ColunistasEnergias

Almas irmãs ou companheiras e almas gêmeas

almas irmãs 1 1

Para nos unirmos à nossa alma gêmea, a metade feminina ou negativa de cada um de nós, é necessário que cada um esteja inteiro.



De acordo com a teoria das vidas passadas, há três tipos básicos de união/casamento entre as almas:

1. Almas irmãs ou companheiras: são companheiros de jornada, colegas de trabalho e amigos na senda da vida; aprendem as mesmas lições e têm carma semelhante.



2. Almas gêmeas: são as duas únicas almas que partilham o seu padrão de identidade único. A alma gêmea pode não estar encarnada.


3. Relacionamentos cármicos: normalmente, um não tem nada a ver com o outro e têm muito carma a saldar; podem até ter filhos em comum e são marcados por uma relação de amor-ódio.

As relações incompletas e as questões pendentes, tanto nesta vida como em vidas passadas, virão à superfície para serem resolvidas. A Lei do Carma estabelece que, sempre que tenhamos odiado ou maltratado alguém no passado, devemos dar amor para equilibrar esse carma. Por vezes, esse amor intenso só pode brotar de um relacionamento amoroso.


É através da atração e da paixão que as pessoas se podem unir e relacionar para equilibrar o carma.

Quando a lua de mel acaba, a alma sabe que tem de cumprir as suas obrigações cármicas antes de poder avançar para o próximo patamar. Quanto mais depressa nos submetermos à lei do nosso carma, que é a Lei do Amor, mais depressa nós e o nosso companheiro estaremos libertos desse carma. Quando o carma é resolvido, a relação acaba.

As pessoas podem seguir caminhos diferentes para cumprir novas tarefas. A capacidade de amar que temos é grande, pois às vezes a nossa consciência quer desprender-se de uma pessoa e não consegue. Sentimo-nos prisioneiros desse amor. A nossa mente racional pode estar a dizer-nos que não devíamos amar essa pessoa, mas o coração continua.

É Deus que põe o amor nos nossos corações até as dívidas estarem saldadas e o carma equilibrado. Se fugirmos dos nossos deveres espirituais, teremos de enfrentar os mesmos indivíduos e os mesmos elementos cármicos outra vez.


Como poderemos saber se saldamos o carma com uma pessoa? Quando tivermos uma sensação de paz interior e que a nossa missão acabou. Para isso, devemos aprender a ouvir o coração, rezar e meditar para sermos orientados pelo nosso Eu Superior e pelos nossos guias.

Almas gêmeas

Nós somos reflexo do nosso passado e, enquanto não nos libertarmos das emoções negativas, iremos carregar e atrair as mesmas situações difíceis. Estamos encarnados na Terra num momento de grandes mudanças vibratórias e temos de limpar os nossos corações de todas as energias negativas do passado para atrair relacionamentos mais harmoniosos e ascendermos espiritualmente.

Para nos unirmos à nossa alma gêmea, a metade feminina ou negativa de cada um de nós, é necessário que cada um esteja inteiro. À medida que trabalhamos na nossa senda espiritual, expandido a capacidade de o nosso coração dar e receber cada vez mais amor, iremos atrair a nossa alma ou chama gêmea, na altura certa e no lugar certo, seja nesta vida, seja noutra: “Estamos a aproximar-nos do momento do reencontro dos verdadeiros casais, pois a Terra está necessitada dessa vibração de amor entre os seres humanos”, diz-nos Dulce Regina.


O Zohar, a obra principal da Cabala, afirma que Deus nos unirá à nossa alma gêmea quando vivermos uma vida de pureza e boas obras, isto é, quando saldarmos o carma que nos separa: “Feliz do homem que é reto nas suas ações e caminha na senda da verdade, para que a sua alma possa encontrar a sua companheira original, e então ele se tornará deveres perfeito”.

A meta da reencarnação não é encontrar a alma gêmea, mas sim amar todas as almas que cruzam o nosso caminho. Só o amor nos aproxima da nossa essência, da nossa alma gêmea e de Deus.

Já Platão dizia: “As almas gêmeas são um único espírito que, em determinado momento, foi dividido por Deus em dois, para que pudessem evoluir individualmente e, mais tarde, depois de conquistarem o equilíbrio, unirem-se eternamente.”

As almas gêmeas separadas adquirem carma com outras almas e com a própria metade. A relação com a alma gêmea não é de todo perfeita, uma vez que temos muito carma a resolver com ela. É preciso equilibrar o carma para que se fundam. Há uma atração magnética entre elas que não há igual.


Dentro das ligações cármicas, pode haver muita negatividade, ciúme, mentira, etc., o que pode tornar a ligação de almas gêmeas difícil. É preciso transmutar essas energias primeiro.

A ligação cósmica de almas gêmeas acontece quando dois espíritos estão no mesmo estágio de evolução, então na mesma sintonia, têm objetivos semelhantes para realizar um trabalho maior em benefício da humanidade. As almas gêmeas, para cumprir a sua missão juntas, devem estar livres dos seus carmas adquiridos com outros espíritos, bem como conscientes dessa missão.

As desarmonias entre almas gêmeas fazem com que elas sigam caminhos diferentes, separadas. É preciso paciência, compreensão, amor, doação e autocontrole. Quando apenas um ganha consciência, deve esperar pelo outro e ajudá-lo na sua evolução.

Se houver envolvimento com outras pessoas depois de termos encontrado a nossa alma gêmea, o carma aumenta e a separação torna-se maior. É preciso estar atento para que as energias negativas emitidas por seres menos evoluídos não interfiram nessa ligação. Nem sempre as almas gêmeas conseguem ficar juntas, mas elas podem encontrar-se ao longo de várias encarnações para se ajudarem mutuamente na sua evolução.


O que fica registado é a emoção que vem à tona no momento do reencontro e reconhecimento de almas gêmeas.

Quando se sente uma emoção muito forte em relação a alguém, pode ser a alma gêmea, mas não se deve confundir com relações obsessivas ou de carência, que nos levam a relações superficiais e falsas. O fato de não conseguirmos estar com a nossa alma gêmea não deve ser encarado como sofrimento, mas sim como um teste para escalarmos os degraus da pirâmide que nos permite ascender cada vez mais na nossa espiritualidade.

“Nunca nos devemos preocupar em encontrar a alma gêmea. Tais encontros são coisa do destino. Ocorrerão. Depois do encontro, reina o livre-arbítrio de ambas as partes. Que decisões são ou não tomadas é uma questão de livre-arbítrio, de escolha. Os mais adormecidos tomarão decisões baseadas na mente e em todos os seus medos e preconceitos. Infelizmente, isto muitas vezes resulta em corações partidos. Quanto mais desperto estiver o casal, maior a probabilidade de uma decisão ser baseada no amor. Quando os dois parceiros estão despertos, o êxtase está ao seu alcance. Só o amor é real.” (Brian Weiss)

Sinais de alma gêmea:


  • Sensação de ler a alma de alguém através do olhar.
  • Ligação entre chacras cardíacos.
  • Sensação de paz, de estar a flutuar ou fora do corpo na presença da pessoa ou quando pensa nela.

  • Sonhos vívidos e reais com a pessoa em que há transmissão de mensagens importantes.
  • Telepatia e encontros astrais.
  • Falar a mesma linguagem.
  • Magnetismo fora do comum.
  • Dor no peito com a ausência ou saudade.
  • Sensação de ter uma ligação espiritual ou inexplicável com ela.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: iakovenko/123RF Imagens.

A importância de nossas decisões na realidade de vida que criamos

Artigo Anterior

A intuição é o nosso canal de comunicação com Deus. Aprenda a desenvolver a sua!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.