6min. de leitura

A VIDA É MUITO CURTA PARA FICAR NO TRABALHO ERRADO

A vida é muito curta para ficar no trabalho errado, investir tempo e esforço em algo que nos leva longe do bem-estar e identidade social, nos conduz a uma clara infelicidade ou nos faz sofrer de estados de ansiedade e frustração.


Nós todos sabemos o quão complexo é ter o “emprego dos sonhos”: o que nos identifica e para o qual nos formamos. Na verdade, na maioria dos casos nos conformamos em ter um “trabalho”, porque, no momento, os modelos sociais e econômicos mudaram de tal forma que a demanda por mão de obra não corresponde com a oferta.

“Se conseguirmos dedicar nossas vidas ao que gostamos, vamos ganhar energia e vitalidade: não há maior sensação de plenitude do que ganhar a vida fazendo aquilo que ama.”

É bem possível que muitos de nós tenhamos agora um trabalho que, embora nos permita sobreviver, mergulha-nos em uma sensação de apatia e desesperança.


Te convidamos a pensar sobre isso.

A experiência de viver com o trabalho errado

Muitos de nós podemos acumular um trabalho errado após o outro, até que finalmente encontramos o trabalho que nos identifica e nos faz feliz. Mas a parte mais difícil será investir todo o nosso ciclo de trabalho em uma tarefa ou atividade, que ao invés do nos fazer crescer como pessoas, nos traz uma grande frustração.

No entanto, de acordo com um estudo realizado pela “University of Rhode Island” nos Estados Unidos, as pessoas podem ter um emprego, que apesar de não ser o indicado para a formação, as faz sentirem-se felizes sobre si mesmas: satisfeitas. A satisfação no trabalho se mostra no desempenho e qualidade de vida.



Consequências de ter um trabalho que não nos identifica

  • O sentimento de não contribuir em nada, nem no próprio local de trabalho, nem na sociedade e muito menos para si mesmo.
  • Um trabalho errado nos causa frustração, estresse e uma má qualidade de vida, o que tem um impacto sobre nossos relacionamentos pessoais.
  • Sentir-se preso, sem se mover em qualquer direção.
  • Falta de reconhecimento dos próprios agentes de trabalho: falta de suporte organizacional para o trabalho que realizamos.
  • Pode ser que enfrente uma queda na autoestima ao ver que grandes esforços produzem poucos resultados, e negativos. Tanto economicamente e pessoalmente.

A união entre a capacidade e dedicação para encontrar o emprego dos sonhos

Sabemos que não é fácil encontrar o trabalho de nossas vidas, ou pelo menos um que nos faz sentir-nos bem, felizes com nós mesmos e o que trazemos para a sociedade. De alguma forma, somos forçados a nos adaptar a um ambiente em mudança, ou, pelo menos, oferecer algo novo que vai acabar sendo processado pelo ambiente.

Não é algo fácil de conseguir, nós sabemos, e, portanto, vale a pena refletir sobre estes aspectos interessantes que o educador e professor Sir Ken Robinson nos deixou em seu livro “O Elemento”.


Se você não aprende a equivocar-se, nunca pensará em algo original

Trabalhos equivocados têm seu lado positivo: você consegue descobrir qual o seu limite, o que está disposto a aceitar e o que não.

Outro aspecto a considerar é que devemos aceitar os nossos erros e limitações. Eles são um convite a mudar, a aproveitar de maneiras mais realistas e criativas nossas faculdades.


A criatividade é a inteligência aplicada

Ser criativo – no mundo laboral – supõe oferecer um produto diferente e valioso que pode servir aos outros. No entanto, tenha em mente que você precisa ser criativo para se manter ativo, ser muito receptivo ao meio ambiente, reflexivo e se conectar conisgo mesmo e tudo ao seu redor.


O que determina a sua vida não é o que te acontece, mas o que você faz com o que te acontece

A forma como nós respondemos a estas situações difíceis é o que vai determinar o nosso curso.

Você pode ter sorte em um ponto, sem dúvida, mas ela deve ser aproveitada, como os momentos de adversidade. Longe de ficar parado, você tem que estimular a intuição, oportunidade, reformular ideias, perspectivas e até mesmo valores.

“O extraordinário acontece quando saímos da rotina, no momento em que, finalmente, reconsideramos nosso caminho e recuperamos as paixões que nos identificam e podem nos levar a novos horizontes.”

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.