4min. de leitura

Alguns não percebem o quão grave é a depressão, um mal devastador, mas que tem cura, sim.

Achei pertinente falar sobre algo diferente, que merece atenção especial, embora eu não seja um profundo conhecedor do assunto, no que diz respeito à depressão, uma doença silenciosa e que tem angustiado famílias e pessoas próximas daqueles que são por ela afetados.



Estudo recente, divulgado por um jornal impresso mineiro, revela que o Brasil tem a maior taxa de pessoas com depressão da América Latina e uma média que supera os índices mundiais.

Diante dessa notícia, vejo uma realidade distorcida numa área profissional, na qual deveria haver um equilíbrio, um ponto de apoio. Vejo com preocupação o que tem acontecido no meio militar, mormente no que diz respeito à pressão psicológica. Nessa semana tivemos um caso, no qual podemos nos apoiar para essa verdade. O suicídio de uma jovem policial. Sim, jovem e com um futuro promissor.

O que tem acontecido é uma inversão moral nesse meio, por falta de apoio, quando muitos ignoram esse grave problema e chamam de “frescura” algo tão sério. Muitas vezes, não se preocupam com o fardo que as pessoas levam, e acabam contribuindo para que estas se afundem cada vez mais num poço depressivo e, muitas vezes os desafios do dia a dia têm levado essas pessoas a darem fim à própria vida.

A depressão tem um estilo próprio, não pode ser confundida com tristeza ou falta de humor, porque tem uma duração intensa e se destaca por afetar as pessoas no seu desempenho profissional. As estatísticas mostram que leva muitos jovens à morte, principalmente entre a faixa etária de 15 a 29 anos.


Há, contudo, um modo eficaz e que ajuda a proteger o seu corpo contra os sintomas da depressão: amar a si mesmo antes de amar a outrem. E uma vida saudável, com uma rotina de exercícios, passeios, alimentação saudável, um cuidado especial com o sono, controle da ansiedade, ler um bom livro, assistir a um bom filme, e um relacionamento afetivo com alguém especial, digo eu, porque a solidão é um problema, principalmente nos dias de hoje, com a era digital tão incrustada em nossas vidas…Porque muitos estão juntos a tantas pessoas e, ao mesmo tempo, tão sós, pois acabam isolando-se do mundo ao seu redor, caindo numa armadilha depressiva e um comportamento improdutivo que a leva a um quadro especial. Ah, e também um tratamento antecipado com um especialista.

O mais doloroso e cruel é o preconceito que as pessoas que convivem com a depressão passam a enfrentar, a partir do momento em que resolvem procurar tratamento para a doença. Pois o fato de muitos ignorarem a gravidade do assunto, muitos desmotivam os doentes, deixando-os sozinho por desconhecerem os males causados pela doença. Os especialistas afirmam que a doença vai muito além de um medo, uma tristeza ou uma baixa estima, e sim o rompimento de uma rede de sentido e amparo, que faz com que exista no doente um vazio que deixa de dar sentido à vida. E a verdade se torna insuportável, o que pode trazer consequências desastrosas.

A depressão é intrínseca, mas é real e pode ser visível.

Diante de tudo isso, temos que buscar apoio na família, nos verdadeiros amigos e principalmente, estar apegados à fé, o principal alicerce da nossa vida.


__________

Direitos autorais da imagem de capa: leventegyori / 123RF Imagens

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.