Reflexão

A mulher de 40 anos é 8 ou 80, sem jogos, sem rodeios

Capa A mulher de 40 anos e oito ou oitenta sem jogos sem rodeios

Ela já tem maturidade suficiente para saber o que quer, e mais importante ainda: o que não quer!

O título deste texto pode lhe parecer bastante familiar, pois quem nunca ouviu uma conversa sobre como mulheres mais velhas não têm tempo a perder, não é mesmo?

No imaginário coletivo, é como se ao atingir os 40 anos, uma chave virasse na mente dessa mulher e suas prioridades fossem redefinidas. Quem dera se fosse tão simples assim!

O que ocorre não é um alinhamento de planetas, uma repentina mudança de atitude, alguma força desconhecida que age nas mulheres de 40 anos. Não, é algo muito mais do plano da realidade do que do sobrenatural: a realidade bate à porta com força.

Temos essa ideia de como nossa vida deveria ser aos 40 anos, principalmente para as mulheres. Muitas vezes, essa visão de futuro inclui uma casa para chamar de sua, uma carreira bem-sucedida numa área de sua preferência e até a constituição de uma família. E caso uma mulher chegue aos 40 sem ter conquistado ao menos uma parte desses planos, ela certamente fará uma pausa para reavaliar sua trajetória até ali e o que a impede de conseguir o que quer.

Ou seja, essa “súbita” mudança de atitude das mulheres aos 40 anos não vem do nada, mas sim de uma profunda reavaliação de sua vida.

Mulheres aos 40 anos sabem o que querem, pois mesmo aquelas mais protegidas, que não tiveram ainda que batalhar pela sua independência, já viveram tempo suficiente para se reconhecer: ou amam ou detestam, e deixam isso bem claro.

E essas atitudes não querem dizer que elas estão desesperadas para não perder tempo nessa idade, como muitos dizem, afinal, para algumas pessoas, a mudança de atitude de mulheres na casa dos 40 se dá apenas para terem sucesso na vida afetiva, principalmente no que se refere à maternidade. Como se esse fosse o único motivo para querer mudar algo nessa idade.

Sejamos francas, independentemente da idade, todas em algum momento amamos “desperdiçar” nosso tempo com as pessoas que amamos e em situações que desejamos. As ações mais certeiras dessas mulheres não são tão pautadas na perda de tempo, mas em aproveitar seu tempo nesta fase mais madura.

Perder tempo é inevitável, mas com o passar dos anos, aprendemos maneiras mais gostosas de viver isto. Sim, aos 40 anos, independentemente dos seus objetivos, as mulheres são mais diretas, do tipo 8 ou 80.

Embora alguns ainda enxerguem essa idade como o “começo do fim”, em que elas devem começar a se preparar para assumir apenas os postos de mãe e cuidadora, a verdade é que aos 40 elas ainda têm muito o que viver. E para aquelas que passaram a maior parte da juventude batalhando pelo que queriam, agora é a oportunidade de ter as experiências que nunca antes puderam viver.

Aos 40, elas ainda podem começar um novo curso, trocar de profissão, ser mãe ou não ser, falar o que pensam, repaginar o visual e mudar de ideia quantas vezes quiserem. E com sua maturidade, aquela que só vem com o passar dos anos e das experiências, todas essas aventuras terão um sabor intenso e diferente; elas terão a certeza de quem são ou quem querem ser, de onde vieram e para onde podem voltar, de uma forma tão clara, que jamais alguma jovem na casa dos 20 anos poderia ter.

Se sua intenção não é somar e seguir lado a lado nessa caminhada intensa que uma mulher de 40 anos está enfrentando, então nem se dê o trabalho de incomodá-la!

Com a idade, vem o autoconhecimento, e com ele, a confiança para que ela saiba que merece mais e que ninguém pode viver sua vida, senão ela mesma!

0 %