15 poderosas razões para perdoar e 4 passos para superar crenças limitantes:

7min. de leitura

Poderosas razões para perdoar e 4 passos que ensinam a superar as 3 crenças que nos  impedem de praticar o perdão plenamente!



Você sabia que o fato de perdoar ou não perdoar uma pessoa, ou até você mesmo, influencia tudo o que você está passando hoje em sua vida?

Você sabia que o perdão pode ajudar você a prevenir e curar doenças que são produzidas pelo nosso emocional em desequilíbrio, como enxaqueca, fibromialgia, gastrite, ansiedade, pânico, depressão, entre muitas outras?

Você acha que perdoar é difícil, ou que não sabe perdoar, ou ainda, que não quer perdoar pois não acha justo ficar tudo numa boa depois do que aconteceu que magoou você?

O perdão influencia na sua saúde, nos seus relacionamentos, na sua produtividade e pode curar dores emocionais, cicatrizes provocadas pela raiva, ressentimento, rancor, ódio, culpa e mágoas que ficam quando nos sentimos traídos, abandonados, lesados, machucados, invadidos, ofendidos. E tudo isso já foi comprovado cientificamente, então, vamos arregaçar as mangas e, além de refletir, vamos nos empenhar para colocar em prática e ter uma vida muito mais saudável!


Ao longo de mais de 30 anos, lidando com o sofrimento humano, eu identifiquei que existem três grandes crenças erradas sobre perdão:

Uma delas é quando pensamos: Eu não preciso perdoar pois não tenho raiva, inveja ou ressentimento.

Como todas as emoções fazem parte do nosso campo emocional, pode ter certeza que todos nós temos raiva, ressentimento, rancor, inveja, ciúme, sendo que, o que difere é a intensidade e o tempo que a gente carrega essas emoções negativas.

Outra, é acreditar que perdoar é sinal de fraqueza, é sinal de passividade. Que perdoar significa deixar que quem fez o mal “saia por cima”, seja vencedor.



Muito pelo contrário, o perdão é sinal de inteligência emocional.

Ao perdoar você desiste de um sentimento que é prejudicial para você. E você não precisa conviver ou amar a outra pessoa, apenas precisa livrar-se do fardo gerado pela raiva, pelo ressentimento, pela mágoa, que te adoece, que te faz desconfiar tanto das pessoas, que rebaixa seu foco e produtividade.

E por fim, é errado pensar que perdoar é esquecer. A gente não tem amnésia, por isso não pode esquecer. Perdoar é conseguir lembrar do fato sem as emoções negativas corroerem nosso estômago, ou fazerem doer nossa cabeça, ou ainda fabricar uma ansiedade absurda.


No que perdoar transforma sua vida?

Existem vários estudos que comprovam que o perdão:

  1. Melhora o humor;
  2. Aumenta a imunidade;
  3. Cria e amplia o foco e a atenção;
  4. Melhora as relações de forma geral;
  5. Aumenta a autoestima e a autoconfiança;
  6. Abre nossa mente favorecendo a criatividade e tomada de decisão;
  7. Amplia a capacidade de aprendizagem;
  8. Reduz as doenças que vem do stress como ansiedade, depressão, gastrite, fibromialgia, entre outras;
  9. Aumenta o rendimento escolar;
  10. Constrói e amplia a resiliência, a capacidade de lidar com a frustração;
  11. Desenvolve o senso de propósito de vida;
  12. Melhora muito a qualidade do sono;
  13. Aumenta significativamente nosso nível de satisfação com a vida;
  14. Baixa pressão arterial;
  15. Reduz a compulsão alimentar.

E a pergunta que mais ouço!

Como saber se realmente perdoei?

Vamos a um exercício rápido e super eficaz. Sempre que quiser ter certeza se realmente perdoou, feche os olhos, escolha a situação que você quer tirar a dúvida se perdoou ou não e repasse tudo como se fosse um filme. Repasse todo o acontecimento que te magoou, que te feriu. Lembre as pessoas envolvidas, o local, como se realmente você estivesse revivendo o momento. Perceba seus sentimentos, seu corpo, tudo o que acontece com você. Se você tiver algum sentimento ainda ligado ao não perdão, como ressentimento ou mágoa, você sentirá algum desconforto no seu corpo, pode ser que apareça como tensão, irritabilidade, angústia…

 


Se você já tentou perdoar e não conseguiu, vou te ajudar com este passo-a-passo:

  • Primeiro passo: você tem que reconhecer a raiva, o ódio, a inveja, seja qual for das emoções/dos sentimentos que você teve na situação. E aqui “não tape o sol com a peneira”, seja sincero, afinal só vai enganar a si mesmo.
  • Segundo passo: Depois de reconhecer, tem que aceitar que tem esses sentimentos que você pode achar que não são nobres. Não se julgue, apenas aceite. Seja flexível consigo.
  • Terceiro Passo: Depois de reconhecer e aceitar, aí você precisa perdoar primeiro a si mesmo. Talvez você se culpe por alguma parte do que ocorreu, ou por toda. Só depois de se perdoar você pode perdoar ao outro. E uma coisa que ajuda muito a se perdoar é refazer a situação como você acredita que seria melhor, como você poderia ou deveria ter feito, não para se culpar ou viver no passado. Ao contrário, para se perdoar e saber como proceder da próxima vez.
  • Quarto Passo: Se você venceu os 3 outros passos, então agora você pode perdoar o outro.

Na vídeoaula tem mais dicas e reflexões:

Espero que reflita e mude.

Quando a gente muda para melhor, nossa vida dá um salto que nos motiva para mudar sempre…

Grande abraço!
Isabel

____________

Direitos autorais da imagem de capa: racorn / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.