5min. de leitura

A lenda indiana da Flor de Lótus

As lendas são histórias clássicas passadas de geração a geração que buscam nos transmitir algum tipo de conhecimento, incentivando a autorreflexão e despertando em nós sabedoria e uma maneira mais profunda de enxergarmos a nós mesmos e o mundo ao nosso redor.


Abaixo trazemos uma clássica lenda hindu que explica a origem da Flor de Lótus e nos faz refletir sobre o poder de criação que vem a partir da união e da combinação de forças e virtudes. Leia com atenção.

Em um dia, os quatro irmãos Fogo, a Terra, a Água e o Ar se reuniram para compartilhar um tempo juntos, em um lago tranquilo cercado por belas árvores e coloridas flores.

Raramente tinham tempo para se encontrar, pois eram todos muito ocupados com seus ofícios, mas a água os lembrou de que tinham uma missão importante, cumprir a lei divina, e que por mais que seu tempo fosse limitado, este era um trabalho sagrado, deveria ser um prazer.

Então, começaram a compartilhar um com o outro tudo aquilo que tinham feito durante os últimos tempos. Estavam muito felizes com suas contribuições para a obra divina.  No entanto, todos repararam que o homem estava se comportando com ingratidão e violência, desvalorizando todos os milagres ao seu redor. Ainda assim, decidiram não castigá-los e focaram nas coisas positivas.


Antes de retornarem às suas funções, os irmãos concordaram que deveriam deixar ao planeta algo que simbolizasse essa união e encontro. Pensaram em criar algo juntos, que representasse a contribuição de cada um dos elementos, combinados com harmonia e beleza. Então, sentados à beira do lago, deram sugestões até que uma foi aceita por todos, eles poderiam usar o lado como origem desse presente.

Depois de muito pensarem, decidiram criar uma planta com raízes rente à terra, que crescesse pela água e chegasse à plenitude do ar. Cada um contribuiu com o seu dom para a criação da planta.

A Terra foi a primeira a falar: “Darei o melhor de mim para alimentar suas raízes”. Depois foi a vez da Água: “Fornecerei a linfa que corre em meus seios, para trazer-lhe força para o crescimento de sua haste”. O ar se inspirou: “E eu lhe cercarei com minhas melhores brisas, dando-lhe minha energia e atraindo sua flor”. Então o Fogo, finalizando a distribuição de dons, disse: “Ofereço o meu calor, através do sol, trazendo-lhe a beleza das cores e o impulso do desabrochar”.


Depois disso, os irmãos se começaram a trabalhar juntos em cada detalhe de seu presente para a Terra. Ao terminarem, seguiram seu caminho com muita alegria, satisfeitos com sua criação. Deixaram sobre o lago, a flor que se abria para o sol nascente. Ao invés de uma punição, deixaram uma lembrança aos seres humanos, que os lembrava da pureza da criação e da perfeição que um dia os homens poderiam alcançar, se seguissem seus caminhos com retidão.

Quando eles se separaram, a flor, chamada de Lótus reinou no lago com sua beleza ímpar.

E essa é a lenda da criação da Lótus, a flor encantadora e pura, que mantém sua luz e esplendor até mesmo nas piores circunstâncias. Ela é um símbolo da união e um exemplo para todos nós.

O que achou da história? Já conhecia? Compartilhe sua opinião nos comentários abaixo!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: elwynn / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.