Comportamento

7 clichês idiotas que precisamos parar de repetir:

vida mulher cliche

Arrisco dizer que algumas frases, aos seres humanos, são bem mais perigosas do que a ingestão de frutas não lavadas, do que o Aedes Aegypti e até do que o consumo desenfreado de gordura trans.



Não acredita em mim? Nos itens abaixo, vou mostrar a vocês, o quanto alguns clichês – quando repetidos de forma exaustiva e em tom imperativo – têm o poder de poluir mentes e de fazer com gerações cresçam portando pensamentos genéricos e preconceituosos:


1. NÃO LIGUE PARA ELE NO DIA SEGUINTE!


Quem foi o imbecil que disse isso? Só sei que em matéria de amor e de manifestação das vontades do coração, qualquer regra matemática ou que pode ser aplicada a todos os seres humanos de maneira universal, com certeza, não presta e nunca deve ser ensinada nem ao seu cachorro. Sabe por quê? Pois cada um de nós – seres humanos – é uma combinação única de particularidades. Entendeu? É simples: cada um possui a própria impressão digital, combinação genética e, acredite em mim, reação para uma ligação no dia seguinte. Alguns, de fato, acharão o contato demasiadamente precoce. Outros, certamente, amarão o telefonema e admirarão a coragem que a motivou. Quer um conselho? Ligue quando sentir vontade, pois não existe razão mais sincera do que a emoção.


2. CASAR É UMA ETAPA ESSENCIAL NA VIDA DE UM SER HUMANO.

Ah é? Então comer carne vermelha também é. O que uma ação tem a ver com a outra? Eu respondo: as duas podem ser realizadas, mas se, por algum motivo, decidirmos não fazer qualquer uma delas, continuaremos a ser pessoas tão dignas quanto as que optaram por fazer tais atos. Sacou? Tanto a ingestão da carne quanto a mudança de status promovida pelo casamento, com certeza, não nos fazem seres superiores. Tratam-se de opções e devem ser realizadas por vontade própria e nunca – diferente do que tenho visto – por pressão social e da família. Você não pode fugir dos efeitos corrosivos do tempo e, muito menos, conseguirá desviar da foice implacável da morte, porém, se quiser, sem se sentir um quebra-cabeças incompleto, poderá optar por uma vida sem altar, chuva de arroz e buquês voadores.



3. FUJA DAS MULHERES INDEPENDENTES!

Tenho certeza que você já ouviu essa frase que, geralmente, é compartilhada por homens medrosos que, em tempos de inteligência artificial, ainda insistem em tentar perpetuar a burra desigualdade – principalmente profissional – entre os sexos. Fugir das mulheres independentes? Não seria o contrário? Como eu já disse em outros textos e faço questão de repetir aqui: eu gosto de admirar a mulher e isso fica muito mais fácil quando ela não age feito um bichinho virtual totalmente dependente de mim. Se for pra fugir de alguém, que seja das mulheres-sanguessugas – tipo de fêmea que se aproveitará dos mandamentos machistas para alegar inferioridade profissional e para, enquanto o marido trabalha duro, fazer com que cartão de crédito dele trabalhe mais do que qualquer chinês preso. Fuja dos homens que fogem de você, mulher independente. Isso sim!



4. SEXO É SÓ PARA PROCRIAÇÃO!

Isso mesmo! E macarrão – mesmo o mais gostoso dos nhoques – só serve para nos dar energia. Quanta besteira. Sexo, além de nos ajudar a produzir herdeiros e a aumentar o índice de natalidade do mundo, possui diversas outras funções. Quer que eu as cite? Vamos lá! Só espero que essa coisa de uma lista dentro de outra lista não fique parecendo alguma doideira do filme “A Origem”, sabe? Enfim. Sexo é, comprovadamente, um ótimo antidepressivo, um potente relaxante, uma forma extremamente eficiente para promover o gasto calórico, uma maneira muito eficaz de estreitar o seu vínculo com aquele que você ama e, indubitavelmente, um excelente programa para se realizar quando estiver sem dinheiro na carteira. E aí, convenci você a transar mesmo sem querer procriar? Nem precisava de tudo isso, né? Outra coisa: você, ao se deparar com este item, talvez tenha pensado: “Alguém – além da igreja – realmente diz coisas do tipo?”. Boa pergunta. Realmente, não é um clichê tão comumente verbalizado, porém, se reparar bem, ele é dito, diariamente, através de atitudes à paisana e que, disfarçadas de atos lícitos, chicoteiam toda e qualquer mulher que busca o prazer dissociado da procriação. Preste atenção!


5. EM BRIGA DE MARIDO E MULHER NINGUÉM METE A COLHER!


Discordo. Esse é mais um resquício verbal da época infeliz em que os maridos se aproveitavam da superioridade física e de leis parciais para dominar e punir as mulheres. Época em que nem a heroína Maria da Penha metia a colher para evitar que roxos continuassem a se propagar pelos corpos das fêmeas. A palavra “briga”, apesar dos múltiplos significados, geralmente é usada para combates físicos e, em casos assim, mesmo se for uma ação protagonizada entre entes próximos – como marido e a mulher -, devemos meter a colher. Meter a colher para evitar que a agressão continue e para entregar a covardia às mãos da justiça.


6. ELA É PARA CASAR E AQUELA OUTRA NÃO É!

Quem nunca ouviu um homem e, até mesmo mulheres, dizendo: “Ela é para casar!”. Eu já ouvi mais de mil vezes. E aposto que você também. Mas será mesmo que é possível classificar vocês, fêmeas, de maneira tão genérica? Entenderia se dissessem isso para evitar que homens de bom coração, ingenuamente, casassem com assassinas em série. Porém, não é isso que tenho visto. Tal afirmação generalista e pouco embasada, geralmente, é feita baseada apenas no passado sexual da moça em questão. O critério utilizado para formulá-la quase sempre é o mesmo: se ela já transou com vários homens, não é para casar. Se ela teve poucos parceiros, então é para casar. Não é assim? Como se toda mulher que – quando solteira e no passado – transou com vários homens, estivesse condenada a ser – no futuro – uma péssima esposa. Como se existisse um selo de “essa é para casar” esperando para recompensar aquelas que deixaram de aproveitar o potencial prazer do próprio corpo. E os homens que tiveram inúmeras parceiras, como são classificados? Como touros comilões e exemplos para os filhos tímidos? Ou como líderes destemidos da espécie? Só acho que os homens devem tomar cuidado para não utilizar os critérios errados na hora de escolher a futura mulher. Pois ouvir as más línguas – aquelas que vivem a repetir asneiras criadas pelo preconceito – pode fazer com que eles abram mão de uma ótima parceira e de alguém que, como você, não teve medo de viver experiências boas!



7. MULHER TEM QUE SER UMA DAMA NA SOCIEDADE E UMA PUTA NA CAMA

Essa é uma das frases mais ditatoriais que eu já ouvi. Mais uma daquelas imposições que limitam, agressivamente, o comportamento da mulher. Concordo que toda mulher – quando quiser – deve ser uma puta na cama. Quem discorda? O problema é essa coisa de ser uma dama na sociedade. Isso sim é bizarro e formulado para que as mulheres – como cadelas adestradas – submetam-se aos padrões sociais impostos pelo machismo. Acha que estou exagerando? Não estou não. Ser uma dama na sociedade, nas entrelinhas, é: não falar palavrões, deixar de divulgar ideias que demonstrem apreço pela liberdade sexual, nunca assumir que gosta de filmes pornôs, utilizar roupas cuja quantidade de tecido condiz com aquela que foi estabelecida por um grupo de controladores idiotas e seguir, à risca, todos os mandamentos da antiquada cartilha feita para que as mulheres, em nenhum momento, com pensamentos próprios, envergonhem seus maridos dominadores. Ou seja, não faz sentido. O negócio é ser você, de verdade, na cama e fora dela.

____________


Por: Ricardo Coiro – Via: Superela

5 conselhos para a vida, bons e de graça!

Artigo Anterior

5 razões pra não criar expectativas nos relacionamentos:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.