ColunistasComportamentoReflexão

3 estratégias que podem tornar seus objetivos reais

Você sabia que, quando se trata de resoluções de ano novo, nossa taxa de fracasso chega à impressionantes 88%?



Sim, o ciclo é cruel: projetamos nossos objetivos, reunimos disposição, falhamos, repetimos o processo.

Assumimos compromissos conosco, já levando em consideração que iremos fracassar. É um hábito desmoralizante – visto como algo normal (normose)! Agora, imagine que fosse o contrário: e se conseguíssemos cumprir nossas resoluções? E se ao invés da expectativa de fracasso, esperássemos o êxito?

Acreditem, isso não é só possível, como também é SIMPLES!


A solução para tornar nossas resoluções reais, é aprendermos a utilizar estrategicamente as minúcias do nosso cérebro.

 03-ESTRATEGIAS-FOTO-01.jpg

Primeiro: buscamos por recompensas rápidas. Logo, nossas chances de ter sucesso são maiores se tivermos mini-objetivos. Com objetivos minúsculos, a conquista torna-se certa, com isso aumentamos nossa confiança e geramos uma recompensa imediata.

Segundo: precisamos ter um caminho claro e mensurável. Resoluções abstratas geram um fenômeno chamado paralisia decisória. Por exemplo, ao invés de querer ‘ser mais saudável’, seria mais inteligente, ‘malhar durante 20 minutos todos os dias’. Isso é um caminho claro para seu cérebro.


Terceiro: Quando estiver com preguiça, uma boa dica é destrinchar a tarefa em partes.

03 ESTRATEGIAS -  FOTO 02

Se você precisa, por exemplo, ir à academia. Coloque como meta ‘vestir a roupa de treino’. Se você precisa escrever um relatório de 10 páginas, se proponha escrever apenas uma frase. Lembre-se: Movimento gera movimento, enquanto estagnação gera estagnação. É melhor fazer pouco com consistência, do que muito esporadicamente.

Todo sucesso é construído sequencialmente. Dias após dia. De segunda a segunda.


Sacou?

Obrigado por quebrar meu coração

Artigo Anterior

3 técnicas incrivelmente simples p/ se construir hábitos poderosos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.