5min. de leitura

5 verdades vão te libertar!

“O tipo mais importante de liberdade é ser o que você realmente é. Você troca sua realidade por um papel. Troca seu senso por um ato. Você abandona a sua capacidade de sentir e, em troca, coloca uma máscara. Não pode haver uma revolução em grande escala, até que haja uma revolução pessoal, em um nível individual. Deve acontecer primeiro em você.” – Jim Morrison


Você está no meio de uma revolução pessoal?

Abaixo estão cinco verdades que vão ajudá-lo nessa batalha:

1. Ninguém pode agradar a todos o tempo todo

Pense na pessoa mais adorável e respeitada que conhece. Ela chegou onde está apenas atendendo a outros? Ou permaneceu firme a suas crenças, mesmo em face a críticas e complicações? A ironia no hábito de agradar as pessoas é que, na verdade, isso não faz de você um amigo. Na verdade, isso faz com que você sacrifique a si mesmo por pouco ou nenhum retorno. Depois de abandonar as expectativas das outras pessoas, você será livre para descobrir e conhecer suas próprias – o que, em última instância, é muito mais gratificante.


2. Eu não tenho que ser a pessoa que era ontem

Muitos de nós se sentem pressionados a permanecermos como alguém que não queremos ser. Tememos a mudança, e outras pessoas temem por nós. Seja mais corajoso. Pense nos traços de caráter que você se orgulharia em chamar de seus, e estabeleça a meta de se tornar essa pessoa. Deixe os outros lidarem com a transição como desejarem. Só porque você era de um jeito ontem, não significa que você deva se comportar da mesma maneira amanhã. Você – e somente você – tem o poder exclusivo de mudar a si mesmo.



3. Amor-próprio e autocuidado não são a mesma coisa que egoísmo

Na verdade, precisamos cultivar essas duas coisas, se quisermos ser as melhores versões de nós mesmos. Para sermos úteis para outros, primeiro devemos garantir que nossas próprias necessidades sejam atendidas. Sem isso, não poderemos contribuir para a sociedade ou melhorar o mundo de forma poderosa. Como Audre Lorde escreveu: “Cuidar de mim mesmo não é autoindulgência, é autopreservação, e isso é um ato de guerra política.”


4. Não existe “perfeição”

Não há relações perfeitas. Não há empregos perfeitos. Não há momentos perfeitos ou situações perfeitas na vida. Certamente, não há pessoas perfeitas! “Real” é tudo o que podemos pedir a nós mesmos, ao mundo e a outros. “Perfeito” é um mito doloroso. Na verdade, são nossas próprias imperfeições que nos tornam humanos. São os momentos imperfeitos da vida que a fazem valer a pena. Como Donald Miller escreveu: “Quando você parar de esperar que as pessoas sejam perfeitas, poderá gostar delas por quem são”. Veja o que é real. Aceite-o.


5. A vida não é uma competição

Não há verdadeiros vencedores e perdedores. Estamos cada um em nosso caminho único e alcançaremos nosso destino no devido tempo. Comparar-nos a outras pessoas só cria estresse e insatisfação desnecessários. Deixe-os viverem suas vidas como acharem conveniente. Concentre-se em si mesmo. Essa vida não é uma corrida  e não há medalhas que o motivem a terminar mais rapidamente do que seu vizinho. Esse pensamento é melhor resumido no seguinte poema:


“Veja alguém que não mantêm a pontuação, que não está querendo ser mais rico ou que teme perder, Quem não tem o menor interesse até mesmo em sua própria personalidade: esse alguém é verdadeiramente livre.” – Jalaluddin Rumi

Permita-se viver uma vida de liberdade. Recuse ser privado do seu eu autêntico por seus entes queridos, pela sociedade ou, acima de tudo, por suas próprias inseguranças pessoais. Deixe tudo ir.

Escrito por Robyn Reisch

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: I Heart Intelligence





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.