publicidade

A fé é um processo: estimule-a, defina o conceito do criador dentro de você!

Saiba de onde vem a sua fé, estimule-a, defina o conceito do Criador dentro de você.



Quem estuda e gosta das leis universais, com certeza, já ouviu o famoso termo “soltar”. Mas “soltar” pode não ser tão simples quanto parece.

De onde vem a sua fé? Pense nessa pergunta, sem pressa. A sua fé vem de fábrica? Ou seja, a sua fé foi incutida em você pelos seus pais ou por quem mais cuidava de você na infância? A sua fé vem de uma necessidade por inclusão em um grupo (isso acontece muito)? A sua fé vem do sofrimento? Ou ela é intrínseca, você tem fé em uma inteligência maior, mas nunca parou para pensar realmente no porquê?

Eu pergunto, porque a minha fé, até metade da minha vida, era adotada, não legítima. Eu sabia rezar o Pai Nosso e a Ave-Maria de tanto escutar e ser obrigada a rezar no colégio. Eu fui instruída que havia um Deus, um poder superior, que castigava as pessoas, até as boas pessoas, e que essa era a forma como Ele “ensinava” as lições. E que quando tudo ficasse muito difícil, que eu suplicasse a Ele por clemência.


Fui algumas poucas vezes a igrejas e quando me dei conta, vi que, na verdade, não tinha fé em nada, pois nenhuma dessas práticas era absorvida e incorporada pela minha alma. Não tinha um conceito formulado sobre Deus e os mistérios do Universo.

Sendo assim, como eu poderia simplesmente entregar nas “mãos” de um “desconhecido” toda a minha vida e ir me deitar tranquilamente, como se não tivesse nenhum problema se, na manhã seguinte, minha conta de luz estaria para vencer, mais contas chegando, uma emergência médica surgiria, um reparo inesperado teria que ser feito em casa, um namoro estava terminando e eu me sentia profundamente cansada, frustrada e sem perspectivas para um futuro próximo?

Eu, definitivamente, não tinha como soltar nada. Iniciei então uma busca frenética por conhecimento, testei várias teorias, li vários autores famosos, pratiquei incontáveis mantras, exercícios e rituais, e nada me fazia entregar os pontos. Eu queria soltar tudo ao Universo, eu sabia tudo decorado, que eu deveria me sentir grata, sentir como se tudo já fosse meu me fez sentir feliz, elevar minhas vibrações e soltar e viver uma vida plena e alegre.


Mas sejamos honestos: às vezes, quando o mundo está desmoronando na nossa cabeça, é bem difícil nos mantermos positivos, gratos e ignorarmos o ambiente e as circunstâncias à nossa volta, e sermos plenamente felizes.

Eu tinha fé. Mas fé no quê? Em quem? Eu ainda não sabia, eu só sabia que eu queria ter fé em algo. E essa decisão me foi tudo.

A fé é um processo  

Descobrir o que realmente nos move, o que faz nosso coração bater mais forte e nos dá a certeza maluca de que, mesmo não sabendo como, sabemos que tudo dará certo, não é tão simples, mas é absolutamente possível, se fizermos essa escolha.

Se você está em um momento da vida em que tudo está muito difícil e você já está sem forças, tudo bem, não se culpe nem force pensamentos lindos o dia inteiro, não seja seu pior carrasco, alforrie-se.

Quando abrir os olhos pela manhã e aquele sentimento de medo, incerteza e, às vezes, pavor e vazio se abater sobre você, apenas respire fundo e diga em voz alta “eu decido continuar acreditando”. Você sentirá em breve a mudança do padrão energético dentro de você.

Tenha em mente que cada pessoa encarnada aqui na Terra tem suas fases boas e não tão boas. Tristeza, cansaço e medo são sentimentos legítimos dos seres humanos. Eu não sou diferente de você, você não é diferente do seu vizinho e nós não somos diferentes de um mestre budista.

O que nos leva a ter resultados diferentes são as escolhas que fazemos. É como eu, você, seu vizinho e o mestre budista decidimos fazer com aquilo que a vida nos dá. Você vê seu vizinho saindo às 5h45 da manhã para correr, todo vestido e disposto, e você pensa: “Poxa, queria ser como esse cara.” E ele está lá embaixo, olhando o seu apartamento ainda com as luzes desligadas, e pensa: “Poxa, queria ser como esse cara e ainda estar dormindo.”

Ele pode sair às 5h45 para correr, porque correr o impede de ter uma nova crise de pânico ou porque as altas taxas de glicose e colesterol o obrigam a fazer exercício ou ainda porque a insônia é tão insuportável, que ele tenta gastar as energias do corpo para ver se consegue dormir um pouco. Ninguém conhece as batalhas do outro.

A gente nunca faz a análise da história por um ângulo, porque estamos condicionados a achar que todo mundo é melhor que a gente. Todo mundo faz melhor, todo mundo tem uma vida perfeita, todo mundo tem um relacionamento maravilhoso, todo mundo consegue mudar e prosperar, enfim, esses filtros de generalização são um perigo: “todo mundo”, “ninguém”, “nunca” e “sempre”. São palavras muito fortes, e devemos sempre prestar atenção em que contexto as inserimos.

São as nossas escolhas que nos trouxeram até esse exato ponto de nossa vida e somente elas poderão nos tirar daqui. A boa notícia é que só você manda em você, então você pode, neste exato momento, fazer uma escolha completamente nova para sua vida.

A fé é um processo, lembre-se disso. Não sinta vergonha ou raiva de si por não estar conseguindo cumprir as 108 repetições do ho’oponopono, por sentir que nada surte efeito, pois não é a prática que o fará soltar, é a sua fé na prática. Se eu repito 108 vezes alguma frase e essa frase não é capaz de gerar emoção e fazer meu corpo vibrar, não vai adiantar nada.

Autoconhecimento  

Você só vai conseguir soltar quando conseguir confiar, e só confiamos em quem conhecemos. Portanto, antes de sair repetindo feito um papagaio e praticando tudo que dá certo para os outros, você precisa se conhecer. O autoconhecimento é a chave para a mudança.

Saiba de onde vem a sua fé, estimule-a, defina o conceito do Criador dentro de você. Quando você passar a sentir essa energia criadora pulsando no seu coração, não lhe restará dúvida alguma de que ela existe, então o processo de soltar será natural. Não se pode forçar, tem de haver entrega absoluta.

“Cumpra teu propósito na minha vida.” Diga isso quando não lhe restarem mais forças.

Por hora, se ainda não consegue realizar essa entrega, faça a escolha diária. Dessa forma, decidindo manter a fé, tirarmo-nos do padrão de lamentação e de uma frequência negativa, mantemos as portas e o coração abertos para encontrarmos a nossa fé particular, genuína e irrefutável.

Se não conseguimos manter a vibração alta no momento, então que nos coloquemos em um estado neutro. Eu escolho continuar acreditando.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Igor Rodrigues/Unsplash.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.