Pessoas inspiradoras

Abandonada ao nascer, mulher supera acidente, coma, tumor e vira programadora de sucesso

Marta tem uma história inacreditável, que envolve muito esforço e superação, além de mostrar que fazer o bem e ajudar o próximo podem ser a melhor forma de nos sentir melhores.



Algumas histórias que conhecemos são dignas de filmes ou livros, de tão impressionantes que podem ser, trazendo reviravoltas e muito drama. Assim é a história de Marta Jesus Silva, que nem de longe é simples, mas que mostra o tamanho da força e garra de uma mulher, principalmente quando encontra algo capaz de mudar completamente sua vida.

Segundo relato para a Marie Claire, Marta diz que nasceu de fórceps, fazendo com que seu crânio se rachasse. O acidente foi tão grave, que sua mãe acreditou que ela tivesse morrido e a abandonou ali mesmo, na maternidade, sem nunca voltar.

Mas ela sobreviveu, e como havia sido abandonada, morou no hospital até completar 2 anos, quando sua avó, que nunca se conformou com aquela história, foi lá ver o que lhe tinha acontecido.


Marta então viveu um pouco com a avó e um pouco com uma família adotiva, que oficializou tudo quando ela chegou à adolescência. Com quatro irmãos, ela se adaptou rapidamente à vida em conjunto. Seu pai era muito exigente com os estudos, o que a levou a conhecer eletrônica, robótica, hidráulica e se apaixonar.

A vida universitária começou aos 16 anos, quando foi aprovada em engenharia mecatrônica na USP, mas ela sempre sentiu que faltava algo, e nunca conseguiu se adaptar à rotina dentro das salas. Como era autodidata, foi mudando de curso até que chegou a ser jubilada. Aos 21 anos, seu pai a chamou para ser sua sócia na sua empresa de consultoria financeira, e assim passou os oito anos seguintes, prestando consultorias em locais importantes, como no Ministério da Educação e na Unesco.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Marta de Jesus Silva.

Sempre se considerou muito ativa e bem de saúde, mas num dia, num avião para o Rio Grande do Sul, sentiu forte dor de cabeça e acordou no hospital apenas 45 dias depois, em São Paulo. Ela não se lembrava do coma, estava com pneumonia, transtorno renal, crise hematológica, com anemia por deficiência de ferro, e havia chegado ali com falência múltipla dos órgãos.


Marta ainda ficou 30 dias internada, e os médicos não sabiam ao certo o que estava acontecendo com ela. O ano que se passou foi complexo e cheio de dor, era tanto sofrimento, que ela conta que passou a desejar ter o vírus HIV só para ao menos ter o diagnóstico de algo.

Foi quando descobriram que ela tinha lúpus eritematoso sistêmico, uma doença autoimune, que apareceu de maneira muito agressiva. Mesmo conseguindo reverter o quadro, sua vida não ficaria mais fácil. Três anos depois, os médicos descobriram um tumor no seu cérebro, consequência do lúpus.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Marta de Jesus Silva.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Marta de Jesus Silva.


Foram sete cirurgias ao todo, e ela chegou a viver quatro anos e meio em uma cadeira de rodas, pois quebrou o pé. Eram 42 comprimidos por dia, contra dor, para os rins, pulmões, asma, altos e baixos emocionais, para tudo havia um remédio, enfim a vida estava muito difícil. Mas Marta conheceu a ONG Passos Mágicos, foi ali que o sentido, o propósito da vida voltou a ser vislumbrado.

Marta sentiu sua vida voltar novamente quando começou a atuar como voluntária na ONG, e atualmente ela dá aulas de linguagem de programação e de robótica quatro vezes por semana; no restante do tempo, ela organiza conteúdos e busca soluções para que a vida das crianças fique ainda melhor. A programadora acredita que são as crianças que fazem com que permaneça viva, como se fossem sua energia vital.

Ex-doméstica supera dificuldades e se torna referência ambiental plantando mais de 25 mil árvores

Artigo Anterior

Após 24 anos de busca, pais encontram filho sequestrado quando era bebê!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.