5min. de leitura

3 lembretes para lidar com a culpa

Quem nunca brigou com a própria culpa, que nos ensine. Ela é cruel, joga o erro na nossa cara sempre que pode. E isso dói pois, sabemos que erramos, nos arrependemos. A briga interna que enfrentamos é com a consciência.

Vale lembrar de alguns pontos para lidar com a culpa, já que tomamos o caminho errado. Importante é nos arrepender, tentar ajeitar a situação. Avaliar o aprendizado de tudo isso.



A maturidade vem assim mesmo: errando, aprendendo, quebrando a cara, como dizem por aí, tirando experiência de cada caminho errado. A culpa só serve para nos apontar o dedo. Precisamos aprender a lidar com ela.

Separei aqui três lembretes que auxiliam nesse processo:

1. Lembrar que você errou e aprendeu com isso

Tentar fugir disso é inevitável, melhor é conviver com o erro. Aceite que errou e siga em frente. Procure aprender com tudo o que sentiu até chegar ao erro e ache um caminho para não fazer de novo.


2. Pensar que situações o levaram a isso e você escolheu assim

Não se erra do dia para noite. Também não se pode terceirizar a culpa: “fiz porque fulano/fulana me fez fazer”. Não, você fez porque quis, porque não viu saída diante das situações. Escolheu isso, fez e está feito. Mas situações o levaram a isso.



3. Driblar os pensamentos de culpa com outros

Pensamentos como: “puxa vida, eu fiz isso”, “como eu puder ser tão horrível a ponto de fazer isso”, “eu deveria sumir mesmo”; virão à sua mente.

Mas você pode combatê-los com: “errei mesmo, quis errar, não estava bem”, “não vou errar de novo, já aprendi com isso”, “serviu para o meu crescimento”.

A culpa é fria, acusadora e maltrata mesmo. Erros não são justificados, de fato. Mas podemos aprender com eles. Crescer com cada caminho errado. Podemos nos tornar maiores, a cada experiência.

E a culpa não ajuda nesse aprendizado. Ela nos puxa para baixo e nos faz sentir piores do que já estamos. Errar é algo que faz parte do ciclo da vida. A forma como enfrentamos o erro é que vai medir o nosso nível de crescimento.


Há coisas que fazemos, que deve ficar somente conosco. Não adianta também ter crise de “Madalena arrependida” e sair contando aos quatro ventos. Até porque certos erros já cumprem o papel que deviam, acompanhados da culpa.

Não há motivos para perdermos algo além da paz, após tomar caminhos errados. O ideal mesmo é não errarmos, é buscarmos ajuda quando os pensamentos estão nos levando para o caminho do erro.

Mas depois de termos feito o que não devíamos, a jornada deve seguir, com aprendizado e crescimento pessoal. Precisamos saber lidar com a culpa. Nossos pensamentos podem ser alterados ou fazer mais ninhos em nossa cabeça. Tudo depende de como levamos a situação.

É preciso coragem, maturidade e autocontrole para não nos martirizar com a culpa ou nos vitimizar. Assuma a si mesmo: “errei mesmo e me envergonho disso”. Esse é o primeiro passo para aprender com o erro.

Muitas pessoas, com o peso da culpa, acabam entrando em depressão. É indispensável ter uma mente saudável e saber seguir a sua jornada, apesar dela. Esses três lembretes vão ajudá-lo a conviver com ela.

E o tempo fará com ela diminua, com que novas lembranças habitem a sua mente. A culpa só o levará ao chão se você permitir.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: yuriyzhuravov / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.