publicidade

Amor ao meu gato, à primeira vista…

Sempre amei animais, com aquele amor de igual para igual, não amor humano para com os animais, mas sim com um amor de criatura divina para outra criatura divina.



Pois, considero que os animais foram criados por Deus com o mesmo amor que ele nos criou, sendo que, em relação aos animais, ele deve ter adicionado uma dose extra, um sentimento de ternura em excesso para que eles compartilhem com nós humanos.

Desde a infância criei cachorros, e tive muitos, e até hoje tenho, pois não há como ficar sem eles, já gatos, nunca os tive. Até porque cresci ouvindo de muitas pessoas, até mesmo dos meus pais: “não gosto de gatos, pois não amam ninguém, são interesseiros, traiçoeiros e só querem nosso lugar”. Bem, e quem nunca ouviu isso na vida ? Então, nunca me interessei em criá-los, mas sempre observava-os de longe, ou se algum surgia aqui em casa, eu costumava oferecer um pouco de leite; logo eles bebiam e iam embora, nunca ficavam e nem eu queria.

Até que um dia entrei em um grupo no facebook sobre pessoas apaixonadas por gatos, e uma integrante do grupo postou a seguinte frase : “Quem não gosta de gatos é porque nunca teve um “.

Fiquei curiosa, e até duvidei, mas pensei: “Vou adotar um! “. Então, à noite, quando fui dormir, sonhei com uma gatinha siamesa, que eu caminhava em um gramado com lindas flores e ela vinha em direção ao meu encontro.


Na manhã seguinte ao acordar, lembrei do sonho e achei uma bobagem. E como de costume fui checar as minhas redes sociais, quando de repente dou de cara com a seguinte postagem: “Gatinha siamesa, de apenas 2 meses, procura um lar com pessoas amorosas dispostas a adotar.” Então falei: É a mesma gatinha do meu sonho! Fiquei alucinada e ao mesmo tempo perplexa com tamanha coincidência.

Fui buscá-la de imediato, pois senti que ela estaria destinada a minha vida, aos meus cuidados, ao meu amor. Hoje tenho por essa felina um sentimento de afeto incondicional, é como se seus brilhantes e cristalinos olhos azuis me dissessem algo. Sinto uma energia vital saindo de seu olhar, e uma paz de espírito que alegra a minha alma quando ouço seu ronronar. Tudo ficou mais colorido com a presença dela, senti que minha família ficou completa, e que esse amor extra deu vitalidade ao meu sorriso.

Cachorros são maravilhosos, mas gatos são inexplicáveis. Não sei descrevê-los, pois a complexidade dos felinos é justamente o que nos atrai.


O gato nos vê e sabe quem somos, nós o vemos e tentamos decifrá-los, mas uma coisa é certa, a cada miado podemos traduzir como um: “Olha, eu estou aqui, pareço distante, mas eu te amo”.

Pois assim eu aprendi com minha gatinha que amar não é ter, e sim perceber, porque não se tem um gato, mas sim o amor de um. E sim, a moça estava correta: “só não gosta de gatos quem nunca teve um.”

A minha se chama Kalindi, que em híndi, linguagem indiana, significa “ filha do deus sol” pois ela é um feixe de luz na minha vida.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: alenkasm / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.