4min. de leitura

4 ensinamentos budistas para inspirá-lo (a) a ser uma pessoa melhor!

Ensinamentos budistas que farão de você uma pessoa melhor:

 1. Preocupações são inúteis

Preocupações não agregam nenhum valor positivo a nossas mentes, são apenas pensamentos criados, que nos impedem de viver o agora e manter um pensamento positivo. O mestre budista Thich Nhat Hanh tem grandes palavras sobre preocupação.



“A preocupação não conquista nada. Mesmo que você se preocupe um pouco mais a cada dia, isso não mudará a situação do mundo. Na verdade, sua ansiedade só piora as coisas. Mesmo que as coisas não sejam como gostaríamos, ainda podemos estar satisfeitos, sabendo que estamos tentando o nosso melhor e continuaremos a fazê-lo. Se não soubermos como respirar, sorrir e viver todos os momentos de nossas vidas profundamente, nunca poderemos ajudar ninguém. Estou feliz no momento presente. Não pergunto mais nada. Não espero nenhuma felicidade adicional ou condições que trarão mais felicidades.” – Thich Nhat Hanh


2. Enxergar a realidade pelo que ela realmente significa é essencial para ser feliz

Nós temos a tendência de nos preocupar em situações negativas ou de evitar os pontos fracos da vida. Mas só quando enfrentamos as dificuldades podemos esperar por melhoras ao nosso redor. Algumas palavras de mestre budista Pema Chödrön:

“Temos duas alternativas: questionar nossos motivos – ou não. Ou aceitamos nossas versões fixas da realidade – ou começamos a desafiá-las. Na opinião de Buda, treinar em permanecer aberto e curioso – para treinar na dissolução de nossas suposições e crenças – é o melhor uso de nossas vidas humanas.”



3. Aceitar a mudança ativamente

Tudo na vida está em constante mudança, e tentar impedir que as mudanças ocorram é ir contra o próprio universo. Mas quando olhamos a mudança com olhos positivos e não tentamos fugir, abrimos espaço para criar a vida que queremos para nós mesmos.

“O budismo sustenta que tudo está em constante fluxo. Assim, a questão é se vamos aceitar a mudança passivamente ou se devemos assumir a liderança e criar mudanças positivas por nossa própria iniciativa. Enquanto o conservadorismo e a autoproteção podem ser comparados ao inverno, à noite e à morte, o espírito de pioneirismo e tentativa de realização de ideais evoca imagens de primavera, manhã e nascimento. ” – Daisaku Ikeda


4. A raiz do sofrimento é perseguir sentimentos temporários

Muitos procuram a felicidade em coisas temporárias e se esquecem de que a felicidade verdadeira só é possível através da paz interior.


Yuval Noah Harari descreve perfeitamente:

“De acordo com o budismo, a raiz do sofrimento não é o sentimento de dor nem de tristeza, nem mesmo de falta de sentido. Em vez disso, a verdadeira raiz do sofrimento é essa busca eterna e inútil de sentimentos efêmeros, que nos deixa em constante estado de tensão, inquietação e insatisfação. Devido a esta busca, a mente nunca está satisfeita. Mesmo quando experimenta prazer, não está contente, porque teme que esse sentimento possa desaparecer em breve e anseia que permaneça e se intensifique. As pessoas são libertadas de sofrer não quando experimentam esse ou aquele prazer fugaz, mas sim quando entendem a natureza impermanente de todos os seus sentimentos e param de aniquilá-los. “- Yuval Noah Harari

__________

Direitos autorais da imagem de capa: quickshooting / 123RF Banco de Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.