4min. de leitura

Agradeço a você, tempo, por me dar o presente!

Olá, Tempo!

Hoje você está mais tranquilo, veio com calma nesse janeiro ameno; mas, às vezes, você está tão apressado que mal o vejo passar! Hoje, não; até se dispôs a um dedinho de prosa.



Mas pensando bem, não é você quem passa correndo, sou eu quem ando tão ensimesmada que não o tenho notado, vivo sempre tão preocupada ou distraída que quando percebo, você já se foi.

Andei pensando e percebi que estou sendo egoísta. Culpo-o por tudo o que não consegui fazer, lamentando tê-lo perdido, quando, na verdade, você me deu todas as chances. Fico cobrando-o para trazer-me tudo o que eu quero, mas você nunca faltou comigo e sempre me trouxe tudo o que eu precisava.

Queria aproveitar, então, e me desculpar: por sua causa, as coisas deram certo, e mesmo dando errado, você ainda me deu a oportunidade de aprender. Você me ensinou a ser persistente, a compreender o momento certo de desistir ou insistir; ensinou-me a ser paciente, a esperar, mas também me pôs para brigar, quando necessário.


Queria aproveitar, e agradecer: sem você eu não teria tantas lembranças e as fotos seriam só imagens na moldura. Sem você eu não teria rugas e o rosto no espelho seria sempre o mesmo. Seria monótono, seria cômodo. Seria incômodo viver todos os dias sendo a mesma pessoa.

Tempo, você é um grande amigo que me conhece desde criança e, graças a você, a tristeza virou saudade, o medo virou coragem, a dor virou força e a falta virou virtude.

Às vezes, ouço pessoas difamando-o, dizendo que você degenera as coisas, que você envelhece tudo ao seu redor, e que com o tempo as pessoas se esquecem. Acho injusto, querido Tempo, pois só você sabe contar as belas histórias do passado, e é você quem nos ajuda a escrever as inesquecíveis histórias do futuro. Você nos faz companhia durante toda a jornada, e a gente só faz reclamar de você…

Por isso, hoje decidi parar e agradecê-lo, por ser esse amigo invisível que cura feridas e enxuga lágrimas, que com seu riso mudo e invisível nos faz sorrir de repente, sem mais nem menos, e que traz o sopro fresco da beleza de recomeçar a cada momento.


Agradeço por ser esse amigo encantado, que transitando entre sonho e realidade, concede-me o melhor de cada um deles: tive os meus melhores sonhos realizados e tive realidades mais incríveis do que qualquer sonho que tivesse sonhado.

Gratidão a você, Tempo, incansável, que carrega nos seus ombros o passado e o futuro, deixando minhas mãos livres para acolher e abrir este Presente!

__________________

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: nexusplexus / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.