A sua paz vale ouro – Augusto Cury

“Toda pessoa egocêntrica, individualista e egoísta é autopunitiva, não é feliz”, uma frase muito sábia dita por Augusto Cury em um vídeo publicado recentemente em seu Instagram.

Convivemos com muitas pessoas diferentes em nosso dia a dia, muitas são nossas amigas e escolhemos tê-las por perto, mas outras apenas suportamos, porque estão inseridas em algum círculo do qual dependemos em algum nível, seja no trabalho ou até mesmo na família.

Encontramos muitas boas pessoas em nosso caminho, que nos trazem alegria, completude e nos ajudam a enxergar a vida com mais bondade e maturidade. No entanto, muito frequentemente, também nos relacionamos com pessoas negativas, que são rudes, egoístas, maldosas e se comportam como se fossem donas do mundo, ditando regras a todos ao seu redor.

Nossa primeira – e geralmente única – reação é nos afastarmos rapidamente de sua companhia, bem como também comentarmos com as pessoas ao nosso redor sobre sua má conduta. Raramente, no entanto, paramos para refletir sobre os fatores que podem ter motivado a pessoa a desenvolver este posicionamento diante da vida.

Augusto Cury nos convida a pensar sobre isso quando diz “por detrás de uma pessoa que fere, sempre há uma pessoa ferida”. 

Isso significa que esse comportamento de frieza, superioridade e egoísmo pode ser um mecanismo de defesa, uma maneira que a pessoa encontrou para lidar com todo o mal que já sofreu, com todas as vezes em que foi enganada, maltratada ou rejeitada por aqueles ao seu redor.

Ainda que nós, que hoje convivemos com ela, não tenhamos nada a ver com todo o seu histórico de dor e solidão, também somos alvo de seu comportamento, e por mais que isso seja revoltante, ao invés de sairmos espalhando coisas ruins sobre ela aos quatro ventos, devemos praticar a empatia, tentar compreender que nem todos sabem lidar muito bem com a vida e com aquilo que ela coloca em nosso caminho.

Uma atitude diferenciada pode fazer toda a diferença. Tratar com amor e gentileza alguém que nos trata com indiferença é uma ótima maneira de demonstrar maturidade, disponibilidade em ajudar, e pode ser tudo o que o outro precisa para enxergar as pessoas e o mundo com outros olhos.

Não é nada fácil conviver com os traumas passados e com as bagagens emocionais de uma vida complicada, e muitas vezes nos tornamos exatamente aquilo que lutamos contra durante toda nossa vida, mas quando temos por perto pessoas que nos respeitam acima de tudo e estão dispostas a nos tratar com bondade e nos oferecer sorrisos mesmo em meio aos nossos gritos, percebemos que ainda vale a pena trabalhar para sermos alguém melhor.

“Nunca se esqueça, você tem de valorizar cada ser humano que está ao seu redor. Se você o fizer, mesmo àquelas que te decepcionam, você não vai vender a sua paz por nada e por ninguém, ela vai valer ouro”, diz Augusto Cury, e isso é a mais pura verdade.

Quando aprendemos a valorizar todos aqueles em nossas vidas, mesmo com os seus defeitos, deixamos de perder a nossa paz por aquilo que não vale a pena. Passamos a olhar a situação com mais amplitude e a oferecer bondade ao invés de desprezo, apoio ao invés de distância.

A sua paz vale ouro, e ela está completamente ligada à forma como você reage a tudo que acontece em sua vida diariamente.

Preserve a qualidade da sua vida aprendendo a reconhecer e valorizar todos aqueles que estão próximos a você, eles certamente têm uma grande lição para lhe dar e quando você a aprender, a realidade de sua vida será outra!

Clique no link e assista ao vídeo completo de Augusto Cury sobre o tema.

Se gostou do texto, não deixe de comentar e compartilhar com seus amigos nas redes sociais!




Deixe seu comentário