A preguiça que nos faz melhores



Preguiças existenciais. Preguiça de estar provando que está tudo bem. Preguiça de ver as coisas como estão e ter que mudar o que o outro não consegue perceber.

A gente até chora por preguiça. Sim por que às vezes não queremos ir, ou ficar. Outras, queremos silêncio, temos preguiça de falar o que em certos momentos o outro não ouve ou não quer ouvir.

Quanto aos sonhos, corremos atrás deles porque temos preguiça de permanecer onde estamos, é uma vontade misturada com desejos. A preguiça nos afeta pelo bem e pelo mal.

Ela pode nos instalar no vazio. Não queremos o tempo todo ter opinião, nem grandes ideais. Vamos nos tornando desinteressantes. Mas nem sempre queremos ser interessantes. Isso cansa.

Quando a gente se cala, não se manifesta, é a preguiça de tentar querer convencer, argumentar, avisar, explicar. O silêncio pode ser transformador através da preguiça.

A gente sabe que vai cansar e pode não surtir efeito. E isto pode nos entristecer, deprimir. Mas pode ser transformadora no sentido de nos livrar de coisas, assuntos, de perdoar e relevar por preguiça de carregar peso.

O mundo deveria ter preguiça de levar as coisas tão a sério, de se importar com o que os outros dizem sem fundamento, de querer ter razão o tempo todo.

A vida seria mais leve, menos chata com esta questão de todo mundo precisar falar, argumentar, ser ouvido. Há uma contemplação do lado bom da vida quando nos esquivamos de energias que trabalham para levar o nada para lugar nenhum.

Você já sentiu falta de vontade de rezar, meditar, concentrar-se e ficar em contato íntimo com o Universo?

É normal, neste instante a gente precisa entender que fazer esforço vai contra o fluir das coisas.



Pense, fale, mentalize o necessário. A vida por si só vai costurando as coisas se admitirmos que queremos permanecer no fluxo, mas também precisamos relaxar do querer estar alerta o tempo todo.

Qual a dose certa dessa preguiça de coisas da vida?

Talvez não exista uma medida, mas a gente pode perceber pelo outro lado, pela disposição de estar aberto para fazer e acontecer quando realmente valer a pena e com aqueles que valem a pena.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / antonioguillem






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.