4min. de leitura

A paz é um abraço que a alma te dá

Das coisas recentes que a vida me ensinou, a mais importante é que a paz e a minha saúde mental são as maiores riquezas que posso ter.

Cada um sabe o que lhe traz paz. Eu costumo senti-la quando estou de frente para o mar. Vejo a imensidão de água e penso o quanto somos pequenos diante da grandiosidade do mundo e de quem o criou. Se ainda assim, apesar da nossa pequenez, respiramos e temos vida, é certo que há um plano para nossa existência e imagino que a paz seja parte importante dele.


Só valorizamos a tranquilidade de espírito por causa das guerras com as quais lidamos. Os conflitos diários são lições para que sejamos pessoas melhores. O problema é que nem todo mundo entende o recado. O egoísmo e a individualidade não nos fazem avançar. Preciso dizer que não devemos viver em bolhas.

São tempos difíceis os atuais. É momento de união e de entender o outro. A empatia nunca foi algo tão representativo.

Há pessoas que gostam de tornar a vida de outras um verdadeiro inferno. Isso é desumano! É pobreza de espírito. Cada um de nós já lida com infernos pessoais todos os dias, não precisamos de contribuições de terceiros. Ninguém realmente sabe ou entende as dores na alma que você sente a cada manhã, antes de sair da cama. Apenas você. Você e Deus. Você ou aquilo na qual deposita a sua fé.

Somos seres de relacionamentos. Apesar de aprendermos muito nas adversidades, a paz é um estado de espírito muito necessário. É por causa dela que valorizamos o silêncio, que refletimos e que podemos digerir as lições da vida.


Eu procuro por pessoas que me tragam paz. Já somos cercados por muitos que gostam de desconstruir, temos que chamar para perto quem gosta de construir.

Existem alguns que não se deixam contaminar pelo pessimismo e pela cultura do ódio. São promotores da paz.

Das coisas recentes que a vida me ensinou, a mais importante é que a paz e a minha saúde mental são as maiores riquezas que posso ter. Gostaria de estar de frente para o mar enquanto escrevo este texto, mas estou em minha casa, no meio da metrópole, em um domingo de céu bem cinza. Mas ela está aqui. Veio trazida pela calma dos que eu deixei entrar em minha vida.

Por mais que problemas batam à porta, não é sensato que os deixemos entrar. Muitas coisas, nós devemos resolver da porta para fora.


Aquilo que nos faz bem deve fazer morada. É o caso da paz, que é um abraço que a alma nos dá. É aquela sensação de que tudo silencia para que nosso espírito tenha refrigério.

Temos que ser mais seletivos com quem deseja fazer parte das nossas vidas. Reavalie quem merece ser chamado de “amigo”. É para o seu próprio bem.


Direitos autorais da imagem de capa: Jon Asato/Unsplash.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.