ComportamentoEmoções

6 coisas que acontecem quando você deixa a culpa te controlar:

6 coisas que acontecem quando3

Todo mundo pode se identificar com a culpa.



Seja mentir para um ente querido, insultar um amigo próximo, trair um parceiro, ou tomar uma decisão errada, a culpa machuca mais profundamente do que qualquer outra emoção.

Nós revivemos o erro repetidamente em nossas mentes, tentando racionalizá-lo, planejando o que teríamos feito diferente se tivéssemos a possibilidade de viver o momento novamente. No entanto, sabemos que não há máquina do tempo para corrigir nossos erros. Estamos presos no presente, na angústia. “Eu gostaria … deveria ter … poderia ter … teria … se …” se tornam pilares em nosso vocabulário.

Quando resolvemos que sofremos o bastante por determinada dor, a enterramos. O tormento ainda existe, mas o banimos para conseguirmos continuar nossas vidas.


A culpa pode estar fora de vista, mas ainda está em nossa mente subconsciente. Então o problema real começa:

Sinal 1: Relacionamentos profissionais tensos

A culpa suprimida arruína sua autoimagem, prejudicando suas interações com as pessoas. Quando o estigma é revelado em sua psique, você percebe que está escondendo algo vergonhoso e sente que sua essência está em exibição para o julgamento dos outros.

A chave para um relacionamento profissional é a consistência. Se um empregado está com problemas, mas permanece uma boa pessoa, provavelmente vai continuar sendo aceito.


No entanto, este não é o caso se você está emburrado na segunda-feira, temperamental na terça, maníaco na quarta, e ansioso na quinta-feira.

Esse comportamento estimula a desconfiança, já que ninguém irá interagir a longo prazo com um associado imprevisível.


Sinal 2: Cansaço e distração


Subjugar culpa prejudica uma grande quantidade de energia mental. Como resultado, você fica desconcertado. A frase “Desculpe, o que você disse?” torna-se cada vez mais frequente até  você não poder mais atribuir esta situação a uma noite de sono ruim, ansiedade por algo ou estresse.


Sinal 3: Piadas ofensivas

Todo mundo ri de certas coisas. Segundo Platão, uma manifestação de superioridade sobre as pessoas menos afortunadas do que nós é o que nos faz rir. Filósofos podem debater isso, mas é definitivamente verdade para aqueles que são guiados pela culpa. Eles nunca parecem ter limites para sua prática de ridicularização. Insistem que foi uma brincadeira, quando foi um insulto.


Se você está brincando com alguém e as piadas sempre parecem falhar, há uma boa chance de sua culpa estar se mostrando. Você tem a necessidade de elevar-se colocando os outros para baixo. Esta é uma defesa primitiva.


Sinal 4: Não é possível lidar com pequenas críticas

Imagine ser espancado verbalmente toda vez que faz um movimento. Esse é o sentimento proporcionado pela culpa reprimida, você se sente inseguro e incerto de cada ação. Portanto, você é bruto e sensível, e qualquer leve crítica vai parecer uma explosão nuclear. É muito ruim, e você tende a reagir exageradamente.



Sinal 5: Paranoia

William Shakespeare explica isso muito eloquentemente: “A suspeita sempre assombra a mente culpada …”

Um homem que respeita a lei não ficará tão aterrorizado quanto um criminoso fugitivo, se for detido por um policial. O criminoso terá medo de todos os pedestres serem policiais disfarçados a sua procura.


Da mesma forma, se você é culpado, é comum sentir-se angustiado.


Sinal 6: Negar-se sucesso

Este é talvez o mais devastador dos sinais. Uma pessoa guiada pela culpa não se permite ser bem-sucedida. Se você fez algo horrível a alguma pessoa e lamenta muito, pode chegar ao estado de odiar a si mesmo. Para racionalizar o sofrimento que você trouxe a outra pessoa, você começa a subconscientemente afligir-se.


Então, você nega a si mesmo satisfação e realização. É como se a culpa estivesse dizendo: “Se eu castiguei essa pessoa, é justo me castigar também”.

A pior parte desta mentalidade é que ela não funciona. Sua culpa ainda não foi resolvida, você cairá em um ciclo vicioso de tortura e nunca seguirá em frente na vida.


Se sentindo melhor


Se alguns desses comportamentos se aplicam a você, deve estar se perguntando como livrar-se da culpa de uma vez por todas. Viagem no tempo não é uma opção e se isolar é prejudicial.

A resposta é simples, mas difícil: Confissão.

Declare seu erro, e tome a decisão de melhorar no futuro. Aprender uma lição de vida a partir de seu erro, pode possivelmente transformá-lo em algo benéfico. Você pode se sentir livre novamente.

A escolha é sua.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fontes: Forbes e The Spirit Science

5 vezes em que o universo te apoiou (mesmo você não sabendo):

Artigo Anterior

6 hábitos comuns de pessoas altamente empáticas e sensíveis:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.