Notícias

Adolescente suspeito de arremessar bomba e matar criança de 4 anos em Barretos, SP, é apreendido

Adolescente suspeito de arremessar bomba e matar crianca de 4 anos em Barretos SP e apreendido
Comente!

O adolescente de 14 anos suspeito de jogar uma bomba dentro de uma casa e matar a menina Aylla Manuella Ribeiro da Piedade, de 4 anos, em Barretos (SP), foi apreendido na tarde desta terça-feira (28) em Jaú (SP).

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Juliana Paiva, do 3º Distrito Policial, o menino estava na casa de familiares e se apresentou na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jaú depois de saber de um mandado de apreensão contra ele.

A delegada confirmou que o adolescente se encontra à disposição da Justiça na Delegacia de Infância e Juventude (Diju) de Jaú e deve passar por audiência de custódia.

Depois, o menino deverá ser encaminhado à Fundação Casa de Araraquara (SP), onde ficará internado provisoriamente por pelo menos 45 dias, conforme mandado expedido pela Justiça. Ele vai responder por ato infracional análogo a homicídio.

design sem nome 2

Direitos autorais: Reprodução.

Medo de represálias

Na segunda-feira (27), a delegada Juliana Paiva havia dito que a mãe do garoto se comprometeu a apresentá-lo na delegacia até sexta-feira (31), acompanhada de advogados.

O menino aparece nas imagens de uma câmera de segurança arremessando a bomba na direção da casa de Aylla.

Segundo a delegada, o adolescente sabia que dentro da residência havia pessoas e, mesmo assim, assumiu o risco de continuar arremessando o explosivo.

Ele não tinha passagens policiais, mas estava escondido desde sábado (25), data do crime, por medo de represálias e linchamento.

De acordo com o boletim de ocorrência, após a morte da menina, um grupo de 30 moradores incendiou a casa do suspeito, localizada no Jardim Oriente, por volta das 5h30 do domingo.

O imóvel, ainda de acordo com o registro policial, teve danos de grande proporção, mas não há informações de feridos.

A polícia, por meio de um inquérito, investiga se há relação entre o ataque e a morte da criança.

Vizinhos pediram para grupo não jogar bomba

Em depoimento à polícia, vizinhos e familiares de Aylla disseram que pediram para o grupo onde o adolescente estava parar de jogar bombas nas ruas.

Eles afirmaram que desde sexta-feira (24) os garotos estavam brincando com os explosivos.

No entanto, as solicitações foram ignoradas pelos meninos, que continuaram a brincadeira no sábado até o momento do acidente.

Após ser atingida no peito e na nuca pela bomba no quarto dela, Aylla chegou a receber atendimentos na Santa Casa na noite de sábado, mas não resistiu e morreu na madrugada de domingo (26).

O corpo dela foi velado em Barretos na segunda-feira e levado a Primavera (PA), onde foi sepultado.

Comente!

Ficar sozinho no Natal e no fim de ano não é de todo ruim

Artigo Anterior

Fernanda Lima diz que filho não é presente: “Tudo pra depois, quem sabe um dia, daqui uns 10 anos”

Próximo artigo