publicidade

5 requisitos para sobreviver a um término:

Abertura



Pessoas de mente fechada ou que vivem sempre se cercando de segurança excessiva, isoladas de todo o resto são as primeiras a sofrer negativamente o impacto de um término de relacionamento. São aquelas que se afastaram dos amigos, dedicaram exclusividade cega para o parceiro, adotaram o estilo de vida do outro e se trancaram numa prisão de certezas frágeis. Aquele tipo de ciúme e possessividade típicos de pessoa que tem falta de abertura pessoal mostram sua inconsistência diante do fim, pois nada é capaz de trancafiar um coração. Para que a vida siga em frente é só a abertura para coisas novas que darão um chance para um recomeço digno.

Pro-atividade

Esperar que as coisas venham até você definitivamente não resolve o problema da vida de ninguém. Chorar e ficar amuado é uma fase que se durar infinitamente só refletirá sua passividade diante da vida. Nenhum milagre vai acontecer se não mover seu corpo e sua personalidade. Sua mãe e seu pai não poderão impedir sua dor, seus amigos não arrancarão seus medos e o futuro lhe não dará garantias, é você com você. Nessa hora o que conta é redesenhar o tipo de vida que você deseja e colocar um tijolo sobre o outro, insistentemente, até que o cenário passado seja só uma lembrança pálida.

Independência



Curiosamente muitas pessoas só conseguem existir em função de um outro, parece a segunda voz de dupla sertaneja. Foram tão acostumada a receber ordens, abafar seus sonhos e renunciar aos seus sentimentos que perderam o caminho da própria vontade. Depois de um pé na bunda é hora de retomar as rédeas de sua vida e nem sempre é simples. Várias pessoas dependentes tem uma crença que pensar em si mesmas é sinal de egoísmo, mas quando um relacionamento acaba é questão de sobrevivência. Quando a solidão bate à porta é o momento de exercitar cada escolha pessoal para assumir de vez uma vida com vigor. Provavelmente foi da falta de brilho nos olhos que o relacionamento naufragou.

Autoestima



A autoestima é a habilidade de cuidar de si mesmo, fazendo-se avançar para além de suas limitações e alavancando experiências realizadoras. Como é possível achar que se gosta de alguém e ser incapaz de fazer algo minimamente digno para si? É bem contraditória a crença de uma pessoa que se acredita amorosa mesmo deixado a si mesma à míngua. A qualidade de um amor que surge de um fonte escassa é de qualidade duvidosa, frágil e reativa. Já notou que aquela pessoa sem graça gosta de um jeito fanático e quando é rejeitada entra em colapso? Um amor com base madura e de autocuidado jamais seria capaz de fazer mal a si porque o outro seguiu em outra direção.

Superação

Quem acha que passar por sofrimento dá autorização para arrastar os fantasmas por toda a vida ainda não sabe o que é superação. Algumas pessoas que sofreram as mesmas situações traumáticas, de um assalto ou incêndio, seguem caminhos muito diferentes. Umas seguem em frente, aprendem com o que passaram, deixam a vida fluir e outras passam o resto dos dias justificando sua infelicidade pelo mal-estar que atravessaram. Essa últimas parecem que só estavam esperando uma boa razão para que pudessem se afogar de vez. Ao sobreviver a um término de relacionamento é essencial que se pense com carinho se quer realmente renovar seus sentimentos, quem chega pela frente não precisa pagar pelas escolhas mau feitas do passado. Se é para começar algo realmente novo coloque o orgulho para trás e perdoe tudo o que aconteceu.

 

Por Frederico Matos – Se mesmo assim for difícil recomendo fortemente esse curso online:  treinosobreavida.com.br

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.