ColunistasRelacionamentos

Amor não é agronomia e sim simetria. O amor é nada, porque não se define e é tudo, porque redime.

Vou andando pela rua, querendo apenas dar num gesto, palavra ou olhar, todo amor que tenho em mim e que já não acha mais lugar.



Acredito no amor mas não do jeito que muitos acreditam conhecer e viver. Nada de plantar para colher, porque amor não é agronomia e sim simetria. Perfeita. Poesia (sempre inacabada), é inspiração, respiração alterada. O amor é nada, porque não se define e é tudo, porque redime.

Muitas pessoas não conseguem amar seja o que ou quem for, elas sentem apenas num grau elevado, a satisfação do ego que necessita de aprovação.

Quando você realmente ama, transborda energia e não se preocupa com o futuro da relação. Você é plenitude, completude, ponte para o divino. Ilusão é muito diferente, é acreditar que ama, mas não conseguir respeitar a individualidade do outro, invadindo espaços, tempos, templos, buscando indícios de traição, martirizando assim seu espírito e minando a relação.


Você jura que ama, mas fica ressentido/a se o outro ri ou se diverte longe de você e surge uma mágoa injusta por coisas sobre as quais você não tem e nem deve ter nenhum controle, porque a liberdade é sagrada e o respeito não é moeda de troca, passível de bobagens ou chantagens emocionais.

Liberdade é o sabor de cada instante, porque ser livre é ser amante, de si e da vida. Se uma pessoa diz: – Você não serve para mim… Não se entristeça, agradeça, é apenas o universo limpando seu caminho da arrogância de quem não merece sua atenção.

Amar é sempre uma entrega incondicional. Se existem condições para você dar seu sentimento, já não é amor, é contrato com previsão de todos os riscos e com cláusulas ilegais.

Amar é ir em busca do destino comum, é não almejar lugar algum e, no entanto, é viver esse encanto com honra e glória. Amar é fazer da vida a mais perfeita história.


Nessa era de intolerância, devíamos proibir as palavras certo e errado e praticar a palavra relativo, num grau absoluto de certeza que a flexibilidade é sempre o melhor caminho. Ame, ame muito, ame de verdade, para esfregar na cara da vida que você está a passeio sim e em noite de lua cheia.

Ame sem medos, sem medidas ou insegurança, porque amar é se deixar levar na correnteza, é se deixar fluir no silêncio e no mistério.

Amar é sempre um caso sério.

____________


Direitos autorais da imagem de capa:  olstudio / 123RF Imagens

Permita-se o desafio de encarar sua própria companhia. Borboleta alguma voou sem enfrentar a solidão do casulo!

Artigo Anterior

Esquecemos como acreditar e confiar: eis a maior tragédia de todas!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.