Comportamento

5 comportamentos escondidos de um “bullynador”:

5 comportamentos escondidos3

Os bullynadores, mais conhecidos como “valentões” estão em toda parte: na escola, no trabalho, na fila do supermercado. Mas às vezes, um valentão pode estar onde você menos espera: dentro de si mesmo.



Confira esses 5 comportamentos de intimidação e as melhores maneiras de combatê-los!

1.Controle, Controle, Controle

A necessidade de controlar os outros resulta de uma insegurança básica de que não somos suficientemente bons. Como os valentões não podem elevar sua própria autoestima, recorrem aos outros para fazê-lo por eles. Essa falta de autoestima cria uma sensação de caos interno. Em consequência, tentam controlar o que podem, seja uma situação ou uma outra pessoa. Muitas vezes eles vão quebrar a confiança de outra pessoa, se for a única maneira de aumentar a sua própria. Enquanto eles sentem que têm o poder, não há ameaça.


5-comportamentos-escondidos

Se você sente que precisa controlar os outros em sua vida, é hora de autoexaminar. Quais pessoas em sua vida fazem você questionar sua autoestima? E por quê? Depois de determinar a resposta, é melhor enfrentar essas pessoas. Quando você define limites com os outros, cria uma barreira saudável que protege sua autoestima.


2.Vítima dos impulsos


Os valentões não conseguem controlar suas emoções. Quando uma emoção como a raiva ou o medo aparece, eles não se importam ou pensam sobre as consequências de suas palavras ou ações, o que resulta em atacar e ferir aqueles ao seu redor.

Uma maneira de combater isso é estar em sintonia com seus medos pessoais e não apenas trabalhar neles, mas ser capaz de reconhecer quando são acionados. Diga a si mesmo que, enquanto você tem o direito de estar com raiva, também tem uma escolha deixar, ou não, a raiva controlar você.


3.Ausência de empatia


5-comportamentos-escondidos2

Acredite ou não, a falta de empatia resulta de sentir a dor ou angústia dos outros tantas vezes, o que leva a um “burnout” emocional. Como esta dor é desconfortável, algumas pessoas a colocam para fora, criando uma distância entre a própria pessoa e os demais. Elas já não veem os outros como indivíduos, os rotulam ou estereotipam, o que facilita o sofrimento.

A melhor maneira de ganhar de volta parte dessa empatia é reconhecer que cada pessoa é um indivíduo com seus próprios problemas de vida. Abra-se para a outra pessoa. Tente encontrar as semelhanças que existem entre vocês. Permita-se sentir sua dor. Isso trará um sentimento de compaixão, que então cria sentimentos de paz e bem estar.



4.Responsabilidade zero

Os valentões são sempre a vítima. Eles nunca assumem a responsabilidade por suas palavras ou ações, e sempre têm alguém para culpar. Se eles atacam e machucam alguém, é culpa da outra pessoa. Ironicamente, eles também se veem como os heróis.

A melhor maneira de combater essa linha de pensamento é mostrar responsabilidade por suas ações. Admita que poderia ter agido de maneira melhor. Sim, a outra pessoa pode ter feito algo para machucá-lo, mas assuma seus próprios erros.



5.Intolerância

5-comportamentos-escondidos4

Os valentões tendem a ver os outros não como indivíduos, mas como facções que se enquadram em uma das duas categorias: “como eu” e “não como eu”. O grupo “não como eu” é perseguido e demonizado. Por quê? Por causa de preconceitos aprendidos e diferenças estereotipadas. Esta forma de pensamento prejudicial pode se espalhar para todas as áreas da vida, da raça à religião à política. Nas mídias sociais, por exemplo, não é raro ver vários grupos lutando uns com os outros em relação às diferenças percebidas.

Como você pode superar isso? Dê um passo para trás e reconheça que as outras pessoas têm permissão para ter um ponto de vista diferente. Em vez de atacar alguém com crenças diferentes, tente entender seus padrões de pensamento. Você pode ser agradavelmente surpreendido.


___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: David Wolfe

4 tipos de pessoas negativas que você precisa evitar:

Artigo Anterior

7 simples maneiras de agradecer diariamente!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.