5 passos para lidar com a vida quando as coisas ficam difíceis

5min. de leitura

Você sente dor por algo secretamente? Você comemora o milagre que é a sua vida ou está constantemente a correr, frustrado com a lista interminável de tarefas em casa e no trabalho?



Quando a vida não está indo tão bem, pode ser difícil olhar para o lado positivo. E o que tem de errado com as pessoas que lhe dizem “Está tudo bem”, quando sua vida está em estado de colapso, ou simplesmente uma merda? O que é bom nisso?

A chave é perceber que você está criando tudo em sua vida, que tudo é perfeito, mesmo que não pareça. Mantenha a fé, a compreensão virá. Ao invés de ver a si mesmo como uma vítima, pergunte a si mesmo, por exemplo: “Por que eu estou me sentido tão irritado e intolerante?”

Ao se recusar a sentir raiva, você ganha força contra as dificuldades e contra seu ego, que gostaria de estar “certo” e “ganhar”. Criando assim um espaço calmo, no qual resultados surpreendentes podem acontecer.


Enviando amor e compaixão para o seu antagonista, mudanças milagrosas podem ocorrer.

Além disso, você descobre um rico poço de criatividade, força e sabedoria dentro de você que você não sabia que tinha.

E se nós nos permitirmos vivenciar plenamente os nossos desafios, crescer e nos expandir através deles?


Preocupações e medos ainda vão surgir, mas podemos aprender a vivenciá-los de um lugar de espaço e calma. Com as estratégias comprovadas abaixo, você vai ganhar compreensão e coragem para superar os desafios, e não mais correr de seus medos, mas se tornar autoconfiante sabendo que pode vencer qualquer dificuldade.

1. Reconheça sua realidade

Aceitar o que acontece. Isso não significa que você tem que gostar, mas você tem que aceitar. Lutar contra a realidade só piora as coisas. Ao aceitar do que acontece, você relaxa, e um espaço se abre para a mudança acontecer. Você entrará numa zona de milagre, onde todos os tipos de bondade inesperada podem aparecer. Fique aberto a possibilidade.

2. Vivencie seus momentos de alegria

Isto pode parecer óbvio, mas muitos de nós temos o costume de esperar o pior acontecer quando a vida está indo bem. Mantenha a sua atenção, energia e foco em experimentar os seus momentos de alegria, sem esperar que o desastre esteja à sua espera ao virar a esquina. E se, ao virar da esquina, você encontrar ainda mais alegria?

Amor, alegria e felicidade são nosso estado natural.

Apenas o nosso medo nos diz o contrário. Quanto mais cedo você se tornar ciente desta programação negativa, e ignorá-la, mais alegria que você vai vivenciar.

3. Permita-se experimentar seus medos e desafios

Ao invés de tentar fugir de seus medos com todos os tipos de distrações, sente-se com você mesmo, e permita expor seus sentimentos, por mais desconfortáveis que eles possam ser. No próprio sentimento reside a cura. Na permissão, os medos se dissolvem.

Não fuja do medo. Abra a porta, olhe para dentro e perceba que não há nenhum mosntro no armário. Isso vai ajudá-lo até a vivenciar mais alegria e menos medo.

4. Não controle seus desejos

Deixe de lado o seu apego à maneira com que você quer que as coisas sejam, relaxe e veja o que acontece. Eu não quero dizer que você tem que ser apático, sem objetivo e passivo. Tenha os seus desejos, mas deixe de achar que eles tem que se manifestar de uma forma particular.

Quando insistimos que as coisas têm que ser de uma certa forma, podemos perder o que a vida nos oferece.

5. Compreenda e seja grato por seus medos

A chave para superar o medo é entendê-lo. Isso significa que você tem que abandonar todo julgamento, condenação, e avaliação de que o medo é errado. O medo é uma realidade em nossas vidas, é uma parte do ser humano. Uma vez que este é confrontado, e entendido, ele pode ser transformado. Você irá experimentar mais amor e alegria, e menos medo. Será mais fácil enfrentar seus desafios.

 

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: FinerMinds

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.