Amor-PróprioAutoconhecimentoO Segredo

Ame-se para enriquecer-se, não para preencher o vazio de sua solidão

ame

A solidão não é uma maldição ou condenação para a alma. Alguns veem este estado como uma punição ou fracasso pessoal, e o desespero pode levar muitos até a encontrarem qualquer parceiro para preencher esse vazio ou medo existencial, mesmo que o amor não for sincero.



“Todo relacionamento que busca acima de tudo preencher o vazio da solidão, é baseado em um afeto imaturo, dependente e tóxico, onde as liberdades, direitos e crescimento pessoal de cada um são violados.”

A solidão é uma dimensão que devemos aprender desde cedo e, qualquer pai ou educador deve incentivar e esclarecer nuances importantes.

Não deve ser entendida como uma “rejeição social”, se trata de um valor essencial pelo qual aprendemos a sermos nós mesmos, a aceitar e manter contato com nossas emoções e sentimentos, evitando a dependência de outros. No entanto, sabemos que nem sempre é fácil conseguir.


A sutil sabedoria da solidão

A sabedoria da solidão não é aprendida da noite para o dia. Deve ser aprendida desde a infância, nos conectamos a ela desde os primeiros momentos quando buscamos nossos cantos particulares para pensar, observar o mundo de longe e tentar compreendê-lo melhor.

“Os pais que incentivam o excesso de proteção, estão germinando na mente da criança o medo, a solidão e alguns vínculos com base no medo do abandono.”

Isso, certamente, é algo que devemos evitar. A maturidade emocional é promovida desde a idade mais tenra, uma vez que cada criança é capaz de aprender a seguir em frente com coragem, enfrentar a incerteza sem um “apego ansioso ou dependente”, e escolher o que fazer em todos os momentos. Dessa forma, no dia amanhã será um adulto maduro que aprendeu com a sabedoria da solidão.



A necessidade obsessiva de se sentir amado

“Quem evita a solidão buscando somente a necessidade de se sentir amado, manifesta um apego prejudicial com o qual se sinta reconhecido e valorizado, sujeitando o outro às redes de submissão.”

Certamente você já encontrou esse tipo de pessoa em algum momento. São pessoas capazes de se ligar em um relacionamento atrás de outro, colecionando fracassos sem parar um momento para analisar a verdadeira realidade do problema:


  • São pessoas com baixa autoestima que quase nunca chegam a reconhecer. Apenas sentem um “vazio”, uma angústia vital que os faz temer a solidão de uma forma exagerada. Para eles, a palavra “solidão” é sinônima de fracasso e abandono.
  • No momento em que começam um relacionamento e cobrem o abismo da solidão, se tornam exigentes e egoístas. São pessoas com muitas necessidades pessoais, medos, ansiedades e buscam continuamente sentirem-se reconhecidas.
  • Poucas vezes são capazes de oferecer uma verdadeira felicidade para aqueles que ao seu lado. Como fazem isso? O medo de ser abandonado novamente e sentir o aperto da solidão é para eles uma obsessão, uma fobia, e implementam qualquer estratégia para impedir que isto aconteça. Por isso, é comum aplicarem manipulação emocional, chantagem, vitimização … Tenha isso em mente sempre.


Aprender com minha solidão para saber me amar melhor

“Não entenda a solidão como uma rejeição. É um espaço para aprender a se amar, a se conectar consigo mesmo e com aqueles que você ama.”


Costuma-se dizer que aqueles que desenvolvem um pânico ante a solidão, transformam esse medo em uma “autofobia”, ou seja, medo de si mesmo.

Temem encontrar os próprios pensamentos, a essência de quem são, viram autênticos “fantasmas pessoais.” No entanto, nunca é tarde demais para estabelecer novas estratégias e afastar-se destas ansiedades e medos.

Tome nota do que deve sempre fazer:

1. Aprender a desfrutar de seus momentos de solidão, assim como desfruta estar na companhia de outras pessoas.


2. Conceber, entender e aceitar que a solidão não é prejudicial, deixar de lado essa concepção muito comum de que “a solidão é o isolamento social ou rejeição.”

3. Na solidão encontram-se todas as perguntas que você deveria fazer a si mesmo todos os dias para compreender-se melhor. Também vai encontrar respostas se souber ouvir. Não é difícil.

4. Estabelecer novos hábitos em sua vida para compreender e apreciar melhor a solidão. Caminhadas, ouvir música, escrever, se tornar consciente do “aqui e agora”.

5. Se você aprender a compreendê-la, a ouvir e se conectar consigo mesmo nos momentos de solidão, também vai aprender a amar os outros melhor.


“A solidão é um valor que todos devem aprender, pois viemos a este mundo sozinhos e partiremos da mesma forma, mas o que sempre nos rodeia, o que sempre permanecerá é o amor.”

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo


Fonte: La Mente es Maravillosa

A teoria de tudo: o que sabemos sobre o amor?

Artigo Anterior

As lágrimas que não chorei, a tristeza que não atendi

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.