3min. de leitura

ANO NOVO! TEMOS QUE ARRUMAR A CASA, LIMPAR A POEIRA, ESVAZIAR GAVETAS!

Todo fim de ano é sempre igual: fechamos para balanço a fim de analisar tudo que foi feito – ou não – e recomeçar com o pé direito. Alguns dizem que ele demorou para acabar, outros que passou depressa até demais. Muitos fizeram promessas assim que ele começou e não cumpriram nem metade.


O fato é que 2016 foi uma montanha russa de emoções, ficamos perdidos e sem rumo diante de tantas notícias ruins; tragédias coletivas; desemprego; crise; guerras; retrocesso político e perdas irreparáveis.

Apesar do ano ter sido para a maioria de nós uma bagunça total em diversos sentidos, ainda cultivamos a esperança de que assim que o relógio marcar 23h59 do dia 31 de dezembro e o céu – independente de onde estivermos – for coberto por fogos coloridos, tudo vai mudar e teremos uma nova chance para chegar mais perto da conquista dos nossos sonhos mais profundos e é essa fé que nos mantém vivos e pulsantes em meio ao caos.

Vivemos constantemente em ciclos e é preciso se livrar daquilo que não nos serve mais para que outro possa recomeçar, mas, antes de fazer os nossos pedidos ao universo, enquanto pulamos sete ondas ou alguma outra prática – religiosa ou não – que dê boas vindas ao ano que surge, devemos agradecê-lo por tudo que foi vivido até então, independente de ter sido bom ou não, afinal, tudo é aprendizado.


A verdade é que não importa o quão difícil tenha sido, se Britney superou 2007, a gente supera qualquer coisa e pode até ser clichê dizer que o ano não vai mudar se você não se esforçar para fazer com que ele seja diferente, mas é a mais pura verdade!

A mudança começa internamente para então se refletir ao nosso redor. A vida se renova, apesar de todos os pesares e de nada adianta culpar o ano pelas nossas escolhas erradas, pois a mudança que desejamos deve partir de nosso interior.

Temos que arrumar a casa; limpar a poeira; esvaziar as gavetas – que são um reflexo da nossa alma – para só então abrir espaço para o novo. Pense bem, o que você quer levar contigo para 2017?






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.