A VIDA É MUITO CURTA PARA VIVER OS PLANOS DE OUTRA PESSOA

Dizem que a vida é curta, que passa em um flash e que quando percebemos estamos vivendo além das memórias do que acontece ao nosso redor.

E a verdade é que apesar de temermos a fugacidade de nossa existência, o que realmente nos assusta não são os erros, as quedas, e muito menos as vezes em que nos perdemos ao longo do caminho. O que nos assusta é uma vida não vivida, ou até mais, sujeitarmos nossos dias aos planos e sonhos de outras pessoas.

“Eu não estou neste mundo para atender às expectativas de ninguém, e ninguém está nesse mundo para atender às minhas. Somos duas pessoas que colidiram em um encontro maravilhoso e que juntas constroem um caminho comum na vida, harmonizando sonhos, planos e objetivos.”

Às vezes, demora bastante para percebermos que a nossa vida não nos faz felizes. A princípio nos deixamos levar, talvez por amor, talvez por esperanças e ilusões que, gradualmente, se mostram como falsidade. Algo que uma vez nos prometeram e nunca cumpriram.

Há muitas maneiras de transformarmos nossas vidas por conta de outras pessoas. Às vezes, são familiares, outras vezes parceiros … Sejam quer for, é algo que não devemos permitir.

Porque poucas coisas são tão pessoais e distintivas como o modo através do qual queremos viver nossa vida. E ninguém deve colocar isso em moldes, âncoras ou fazer-nos de fantoches.

Se você vive a vida dos outros, deixa de ser você

Você é seus valores, seus sonhos de ontem e desejos de hoje. Você é suas escolhas, suas ilusões da manhã e tristezas da tarde. Você é o que já realizou e o que resta para alcançar … Como, então, permitir que outros borrem a sua identidade?

“Você pode perder seu orgulho por amor, pode colocar de lado seus sonhos pelos sonhos de alguém se quiser, mas você nunca, nunca deve permitir perder a sua dignidade por qualquer pessoa.”

É necessário andar nessa estrada chamada vida da maneira mais simples possível: em liberdede, sem pesos no coração, sem ruídos na mente.

Não devemos temer a vida, temos que nos divertir com alegria e satisfação.


Quando seu dia está pautado pelo universo pessoal de outra pessoa

Algumas pessoas assumem, sem saber muito bem o motivo, o papel de regente em um relacionamento. A outra pessoa não pode fazer nada além de girar-se como um satélite em torno de um planeta.

E, no princípio, fazemos isso por amor, porque definimos algumas ilusões e porque, durante um tempo, somos incapazes de ver os detalhes que constroem uma realidade inconveniente.

  • Algumas pessoas precisam ter o controle como quem teme que seu castelo de cartas desmorone.
  • A necessidade obsessiva de controle esconde baixa autoestima, que se torna autoritarismo e inflexibilidade. Respeitar a vontade dos outros e seus espaços pessoais supõe correr o risco de perder essa pessoa.
  • Ser quem dita as decisões, quem escolhe, quem assume, aceita ou rejeita ofertas reforça uma autoestima que é incapaz de retribuir para com os outros.

A vida completa, autêntica e feliz não busca prisioneiros: ninguém pertence a ninguém

Não se trata de manter uma vida independente sem vínculos, sem relacionamentos significativos e alguém do nosso lado. É estar ciente de que não devemos considerar qualquer pessoa como nossa propriedade. Ninguém pertence a ninguém.

“Ninguém deveria ser dono de felicidade, porque a felicidade não se possui, é criada como a brisa nas noites de verão ou nos oceanos marinhos. A felicidade é um tesouro que você não deve deixar em contato com o capricho egoísta dos outros.”


Me liberto daquela vida que os outros criaram para mim

Há momentos em que os contextos familiares, como mães ou pais possessivos, também moldam situações nas quais acabamos vivendo vidas alheias que os outros criam para nós. Relações emocionais e conjugais são uns destes territórios comuns, onde acontecem estes tipos de dependências e restrições críticas.

  • Para vivermos uma vida feliz e gratificante não devemos “atar-nos” a uma ou mais pessoas. É melhor nos ancorarmos a um objetivo: a felicidade. Porque é esse objetivo que irá dizer quem nos merece e quem não. E quem te faz sofrer não te merece.
A vida não se sonha ou espera em uma janela, enquanto outros ditam-nos o que fazer e o que não fazer. A vida é risco e coragem, a vida acontece além da zona de conforto e das prisões a nós impostas.

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa



Deixe seu comentário