4min. de leitura

A vida começa num play, vira replay, até você clicar no pause

Tudo é harmonia e equilíbrio. Os modernos falam: pense fora da caixa. Eu proponho: pense sem a tal caixa. O planeta seria redondo se a maioria das pessoas não fossem quadradas.

Desde muito cedo, somos educados com o objetivo de fazermos parte do contexto de uma sociedade. A evolução individual depende da aquisição do conhecimento vinda de vários campos. Ainda crianças, engatinhamos em palavras, números e infinitas dúvidas. Caminhando, aos poucos, descobrimos a cada dia como o mundo funciona.


A gente tem que estudar infinitas áreas, disciplinas, fazer testes e provas para provarmos se somos capacitados para qual propósito? São centenas de pensadores que colocam o seu ponto de vista na mesa há séculos, e somos alimentados pela grandiosidade de suas palavras, textos, conceitos, etc.. E assim, a grande maioria treina sempre para acreditar nos padrões que estão por aí, espalhados em mentes que seguem regras de cultura, de vida, de mundo, de família, enfim. Não estou dizendo para quebrar as regras. Melhor regá-las, nem com muita ou pouca água.

Tudo é harmonia e equilíbrio. Os modernos falam: pense fora da caixa. Eu proponho: pense sem a tal caixa. O planeta seria redondo se a maioria das pessoas não fossem quadradas.

A vida é um play, desde o nosso nascimento. Existem aqueles que continuam tocando a mesma música por repetidas vezes, e são felizes assim.

Outros chegam a um replay e dão um pause – querem provocar mudanças, sejam essas interiores e/ou exteriores, pois algo dentro deles fala mais alto, e o que incomoda é posto para fora, aos gritos. Se uma ideia brilhante é provocada, a vida passa a ser vista por novos olhares. Eu digo isso porque vejo que existem pessoas que se acostumam com o seu próprio mundo e outras não se contentam com o seu universo.


Amo ver a garra, o potencial, a coragem, a ousadia, o querer superar os limites (sejam esses físicos ou mentais), fazendo assim uma interferência no plano em que vivemos.

O dia a dia é perfeito para uns, e chato para outros. Pessoas detestam a segunda, a terça, e amam a sexta, o sábado, domingo. Eu não entendo porque tais dias são diferentes dos outros.

Eu mesmo prefiro viver sem relógio. Essa padronização de horas já impõe um limite que aos poucos se torna desgastante. Não é que não precisemos seguir as horas. Em muitos momentos, elas se fazem essenciais. Mas seguir o tempo como se ele fosse o padrão do ser humano, é acompanhar o repeat do alarme do amanhecer e da hora de dormir. Tá bom, seguimos a natureza, e até os animais vivem assim. Verdade. Eu prefiro viver sem saber se amanhã chove ou faz sol. A vida é tão complexa e cheia de compromissos que você vive dentro dela ou foge dela. Eu prefiro ver o sol nascer à noite e a lua aparecer num amanhecer. Quando parei para pensar em tudo que já fiz até este exato momento, sinto que deixei para trás outros caminhos, e se a escolha foi certa ou não, só Deus tem o poder de confirmar.

Siga a sua intuição e o seu sorriso. Viver por viver é vegetar. Saber viver é reviver o que podemos colher de melhor, seja este de um toca-fitas ou de uma vida. 



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / dimaberkut





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.