publicidade

6 verdades transformadoras que me permitiram amar a mim mesmo(a):

Verdades transformadoras que me permitiram amar a mim mesmo, em meus próprios termos:  

1. Compaixão é a chave

Devemos ser compassivos com nós mesmos em todas as etapas da jornada. As exigências diárias podem ser excruciantes se o nosso crítico interno estiver no controle. Se nos esquecemos de permanecer presentes conosco, ficamos exaustos, sobrecarregados e frustrados.



Ser compassivo em sua jornada para descobrir o amor-próprio, significa ser gentil consigo mesmo, especialmente através de transições. No meu próprio experimento de amor-próprio, descobri o benefício de ser misericordioso comigo mesmo, independentemente dos desafios que enfrentei.


2. O amor-próprio começa simplesmente com as suas necessidades.

O amor-próprio real significa que você precisa cuidar de si mesmo e proteger sua energia. Às vezes, isso significa dizer “não” aos outros para que possa dizer “sim” a si mesmo.


3. Amar a si mesmo é priorizar a alegria, diariamente.

É essencial fazer da felicidade um foco diário. A alegria é a base de uma vida saudável. Quando você é alegre, sente-se melhor e faz melhores escolhas.


4. Como todo amor, o amor-próprio começa com confiança

Nós tentamos, arduamente, encaixar-nos na caixa que outra pessoa fez – o plano de alimentação que funciona para o nosso amigo, o estilo de meditação que o nosso vizinho pratica, mas aprender a confiar e ouvir a si mesmo é a chave para a saúde e o bem-estar reais. Todos temos necessidades diferentes. Você não pode cuidar de si mesmo até entender as suas.



5. Ter um diário aprofunda o autoconhecimento

Kathryn Budig, defensor do amor-próprio, é uma importante proponente do jornalismo como ferramenta para a autodescoberta. Ela diz: “Obter um diário e escrever sobre seus sentimentos é uma excelente maneira de aprender mais sobre si mesmo e processar as emoções”. Seu livro ainda tem uma seção sobre como escrever seus sentimentos, o que me inspirou totalmente. Nessa seção, ela diz: “A chave para o diário é mantê-lo real e ser honesto consigo mesmo. É um lugar seguro onde você pode deixar seus medos.”


6.Uma transformação de amor-próprio está incompleta até que você possa recuperar a beleza

Podemos optar por odiar nossos corpos, ou podemos escolher amá-los. A forma como vemos nossos corpos afeta a maneira como participamos do mundo. Se você é capaz de reconhecer sua beleza, independentemente de opiniões ou influências externas, então está no seu caminho para um amor-próprio verdadeiro e duradouro.


__________

Traduzido pela equipe de O Segredo   Fonte: Mind Body Green

Direitos autorais da imagem de capa: oneinchpunch / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.