5min. de leitura

5 lições de vida que as crianças não aprendem na escola, mas deveriam!

Conforme vamos crescendo e amadurecendo, a vida nos lança problemas que não são resolvidos usando cálculos de física ou o conhecimento da anatomia do ser humano.

Nosso ponto com esse artigo não é desvalorizar as disciplinas que somos ensinados na escola, mas defender que poderíamos também aprender conhecimentos sobre a vida no geral. Já que as crianças absorvem conhecimento com facilidade, poderíamos ter um modelo de educação que as preparasse não apenas para o mercado de trabalho, mas também para a vida.


Abaixo estão 5 lições que as crianças poderiam começar a aprender na escola:

1. Ser bem informado não é saber tudo o que está nos materiais escolares

Os materiais escolares servem como guia para o aprendizado, mas ser bem informado não é decorar o que se fala em cada página dos livros, até porque isso vai contra o desenvolvimento do pensamento crítico. Uma criança não aprenderá a pensar por si mesma quando é apenas incentivada a acreditar nos livros como a única verdade existencial. O incentivo à crença sem questionamentos torna difícil a criação uma geração de pensadores analíticos.


2. Diplomas e títulos não são as únicas coisas que importam

Muitas pessoas almejam um diploma universitário como o troféu mais importante de suas vidas, e realmente é uma incrível conquista, que abre muitas portas em nossas vidas, mas é preciso ter cuidado com os caminho percorridos para alcançá-lo, porque se não protegermos nossa saúde, podemos acabar sem energia, criatividade e disposição de viver. Nossa saúde, felicidade e relacionamentos saudáveis não devem ser negligenciados.


3. As falhas nem sempre são ruins

Em muitas culturas, as crianças aprendem desde cedo que falhas são negativas, e que por isso devem ser temidas e evitadas ao máximo. Isso as faz crescer sem saber que errar e aprender com os erros faz parte da natureza humana. São os nossos erros que nos ensinam o que é certo e errado. O medo de falhar causa uma conformação com a situação atual e mina a motivação da novidade.



4. Não fazer nada não é um desperdício de tempo

Com a urgência do mundo atual, as crianças estão cada vez mais aprendendo que o tempo de lazer, dedicado a brincadeiras ou apenas ao descanso é uma perda de tempo, e que quem dedica tempo a si mesmo está sendo ultrapassado por aqueles que se mantêm ocupados vinte e quatro horas por dia.

É necessário repensar esse ensinamento. O tempo de descanso e relaxamento é essencial para uma vida saudável. Ao alimentarmos a crença de que pessoas de sucesso não têm tempo para si mesmas, estamos contribuindo para a criação de uma sociedade exausta, desmotivada e sem desejo de conquista, pois de nada adianta ter o melhor estudo do tempo se não há energia para colocar seus planos em prática. O tempo livre é um bem não negociável.


5. Provas e testes não são suficientes para medir a inteligência de alguém

Na maioria das escolas, a única maneira de realmente testar a inteligência dos alunos é através das provas e testes. No entanto, nem todas as crianças aprendem da mesma maneira, e os exames em sua maioria testam mais a memória. Portanto, muitas vezes só é necessário decorar o conteúdo, fazer o teste e depois esquecer.


Nós temos a função de incentivar nossas crianças a pensarem fora da caixa e não cederem aos padrões negativos da sociedade. Devemos ensinar nossos filhos a se aceitarem como realmente são, dessa maneira estaremos fazendo nossa parte para a construção de uma geração consciente e em contato com seus verdadeiros eus, o que cria um mundo mais sábio e feliz.
____________

Direitos autorais da imagem de capa: wavebreakmediamicro / 123RF Banco de Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.