Pessoas inspiradoras

“Amo servir”: idosa doa mais de 1.700 pães todos os dias a 130 famílias carentes

Além dos pães que ela mesma assa, a vovó Tutu ainda distribui cerca de 300 litros de chá todos os dias, tudo para ajudar quem mais precisa!



Neste exato momento, inúmeras famílias precisam de ajuda. A pandemia agravou a fome e aumentou o desemprego, acelerando o processo de desigualdade social que o país já vinha enfrentando. Sem renda fixa, muitos não têm o que comer e precisam ver os próprios filhos passando fome, tentando arrumar na rua um pouco de dinheiro para conseguir pagar, ao menos, uma refeição no dia.

Aos 69 anos, Maria Paulina, também chamada de vovó Tutu, realiza um trabalho social de respeito em Brasilândia, na zona norte de São Paulo. Depois que os próprios netos decidiram publicar vídeos da idosa fazendo os pães que seriam doados na comunidade, a popularidade da ação aumentou, abrindo possibilidades para que ela ajudasse ainda mais pessoas.

Todos os dias, segundo reportagem do Estadão, a vovó Tutu assa cerca de 1.700 pães e os distribui junto com 300 litros de chá para a comunidade carente.


A boa ação foi incentivada em Maria Paulina quando ficou cerca de sete anos internada como órfã em uma instituição de freiras. Filha de um lavador de carros e uma empregada doméstica, a realidade era humilde, e o pai, por vezes, agia com muita violência.

Para proteger Maria Paulina, a mãe decidiu interná-la como órfã na Casa da Divina Providência Madre Teresa Michel, onde ela começou a ter exemplos diários de caridade e boa ação. Ela conta que sempre admirava muito as irmãs que saíam para pedir doações, e isso acabou se estendendo, mesmo quando deixou o local, aos 14 anos, despertando uma imensa vontade de ajudar o próximo.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@acoessociaisdavovo.

Assim que saiu da casa, conseguiu trabalho no Hospital das Clínicas, na área da limpeza, e costumava ver com muita frequência mães com filhos em situações de extrema vulnerabilidade social.


Maria Paulina revela que, nessa época, costumava ir ao refeitório do local pedir um lanche ou qualquer alimento que estivesse sobrando para poder alimentar essas famílias. Em alguns momentos, ela até pegava, escondida, tudo para matar a fome de crianças.

Depois de 12 anos trabalhando no hospital, vovó Tutu deixou o lugar para vender marmitas e lanches. O negócio fazia sucesso, ela chegava a vender até 100 marmitex por dia para os antigos colegas de trabalho. Além de seis filhos biológicos, ela ainda adotou quatro crianças que precisavam de uma família, sempre distribuindo o que mais tinha em seu coração, o amor.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@acoessociaisdavovo.

Antes de criar o atual projeto, Maria Paulina começou aos poucos a ajudar quem precisava. No início, fazia festas de aniversário para as crianças pobres do bairro, depois passou a pensar em estratégias e programações também para os idosos da mesma comunidade.


Ela conta que chegou a montar um salão em cima da própria casa para conseguir dar conta do trabalho voluntário. O maior sonho da senhora sempre foi montar o próprio restaurante, então, no fim de 2019, um dos filhos alugou um espaço para que ela pudesse fazer ali o Cantinho da Vovó Tutu.

Ela conta que eles foram organizando o espaço, comprando todos os móveis, deixando tudo perfeito. Conforme começaram a atender, foram também montando a rede de clientes do restaurante, mas logo começou a pandemia.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@acoessociaisdavovo.

Como não conseguiu arcar com as despesas do local, Maria Paulina precisou fechar o restaurante antes mesmo que ele completasse um ano. A sensação de impotência e fracasso tomou conta dela, sem o empreendimento que tanto sonhava.


Mas logo percebeu que a pandemia faria com que a população carente das periferias passasse fome, e percebeu que tinha de fazer algo. Com um dinheiro que tinha guardado, ela começou a fazer pães para doar, entregando cerca de 200 por dia, apenas para algumas famílias que moravam ali perto.

Em poucos meses, o número de pessoas que apareciam no portão da vovó Tutu atrás dos pães aumentou, foi quando ela começou a pensar que não daria conta de produzir mais do que aquilo que já fazia.

Os netos decidiram ajudar Tutu, e o vídeo publicado nas redes sociais fez com que muitas pessoas doassem o que tinham para ajudá-la. Ela conta que começou a receber muita coisa, muitos apenas passavam na frente da sua casa e deixavam as doações. Além disso, sua família decidiu ajudar, e mais pessoas puderam ser atendidas.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@acoessociaisdavovo.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@acoessociaisdavovo.

Muitos famosos conheceram a história da vovó Tutu, como o Padre Fábio de Melo, que entrou em contato e fez várias lives pedindo doações para o projeto. O apresentador Luciano Huck, a chef Paola Carosella e a jornalista e apresentadora Ana Paula Padrão também colaboraram. Tudo isso possibilitou o aumento da oferta, contemplando mais famílias.

A vovó Tutu atende cerca de 130 famílias todos os dias, distribuindo dois pães por pessoa e chá, matando a fome de quem mais precisa. Agora, o objetivo é continuar expandindo e, para isso, Maria Paulina criou o Instituto Vovó Tutu, onde planeja capacitar jovens e adultos na panificação, para que possuam uma renda capaz de ajudar suas famílias.


Gênio da ciência: aluna de 13 anos vence professores em competição de ciências!

Artigo Anterior

Os 4 signos mais caras de pau. São cínicos e podem ser muito folgados!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.