3min. de leitura

Ame-se o suficiente para não permitir que seu coração seja maltratado!

Quando o meu amor-próprio me salvou da dor…

Ao final de tudo, a gente sempre se pergunta o que poderia ter feito diferente, como teria sido se tivesse tomado outra decisão e nunca saberemos a resposta, afinal, o futuro é tão incerto quanto minhas contas feitas de cabeça.


Confesso que quanto a nós posso ter tomado decisões equivocadas, ter escolhido caminhos errados, mas nunca o mais fácil. Por fim, escolhi o caminho que mais me assustava e doía, o adeus.

Talvez tivesse sido diferente se eu tivesse escolhido lhe dizer como as tuas atitudes me faziam sentir, o quão sufocada e aprisionada eu me sentia com elas; antes de decidir por um fim naquilo que tanto lutamos para conseguir.

Mas as feridas eram tantas, de ambos os lados; que tornou impossível o amor permanecer ali, afinal o amor é como uma flor que cresce em solo fértil  e se não mantido com carinho, cuidado e zelo… murcha, definha e morre.


Quem ama verdadeiramente deseja a felicidade do outro, mesmo que não se inclua nela.

O amor requer sacrifícios, mas ele sozinho não carrega todo o peso da relação e foi por isso que escolhi abrir mão do que eu sentia pra te ver feliz e me ver feliz também, como já não éramos mais juntos.

Eu o amei com todas as minhas forças e de toda forma que eu podia, mas eu me amo o suficiente para não permitir que meu coração continue sendo maltratado.

Sinto-me grata por tê-lo  conhecido, por ter vivido tudo que vivi ao seu lado; mesmo os maus momentos pois eles nos fizeram crescer. E sou eternamente grata pelo que você dedicou por mim, o que você suportou para estar ao meu lado e pela pessoa que você foi em minha vida.


Mas, por favor, vá embora e siga seu caminho, vá ser feliz e deixe-me ser feliz também; esse é meu último pedido ao seu coração, que um dia já foi minha morada.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.