3min. de leitura

Amiga mesmo é aquela que quando nos vê mal, dá água, tira de cena e nos protege dos olhares maldosos

Abraçamo-nos como da última vez em que nos vimos pessoalmente. Apesar da distância física ser relativamente curta, as nossas rotinas são longas. A atualização de vida é feita através de áudios gigantes compartilhados no WhatsApp e ligações no trânsito, entre uma reunião e outra.


Ela foi uma das poucas que continuou ao meu lado diante de tantas mudanças que aconteceram na minha vida.

Eu fui uma das únicas que não julgou o relacionamento torto em que ela se meteu nos últimos tempos. Ela sabe que eu não concordo, não passo a mão na cabeça, mas estou aqui com abraços apertados e taças de vinho para serem tomadas no chão do meu apartamento, entre lágrimas.

Nós já passamos por tantas coisas, tantos julgamentos dos outros, tantos dedos apontados, tanto sofrimento e infinitas histórias que ainda nos arrancam gargalhadas. Os anos passam, a rotina nos engole, mas nós continuamos firmes e fortes, no melhor sentido que a palavra parceria poderia ter.

Parceria envolve empatia, e pouca gente associa uma coisa a outra. Nós não só associamos, como vivenciamos isso. Dizem que amiga é aquela que segura o cabelo para a outra vomitar. Também é.


Mas amiga mesmo é aquela que nos vendo mal, dá água, tira de cena e nos protege dos olhares maldosos de quem dita as regras, mas, vez ou outra, faz parte dela.

A descrição acima é só uma analogia, mas traz um significado maior para a associação entre parceria e empatia. Quantas vezes nós brigamos justamente pela empatia? O ego não permitia vestir o calçado e viver o caminho da outra. Quantas vezes fizemos as pazes justamente por deixar o ego de lado e ter calçado os mesmos sapatos?

Você não tem um milhão de amigas. Se você experimentar passar um pente fino, perceberá que pouquíssimas são aquelas com quem você pode contar de braços abertos e taças de vinho em dias ruins. Menos ainda são aquelas que aguentaram seu choro, suas crises e suas dificuldades. Pouquíssimas são aquelas que não vão julgar suas escolhas.


Sobram homenagens em postagens do Instagram, mas faltam acolhimento, parceria e empatia em relações que chamamos de amizade, mas que, lá no fundo, têm o laço desfeito na primeira e mais boba discussão.

Se amigos são a família que escolhemos ter, precisamos escolher quem vai olhar para nós com o mínimo de sororidade.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / flisakd





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.