4min. de leitura

A totalidade do cérebro e o caminho do meio

O Cérebro possui dois hemisférios, esquerdo e o direito, é bipartido, portanto, é polar. Ambos são interligados pelo corpo caloso. 

O Hemisfério esquerdo está relacionado ao raciocínio, à análise, ao cálculo e à leitura. Ele comanda o lado direito do corpo devido às vias nervosas se cruzarem na medula. Agrega-se ao yang do símbolo do T’ai Chi, o masculino, é ativo, é a eletricidade, o Sol, o dia e a externalidade.


O Hemisfério direito se relaciona ao todo, à unidade do mundo, à arte, às percepções sutis, à contemplação e às vibrações. Agrega-se ao yin, é a feminilidade, é passivo, o magnetismo, a Lua, a noite e ao interno.

Se observar o símbolo do yin e yang do T’ai Chi, verá que ambos os lados se complementam, as polaridades existem por expressarem um todo.

O lado esquerdo do cérebro predominou no Ocidente, a unilateralidade causa um desequilíbrio tanto a nível interno, quanto externo. Perceba o quanto o individualismo predomina, a ciência sem ética e nem espiritualidade e a ilusão da separação entre o Eu e o Outro, ocasionando oposições e guerras.


O lado direito predominou em países do Oriente, diversas culturas valorizaram a contemplação interior, a simplicidade e a união, o que trouxe maior clareza sobre a unidade e a iluminação. Porém, para muitos ainda prevaleceu a unilateralidade, ocasionando vivências precárias e passivas.

O Cérebro de Einstein foi estudado e analisado por cientistas chineses que se surpreenderam quando viram que o corpo caloso do físico era altamente desenvolvido e fora do comum. 

A Neurocientista Jill Taylor passou por uma experiência fantástica quando teve um derrame no hemisfério esquerdo, ela vivenciou uma experiência transcendental devido a predominância do hemisfério direito e a falha do esquerdo, ela relatou que tudo estava interligado em um enorme campo de energia. Segundo ela e muitos estudiosos, o lado esquerdo é onde se localiza o ego, e ao transcendê-lo, entramos em contato com nosso Eu Superior, citado em diversos preceitos filosóficos e doutrinas espirituais.

Ocidente e do Oriente se complementam, é preciso harmonia, o ponto central da Mandala.


Como disse o médico alemão Rüdiger Dahlke: “O intelecto não é mal ou culpado, ele apenas não é tudo. A solução está no meio, entre o leste e o oeste, entre o norte e o sul.”

Portanto, não é à toa que o coração humano se localiza no centro do corpo, e é destacado na maioria das religiões. De acordo com a filosofia yogue, é onde fica localizado o Chakra Cardíaco responsável pelo amor incondicional e o equilíbrio.

E o mais curioso é que ele se desloca sutilmente para a esquerda, relacionando-se com o hemisfério direito do cérebro onde rege a totalidade. 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: nerthuz / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.