Notícias

Agnaldo Timóteo deixa metade da herança de R$ 16 milhões para filha de criação, e irmãos não concordam

1 4

Irmãos do cantor querem anular o testamento. Entenda!



No último 3 de abril de 2021, o cantor Agnaldo Timóteo faleceu aos 84 anos, por complicações da Covid-19, tornando-se mais um dos artistas do nosso país a perder a vida para a doença.

Sua partida, além da dor e da saudade, no entanto, tem gerado bastante polêmica após os irmãos do cantor não concordarem com uma de suas atitudes. Conforme contado pelo Extra, um mês antes do falecimento, o cantor fez um testamento, em que deixava metade do seu patrimônio, avaliado em R$ 16 milhões, para a filha de criação Keyty Evelyn, de 14 anos.

Keyty, que se tornou a sua maior herdeira, foi criada por Agnaldo desde os 2 anos. O testamento também explicava que os outros 50% de seus bens deveriam ser divididos entre dois afilhados (10% cada um) e dois dos seus seis irmãos.


O inventariante e tutor da menina de Keyty escolhido pelo cantor foi o seu advogado, Sidney Lobo Pedroso, de quem era amigo há 45 anos. No entanto, apesar do amor de Agnaldo pela menina, a adoção não chegou a ser formalizada enquanto o cantor ainda era vivo.

A adoção corre em segredo de justiça em São Paulo, embora o Ministério Público, provisoriamente, já tenha dado um parecer favorável para a guarda da menina, respeitando o desejo de que o advogado de Agnaldo seja o seu tutor.

2 4

Direitos autorais: arquivo pessoal.

A decisão do cantor sobre o destino de seus bens não agradou os seus irmãos, que querem pedir que o seu testamento seja anulado, sob a alegação de que ele estava confuso quando determinou a partilha de seus bens.


Sua irmã Ruthinete, inclusive, apresentou uma declaração de um médico afirmando que o cantor não era capaz de responder pelos seus atos, e pediu para que fosse nomeada inventariante do cantor, o que foi negado pela Justiça.

Sidney explicou que não recebe nada por ser tutor de Keyty, pois é voluntário, e que seu único interesse enquanto inventariante é que a vontade do amigo seja respeitada, e que ele a cuide até que complete 18 anos. No momento, a menor está em São Paulo.

Uma amiga íntima de Agnaldo, que frequentou sua casa por 25 anos, contou que Ruthinete tratou Keyty com descaso após a morte do cantor. Segundo ela, a irmã do artista ainda afirmou que “Keyty tinha vindo do lixo, e pro lixo ia voltar”.

Timotinho, que é sobrinho e ex-assessor de Agnaldo, explicou que os irmãos do cantor jamais aceitaram a menina, e que explicou que que se Ruthinete conseguir anular o testamento e for concedido a adoção póstuma da menina, a menina poderá herdar 100% dos bens do artista.


Jovem denuncia bilhete de vizinho criticando suas roupas: ‘Senti náuseas’

Artigo Anterior

O último desejo da professora emocionou a todos: “Não flores, mas mochilas cheias de material escolar”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.