4min. de leitura

Amor incondicional é a maior ajuda que podemos oferecer a alguém com depressão

A depressão é a doença da alma, e há tratamentos e médicos especializados para esses cuidados, mas existe um remédio que pode ajudar – e muito – a combatê-la: o amor!



Muitas pessoas tendem a achar que alguém depressivo sofre de “frescura aguda”, portanto a maioria não atenta para a necessidade de atenção e amor de que ele necessita, tratando-o com descaso, fazendo aumentarem suas dores emocionais, permeando seus dias sem nenhuma perspectiva de melhora.

Muitos não entendem que é uma doença séria e, mais ainda, que precisa ser levada a sério, que todos os seus sintomas não são teatrais e independem de sua vontade.

depressão desencadeia-se em qualquer situação da vida, afetando rico ou pobre, não depende de cor nem de religião, nem de sua orientação sexual, tornando-se grave, quando não tratada como precisa.

Uma pessoa com depressão, quando a situação se torna crônica, deixa de acreditar na vida e, sobretudo, em si mesma. Seus pensamentos e sentimentos, se não expostos, soterram-na, fazendo-a se esquecer de suas qualidades e todas as suas conquistas.


A necessidade e a carência vão muito além de coisas; há uma sede de vida que não consegue ser vivida. O depressivo vive à procura de olhares significantes, de palavras consoladoras, precisa de essências, mais que de aparências.

É preciso que se entenda que uma pessoa com depressão está sempre lidando com emoções difíceis, como a angústia, um medo incontrolável, uma dor e tristeza que, aparentemente, para quem a observa, são sem motivo algum mas, para aquela que sofre, são um inferno vivido no aqui e agora. Não sonha, porque vivem um pesadelo!

Muitos enfrentam uma via-crúcis atrás de tratamento, medicação e ainda precisam lidar com o preconceito e o “achismo” alheios, como falha de caráter e má-vontade, muitas vezes citados pela própria família e amigos próximos. Vivem uma vida de altos e baixos, em desarmonia com o seu interior, sem conseguir um reencontro com o seu “eu”.


É nessa hora que devemos estar atentos, solidários e estender-lhes nossos braços num abraço e fazer com que se sintam acolhidos e amados, amparados e protegidos.

Seja aquela pessoa que tem amor e empatia por alguém com depressão, mostre a ele o quanto sua vida é importante, estimulando-o a ir em busca de um profissional apto e qualificado, caso ainda não tenha feito isso.

Esteja presente e ofereça-lhe seu apoio, mostre-lhe que isso não é sinal de fraqueza e que a doença está agindo por essa pessoa, e que não é ela própria, que o auxílio existe, que existem médicos especialistas no assunto, além de tratamentos terapêuticos.

Seja solidário, compreensivo e fraterno.

Seja um portal de amor por onde ela possa adentrar e encontrar as direções adequadas e estimulantes, para que vença esse mal, eliminando todas as sugestões suicidas e deixando de achar que a própria existência é inútil, a fim de que tenha coragem de renascer, de nascer de novo e se libertar, para viver a vida e sonhar!

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Rawpixel/123RF Imagens.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.