publicidade

A intuição é o nosso canal de comunicação com Deus. Aprenda a desenvolver a sua!

As pessoas bem-sucedidas na vida ouvem muito a sua intuição, é o seu GPS interno que as guia para tomarem as decisões certas.



O que é a intuição?

É a capacidade de compreender ou saber alguma coisa imediatamente, sem a consciência lógica ou racional. A intuição é um saber instintivo, um pressentimento, uma impressão. Pode ser um sentimento, uma emoção, uma dor ou impressão física, um pensamento recorrente. Ser intuitivo é saber sem saber como se sabe.

Na maior parte das vezes, a intuição consegue ser desenvolvida no silêncio. Há pessoas que sentem mais a sua intuição quando estão a meditar ou a rezar e, por vezes, não têm noção de como são intuitivas, pois essa característica já faz parte delas. A verdade é que, em maior ou menor grau, todos nós somos seres intuitivos. Muitas vezes, não chamamos intuição àquilo que sentimos, mas sim “senso comum” ou “algo óbvio”.

Por que desenvolver a intuição?

Ser intuitivo não significa ter conhecimento de tudo, muito menos acerca da própria vida. De outra maneira, não viveríamos em paz. Contudo, a intuição é uma ferramenta valiosa que nos pode ajudar em inúmeras situações da nossa vida.


É uma parte natural de nós, é uma força que nos guia para cumprirmos a nossa missão de vida.

O objetivo de desenvolvermos a intuição é aprendermos a deixar de ser tão racionais para conseguir ouvir a nossa voz interior, o nosso Eu Superior. Passo a passo, a intuição é como o GPS da alma, ela permite-nos ir na direção certa para cumprir os nossos desejos e objetivos, bem como nos alinhar com a nossa verdade divina.

Não basta ouvir a intuição, é preciso saber segui-la. Às vezes, sabemos o caminho certo, mas o medo bloqueia-nos e não nos deixa confiar. Desenvolver a intuição permite-nos criar uma verdadeira ligação com a nossa natureza espiritual e passamos a ser mais espirituais em tudo o que fazemos. Por norma, as pessoas que são bem-sucedidas na vida ouvem muito a sua intuição, é o seu GPS interno que as guia para tomarem as decisões certas.


Tal como os médicos e cientistas trabalham arduamente para fazer progressos nas suas descobertas, também o mundo espiritual nos apresenta infinitas possibilidades que não conhecemos. Desenvolver a intuição é, portanto, um caminho bonito, mas que requer perseverança e humildade, pois ninguém pode saber tudo e temos de ter noção de que não podemos ter acesso a tudo.

À medida que vamos conhecendo o mundo da energia que nos rodeia e que faz parte de nós, mergulhamos mais profundamente no nosso interior, pois a nossa intuição para além de nos dar informação relevante e guiar, também nos liga a Deus ou ao Universo. Estamos numa jornada de aprendizagem e, à medida que evoluímos, também a nossa intuição se desenvolve.

Quando aceitarmos que somos energia espiritual, ficamos alinhados com a vontade divina tanto no mundo terreno como no espiritual. Assim que caminharmos em direção a Deus com o coração preenchido de amor e de verdade, estaremos a cumprir a nossa missão na Terra. Aquilo a que chamamos intuição é o nosso guia para a ligação divina conosco mesmos, com os outros e com Deus. A nossa intuição é autêntica, pois ela guia-nos para quem realmente somos e para aquilo de que precisamos na vida. Podemos chegar ao nosso potencial máximo, se soubermos ouvir e seguir a nossa intuição.

Há uma força universal, uma energia inteligente, que está dentro de nós e funciona como uma sabedoria, um saber interior. É um sentir próprio a cada um de nós que nos diz o que está certo ou errado a cada momento. Na maioria das vezes, ouvir a intuição não é ter uma experiência mística, mas trata-se sim de ouvir a nossa voz interior, que nos orienta para lidar com os problemas, desafios ou tomar decisões importantes.

Os cinco sentidos e a intuição

A intuição está ligada ao nosso sexto sentido, que é tão importante como os outros cinco: conseguimos tocar, cheirar, saborear, ver e ouvir, assim como conseguirmos usar a nossa intuição, que surge da terceira visão ou sexto sentido. Todos esses sentidos fazem parte de nós, ainda que não paremos para pensar neles, muitas vezes. A nossa intuição é tão importante para nós como os cinco sentidos físicos, que nos ajudam a interpretar o mundo físico e material. A terceira visão ajuda-nos a interpretar o mundo espiritual e energético. Usamos a nossa intuição para descobrir a nossa verdade pessoal e o nosso caminho de alma, é através dela que o nosso caminho de vida nos é revelado.

O corpo energético: intuição ou imaginação?

Tal como nos disse Albert Einstein, a imaginação é mais importante do que o conhecimento. A intuição usa a imaginação para comunicar com o nosso “eu consciente”. Quando somos crianças, por exemplo, a nossa intuição guia-nos a criar um futuro que nos dará a oportunidade de sermos felizes.

Uma criança, ao imaginar que está a construir uma casa ou que é cantora, está a usar a sua intuição para ver vários aspectos dela mesma e testar as possibilidades que a farão feliz. Através daquilo que parece sonho ou fantasia, a alma guia a criança a escolher o seu caminho de vida. À medida que envelhecemos, a nossa intuição é substituída pela lógica e pela razão. Temos tendência a camuflar a nossa voz interior, embora ela continue a operar através daquilo a que erroneamente chamamos “coincidências”.

Não há coincidências, pois tudo aquilo que nos acontece tem um motivo para tal. Pensamos num amigo que não vemos há muito tempo e ele liga-nos logo depois. Encontramos pessoas em lugares em que não as esperávamos. Perdemos um emprego, mas arranjamos outro melhor, onde até conhecemos a pessoa com quem nos vamos casar mais tarde. Estamos preocupados com alguma questão e alguém nos traz uma mensagem especial ou lemos ou ouvimos uma resposta àquilo que procuramos. Tudo tem um motivo.

À medida que tomamos consciência dessas sincronias nas nossas vidas, começamos a aperceber-nos da presença silenciosa e divina a guiar-nos. É uma parte de nós que está a funcionar corretamente, é o sexto sentido. Quando não seguimos a nossa intuição, podemos tornar-nos pessoas infelizes, com vícios, estados depressivos e até ficarmos doentes. Aprender a ouvir a nossa voz interior, a nossa intuição, ajuda-nos a sermos mais felizes. Ouvir a nossa intuição permite-nos realizar o nosso potencial.

Como abrir a terceira visão?

  • Cultivar o silêncio.
  • Meditar com a visualização da cor violeta ou índigo.
  • Ser criativo.
  • Manter um diário dos sonhos.
  • Ouvir música de ondas teta.
  • Usar óleos essenciais e cristais.
  • Fazer reiki.
  • Ter uma alimentação vegetariana.
  • Amar a vida e a si próprio.
  • Ter pensamentos positivos.
  • Cultivar boas ações.

É importante clarificarmos a mente e esvaziá-la para podermos ouvir a nossa intuição. De outra maneira, podemos ser influenciados pelo medo, pela ansiedade e pela vontade de ouvirmos as respostas que queremos. Com uma mente limpa, podemos receber as mensagens certas para tomar decisões importantes. Se a nossa mente estiver confusa, então iremos receber mensagens confusas.

É fundamental cultivarmos o equilíbrio interior.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Maël BALLAND/Pexels.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.