publicidade

Amar o parceiro ou muda-lo para que você o ame?

Já parou para pensar se você realmente ama seu parceiro (a)? Sei que sua resposta será automaticamente: “Claro! Se não fosse assim não estaria com ele.” Então me responda: Quantas vezes você já tentou mudar alguma habito no seu parceiro? Pode responder só os mais recentes, tá. Rsrsrs



Muitas vezes, né? Sei que sim porque também já fiz isso. Me justificava dizendo que estava ajudando-o a melhorar como pessoa. Estava mesmo, mas estava ajudando a melhora-lo para mim. E ai que está o erro.

Não estou dizendo que os casais não devam se adaptar uns com ou outros ou aceitar tudo dentro de um relacionamento. Precisamos dizer quando algo nos desagradar e informar quando agradar. Seu parceiro não tem bola de cristal para saber o que te incomoda. Não espere que ele adivinhe.

Quero que observem somente a diferença entre avisar do que te desagrada e achar um consenso entre os dois e outra em exigir do parceiro uma mudança que atenda somente você. As verdadeiras mudanças de comportamento são feitas somente pela própria pessoa a partir do momento que tem consciência que esta afetando o outro


As mudanças não têm que agradar somente uma das partes, como por exemplo, uma garota que adora dançar e um namorado muito ciumento. Ela não precisa parar de dançar com outras pessoas para deixa-lo seguro, mas precisa achar uma forma, conversando com o seu parceiro que permita que você dance sem deixa-lo enciumado.

Terão comportamentos que não tem como mudar, somente absorver e aprender a conviver porque já é um habito tão grande que faz parte da personalidade da pessoa. Pense em coo seria se a cada relacionamento você tivesse que mudar para agradar o outro? Agora pense em como é difícil amar o outro sem nenhuma adaptação aos seus costumes.


Um relacionamento é composto de trocas diárias e de aceitação do outro. O que trocamos nem sempre será coisas que o outro vai poder nos dar algo que esperamos. Há algum tempo procurei não pensar no que o outro poderia me agradar se mudasse e passei a ouvir de verdade o que eu poderia fazer para agrada-lo e onde eu conseguiria mudar. O resultado foi positivo.

Eu consegui melhorar alguns comportamentos que, hoje, já não me fazem falta e isso deixou meu parceiro feliz que ele conseguiu suportar os que eu não consigo mudar. Com minhas mudanças aprendi a dizer ele como me incomodava e dar pequenas sugestões de como me sentiria melhor. Como ele estava vendo meu esforço acabou por fazer o mesmo. Isso melhorou muito nossa cumplicidade e parceria e principalmente nosso dialogo.

AMAR O PARCEIRO - FOTO 02

No início me sentia péssima, sentia que não valia a pena a mudança, que ele estava tentando me controlar ou me manipular, ficava com um sentimento de que era submissa e que estava somente seguindo as ordens dele e isso era inaceitável ara mim. Foram meses assim. Até que ele começou a fazer por mim também.

Neste ponto nosso relacionamento passou a ser de troca e acordos favoráveis a nós dois e não somente um relacionamento em que um comande. Hoje posso dizer que ele é o homem da casa e eu sou a mulher da casa e isso não nos faz nada mais que parceiros com a mesma hierarquia e muito mais satisfeitos, claro. Que tal você tentar também?

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.