilíbrio.

Dê-se uma chance, ouça seu coração. Ele é a sua verdadeira sabedoria e seu melhor guia.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: lipik / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.