3 ações instantâneas para você sair da posição de vítima e assumir uma postura de respeito:

5min. de leitura

Quando passamos por uma situação difícil, temos o costume de aumentar nossa dor e sofrimento, tornando-nos excessivamente sensíveis, reagindo com exagero a fatos, às vezes, insignificantes e levando as coisas para um lado pessoal.



O sofrimento depende de como reagimos a determinada situação e isso implica em nossa paz de espírito, pois apenas nós somos responsáveis por ela. 

Algumas pessoas acentuam tanto suas dores, que acabam por competir com a dor alheia, forçando a tornar a sua mais pesada e cruel para ser tratado com caridade.

Quantas vezes deixamos de curtir um passeio, um jantar, um encontro, simplesmente porque algo nos incomodou profundamente?

É nossa paz de espírito, afetada por um sentimento egoísta, de querer nos tornar vítimas.

A infelicidade nos chega porque acreditamos que o mundo gira ao nosso redor e todos devem nos amparar. Temos a triste certeza de que, somente nós sofremos insuportavelmente. Por isso a comparação com a dor alheia nos conscientiza de que somos mais fortes. A compaixão com o sofrimento alheio nos torna humildes.
Reconhecer e ser grato pela vida que temos nos traz felicidade.


Quantas vezes você parou para ouvir a dor de alguém? Faça esta experiência e depois compare com a sua vida. Assim como a grama do vizinho parece ser mais verde a dor dele também vai lhe parecer mais sombria. É este o momento de reconhecer que tudo tem uma solução, que é apenas a maneira de encararmos o problema que faz com que ele seja bom ou ruim. E que tal olhá-lo como um desafio?

Perca o costume de achar que a vida é injusta e que seus problemas são excessivos. Todos têm sua carga, aceite a sua e siga adiante.

Quanto antes você encarar seus problemas de frente, antes vai desfazer sua inquietação mental e sofrimento emocional. Por isso as pessoas espiritualizadas são mais leves, pois cultivam a fé e a esperança, dois ingredientes poderosos para incentivar a agir frente às dificuldades.

Depois desse conhecimento adquirido aqui, com certeza você está preparado para assumir um papel social que o coloca não mais como vítima e sim como o autor de sua própria história.


E agindo, usando essas 3 ferramentas você estará dando um passo em sua liberdade espiritual:

Aceitação

Aceitar que todos enfrentamos desafios diários e constantes, faz com que nosso cérebro foque nas soluções. A personalização da dor não deixa possibilidades para lutar, é preciso aceitar plenamente a si mesmo, com suas limitações, fraquezas e julgamentos. A aceitação dos problemas, como um fato natural da existência humana, nos permite estar à frente daqueles que agem com ignorância, teimando com a vida e obrigando os outros a sentirem piedade de sua condição sem se dar a oportunidade de tentar.


Resgate

Nossa natureza básica é essencial é a serenidade. Não somos essencialmente agressivos, então por que reagimos com tensão para resolver os conflitos diários e constantes que a vida oferece? Conflitos internos e externos sempre existiram e sempre existirão, mas a maneira que lidamos com eles é que vão definir se os resultados serão satisfatórios ou não. O uso inadequado de nossa inteligência gera desequilíbrio e para resgatá-lo é importante resgatar totalmente a serenidade.


Aprendizado

O aprendizado desenvolve a consciência da necessidade de mudança, o que aumenta nossa sensação de compromisso com a evolução e então surge a determinação, aquela que vai determinar a ação.

Nenhuma conquista importante, vista no mundo, foi realizada dentro da zona de conforto de seus competidores.

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: william87 / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.