5min. de leitura

A equação de deixar para depois – a matemática da motivação

Sabemos como é difícil conquistar novos hábitos e atingir nossos objetivos. Aqui vamos estudar a “equação de deixar para depois”, também conhecida como a “matemática da motivação”, que traz novos insights para superarmos a procrastinação e a desmotivação.


O pesquisador Piers Steel é autor do livro “A equação de deixar para depois”, no qual ele apresenta uma visão matemática de por que deixamos as coisas para depois e o que podemos fazer para ter mais motivação e menos procrastinação.

Aqui está a fórmula que ele apresenta: multiplica-se expectativa x valor, e divide-se por impulsividade x espera.


Vamos explicar os termos:

1. Expectativa é o grau confiança no sucesso. É o quanto você acredita que realmente a coisa pode acontecer, a verdadeira possibilidade de que se concretize.


2. Valor é o quanto isso tem significado para você. É uma avaliação do tanto que esse objetivo vai realmente ter um impacto significativo em sua vida. Em suma, o que o objetivo em questão vale para sua vida.


3. Impulsividade é seu grau de distração. É uma medição da chance que você tem de se distrair e se afastar da realização deste objetivo. Seria como seu grau de “enrolação” para realizar esta tarefa em mente.



4. Espera é uma medição de quanto tempo é necessário para ver o resultado se concretizando, com tudo fluindo bem.

A equação então diz que quanto maior seu grau de confiança no sucesso e o valor desse objetivo para você melhor. Mas não é só isso. Esse número positivo agora é dividido pelo seu grau de impulsividade multiplicado pelo tempo de espera.

Isso significa que queremos fazer o seguinte para ter mais motivação:

1. Criar objetivos facilmente atingíveis. Ou seja, aumentar a expectativa de que vamos cumprir o objetivo, tornando-o mais fácil, menor, mais simples possível. Assim, aumentamos o item “expectativa”.


2. Queremos escolher objetivos com o maior valor possível. No Caminho 3T, sempre alertamos que esses são os objetivos intrínsecos, que tocam a alma, que têm a ver com o cumprimento de sua essência, seus dharmas e seu bem-estar diretamente. Quanto mais artificial e externo o objetivo, menos valor ele terá para você.


3. Queremos tirar tudo que vai nos distrair (em relação ao nosso objetivo). Vamos pensar nos obstáculos possíveis e já nos precaver, evitando ou eliminando-os.


4. Queremos escolher objetivos com prazos curtos de realização. Quanto mais distante o objetivo, menos motivação sentirá.

Aqui vão algumas dicas que Piers Steel sugere para ajudar você nesse trabalho:

1. Técnica Moana: quem assistiu ao filme de animação musical estadunidense, produzido pela Walt Disney, vai se lembrar de que é baseado na vida do povo da Polinésia, que ia conquistando novas ilhas. A ideia então é criar objetivos em etapas, como as ilhas. Mire-se na ilha mais próxima, não em ilhas mais distantes. Nem em todas as ilhas.

Na equação, isso significa aumentar a expectativa e diminuir o tempo de espera, aumentando assim sua motivação.


2. Contraste mental: compare seu objetivo, a situação que sente que deveria alcançar com sua realidade hoje. O que falta? O que precisará fazer para chegar lá? Quais desafios terá de encarar? Faça isso para traçar seus objetivos de forma a otimizar a equação da motivação.


3. Passo bebê: eu já recomendei essa técnica antes e destaco-a no livro “O Caminho 3T”. É essencial! E muito simples. Significa estabelecer pequenos objetivos, quanto menores melhor. Um objetivo grande, como escrever um livro, montar uma empresa, mudar de dieta, etc., você quebra em minúsculos passos. Por exemplo: tire só a carne vermelha ou escrever só a estrutura do primeiro capítulo. Na equação da motivação, isso significa enormemente aumentar a expectativa e diminuir o tempo, o que dará chances muito melhores de conseguir cumprir os seus objetivos.


4. Por último, a regra dos 10%. Esta regra diz assim: como seria sua produtividade se fosse apenas 10% mais eficiente? O resultado é gigante. Num ano, ganharia mais de um mês adicional – imagine! A dica prática imediata é tirar as distrações. Na hora de sentar e trabalhar, desligue a mídia social, a notificação dos e-mails e o telefone. Isso faz uma diferença enorme. Na equação da motivação, isso significa diminuir a impulsividade.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.