6 maneiras de perdoar a si mesmo e seguir em frente…

5min. de leitura

Você provavelmente já ouviu falar que uma maneira de superar um passado errado é perdoar aquele que errou. Mas e se parecer que você é o culpado?

E se as falhas que você está tendo dificuldade em superar são responsabilidade sua?



O perdão ainda é a resposta, diz Everett L. Worthington Jr., Ph.D., professor de psicologia na Virginia Commonwealth University.

“Muitas pessoas lutam por condenarem e culparem a si mesmas, porque fizeram algo que acham que estava errado e se sentem culpadas, ou porque sentem que estão erradas ou com problemas de alguma forma e sentem uma sensação de vergonha”, diz Worthington.

É claro que nem todos os casos de autoculpa são prejudiciais. “Há uma razão pela qual nos sentimos negativos quando cometemos um erro”, diz Worthington. Sabe os cinco minutos de frustração que você sente depois de tomar a saída errada na rodovia? É uma sugestão para prestar mais atenção da próxima vez que estiver dirigindo.


Mas vale a pena buscar saber sobre a autoculpa quando seus sentimentos negativos sobre um grande passo em falso em sua vida, ou uma série de pequenos erros tornam-se crônicos.

Worthington chama isso de “falta de perdão em relação a si mesmo” ou incapacidade de avançar a partir da raiva ou dor de um erro passado, retardando qualquer sensação de proximidade.

Esta negatividade contínua faz você se sentir mal no momento. A longo prazo, está ligada a uma série de doenças mentais e físicas, incluindo depressão, problemas cardiovasculares e disfunção imunológica.

Muitas vezes não há maneira de desfazer erros do passado, mas você pode fazer as pazes com eles. O processo abaixo para o perdão responsável, que Worthington detalha em seu livro, Moving Forward: Six Steps to Forgiving Yourself and Breaking Free from the Past, o ajudará a aprender a ser gentil consigo mesmo, um passo de cada vez.


Passo 1: Receba o perdão do Universo

Dê um passo para trás e olhe para o quadro geral, não apenas para os momentos de culpa de sua vida. Lembre-se de que todos cometem erros e que você também merece ser perdoado. Se você tem uma prática espiritual, revisitar seus ensinamentos e aumentar sua conexão com suas crenças também pode ajudá-lo a deixar ir.


Passo 2: Arrependa-se e repare relacionamentos que foram danificados

Por exemplo, se você continuar a sentir-se culpado por causa de um acidente de trânsito, tome medidas para melhores precauções de segurança. Se você se arrepende de não ter sido mais presente para seus filhos em sua juventude, pergunte o que você pode fazer agora para compensar o passado.


Passo 3: Diminua as reclamações

Dar menos tempo e atenção a falhas do passado é uma maneira de avançar. Mas você também precisa examinar as expectativas e padrões que tem para si mesmo. Se você perdoaria um amigo por um erro, por que ser tão duro e exigente consigo mesmo?


Passo 4: Desenvolva um ritual de remissão

Lembre-se do dano que a situação causou. Em seguida, entregue a si mesmo a empatia que você daria a outra pessoa, junto com um dom altruísta de perdoar a si mesmo. Escreva-se uma carta, faça uma caminhada para processar seus sentimentos, ou crie uma expressão tangível da experiência dolorosa, como uma escultura na areia ou uma pilha de pedras em seu jardim, para se comprometer com o perdão. Invista tempo neste ato e decida que quando estiver feito, você deixará ir totalmente.


Passo 5: Abrace a autoaceitação

Mesmo depois de ter perdoado a si mesmo, você pode ter dificuldade em chegar a um acordo com seus erros do passado. Aceite o que você não pode mudar. Lembre-se de que as ações não definem quem você é. Ficar preso ao passado impossibilita avançar para um futuro melhor.


Passo 6: Resolva viver com mais cuidado

Todos nós cometemos erros. Ao jurar não repeti-los, você terá mais facilidade em fazer as pazes com o que foi feito, enquanto cultiva esperança sobre o que está por vir.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Happify Daily

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.