9min. de leitura

7 dicas valiosas para obter controle emocional:

Em tempos de conflitos cada vez mais explícitos, devido à exposição nas redes sociais, padrões de beleza, comportamento e estilo de vida, a pressão é constante. Manter o controle emocional diante das adversidades, mas também nos momentos tranquilos da vida, é um desafio.


É preciso entender que o controle emocional não diz respeito apenas às emoções conhecidas como negativas, mas também em cuidar para que afetos positivos não se tornem negativos.

A alegria, ilusão de grandeza, paixões cegas, excesso de autoconfiança, e outras emoções aparentemente boas ou inofensivas, se exageradas, podem se converter em problemas. Por isso, o controle emocional não diz respeito, necessariamente, às emoções em si, mas sobre a forma com que você lida com elas.

Vamos te auxiliar nesse processo de desenvolver o controle emocional te oferecendo algumas dicas valiosas, que, se praticadas, vão mudar completamente sua forma de se posicionar diante da vida.

1. Cultive-se

O principal motivador para que você obtenha controle emocional deve ser você mesmo. Por mais que a relação com os outros seja importante, a relação consigo mesmo está no topo da lista de prioridades.

Cultivar-se significa aprender a gostar de si mesmo, a gostar da própria vida, a fazer coisas que são exclusivamente por você e para você, fazer coisas que te façam bem.


Significa, também, cuidar de si, em todos os sentidos: físicos, mentais, espirituais, estéticos, funcionais. E isso deve ser feito de forma autônoma. Não depender dos outros para ser feliz é um dos primeiros passos para conseguir viver momentos de felicidade legítima com as pessoas de quem mais gosta.

Quanto mais independente você se torna, melhor aproveitará suas relações e a sua vida. Mas, nunca confunda ser independente com ser egocêntrico. A única forma de fazer tudo isso é cultivando-se, olhando-se de fora para dentro no sentido do cuidado e da atenção consigo.

Então, permita-se ter um tempo para si mesmo: cuide da sua saúde, tenha um hobby, uma atividade que lhe agrade, inicie um novo estudo, faça uma viagem, enfim, o que te fizer bem.



2. Relacione-se bem com o seu corpo

O controle emocional não diz respeito apenas a coisas abstratas. Nossas emoções se manifestam no corpo e se relacionam com ele das mais diversas formas. Já parou para pensar sobre como atividades e atos que são prazerosos para o seu corpo repercutem nas suas emoções? Então, você pode ter o domínio desses efeitos.

Em primeiro lugar, aceite seu corpo como ele é. Preocupe-se com a saúde dele, mas não se iluda de que um corpo saudável é exclusivamente o que é divulgado pelos padrões de beleza.

Procure no seu corpo, como ele é, a sua própria beleza. Fora isso, apenas certifique-se de cuidar bem dele, para que ele funcione bem e não para responder a padrões impostos.

Descubra uma atividade física que goste de fazer, que te traga tranquilidade, que te esvazie dos pensamentos negativos. Nem todo mundo funciona do mesmo jeito, então, você não precisa fazer algo específico, mas precisa fazer algo.

Você pode gostar de musculação ou de Yoga, por exemplo. As duas coisas são atividades físicas que, de forma equilibrada, podem te ajudar a desenvolver seu controle emocional. Mas também poderia ser dança ou uma simples caminhada. Do que você gosta? Conheça seu corpo e faça suas escolhas para viver de bem com ele.


3. Inspire, expire e reflita

Não permita que situações extremas te ceguem. Alguém te deixou com raiva? Você se apaixonou? Algo terrível aconteceu? Tudo bem sentir tudo isso, mas não agir apenas de acordo com as emoções do momento.

Deixe seus sentimentos se manifestarem internamente, mas não permita que eles dominem suas ações e suas escolhas. Diante das situações extremas, que deixam os nervos aflorados (para o bem ou para o mal), respire e reflita sobre isso antes de tomar qualquer atitude.

Mesmo que você não tiver muito tempo para agir, sempre é possível dar uma pausa, mesmo que seja por alguns segundos, e enxergar a verdadeira situação antes de responder aos impulsos.


4. Dê nome as suas emoções

Vivemos movidos por emoções a todo o momento, mas, ironicamente, raramente nos lembramos de identificar essas emoções. Saber o que está sentido, dar um nome a isso, falar disso, mesmo que mentalmente, é uma prática essencial para obter controle emocional.

Você só consegue lidar com o que conhece. Dessa forma, conheça suas emoções, assim ficará mais fácil lidar com elas.


5. Aceite-se e transforme-se

Aceitar-se é um processo mais complicado do que parece. Muitos pensam que aquelas pessoas que são “convencidas”, arrogantes e muito autoconfiantes se aceitam. Isso não é verdade.

Uma pessoa que se aceita não precisa de se proteger com autoafirmações, nem com falsa modéstia. Ela sabe o que é, como é e age naturalmente em relação a isso.

Como desenvolver essa habilidade? Conhecendo-se bem através da introspecção consciente, como a meditação ou processos de análise.

Aceitando os próprios defeitos e qualidades. Compreendendo os próprios limites. Reconhecendo que não é perfeito e não dá conta de carregar o mundo nas costas. Mas também tem a ver com assumir a responsabilidade pelos próprios atos.

Quanto mais você se conhecer e se aceitar como é, mais terá perspectivas realistas do que precisa e pode transformar em si mesmo e o controle emocional será uma consequência.


6. Saiba que nem tudo diz respeito a você

Um dos principais vilões do controle emocional é a mania de autorreferência. É muito comum pensarmos que tudo o que acontece no mundo nos diz respeito.

Um exemplo: se você não está se sentindo confortável com a sua roupa e alguém na rua ri, aleatoriamente, o que pensa? Que estão rindo de você! Não é? Não faça isso. Nem tudo diz respeito a você. Ter essa consciência, de que existem milhões de pessoas e situações no mundo e que, logo, nem tudo lhe diz respeito, é se livrar de um fardo.

Dê importância apenas ao que realmente importa, ao que realmente te afeta, ao que te ajuda a crescer e ponha rédeas nas paranoias.


7. Converse com pessoas de confiança

Embora boa parte do processo para obter e manter o controle emocional envolva a introspecção, ter alguém de confiança para conversar às vezes é importante para expandir-se.

Outra pessoa verá a situação de uma forma diferente da que você vê e poderá te ajudar a ampliar seu campo de visão. No entanto, essa pessoa deverá ser confiável, ser alguém que você seja capaz de escutar. Só assim ela poderá te ajudar.

Ser capaz de ver uma situação com mais clareza e por um ponto de vista diverso é uma habilidade importantíssima para desenvolver o controle emocional, mas que exige uma parceria.

Sabemos que nada do que sugerimos aqui é fácil: trata-se de um processo. Se você realmente quer obter controle emocional deverá começar a cultivar novas atitudes diante da vida todos os dias. Essas mudanças não têm efeitos instantâneos, pois são habilidades que precisam ser treinadas.

É como quando você começa uma nova atividade física e precisa partir dos procedimentos mais leves, mais fáceis e aumentar o nível de dificuldade aos poucos. Desenvolver o controle emocional também funciona assim. Comece devagar, pratique todos os dias e, quando perceber, estará dominando as situações com naturalidade.

Gostou dessas dicas? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais e ajude-os a também desenvolver o controle emocional.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.