Mensagem de Reflexão

Ansiedade – como acabar com ela

Sem título 7

Ansiedade é uma palavra que se ouve muito, e uma sensação muito presente no dia a dia das pessoas atualmente. De acordo com os dicionários Aulete e Houaiss, é um grande mal-estar físico e psíquico, uma sensação de aflição, receio ou agonia, sem uma causa aparente. Também é uma inquietação ou impaciência causada por algum desejo ou vontade. E, ainda, está relacionada às palavras medo e sofrimento. Quanta coisa junta, não é?



De onde vem a ansiedade

Daqui podemos dizer que a ansiedade, a princípio, é um incômodo que desequilibra nossas emoções. Se nos aprofundarmos um pouco mais, veremos que temos mais corpos (invisíveis aos olhos) além do físico: os corpos emocional, mental e espiritual, basicamente. Esses quatro corpos estão interligados.

Isso quer dizer que a ansiedade pode ter origem nas nossas emoções, mas ela pode afetar a saúde desses quatro corpos. Pode ser que fique só no emocional, ou a ansiedade pode se desenvolver nos outros corpos, e assim surgem diferentes tipos de ansiedade.


Ansiedade: causas e números

Se a ansiedade é um mal-estar, quer dizer que, quando estamos ansiosos, estamos em desequilíbrio emocional e nosso sistema nervoso foi afetado. Há algo que nos tira do eixo. E não é muito difícil, hoje em dia, encontrarmos pessoas com crises de ansiedade, doentes, neuróticas e preocupadas.

A ansiedade está de mãos dadas com a depressão, sendo as duas consideradas como o mal do século por muitos estudiosos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a ansiedade é considerada como o principal transtorno emocional de nossos tempos.

Só no Brasil, há cerca de 10 milhões de brasileiros com algum tipo de transtorno de ansiedade, como síndrome do pânico, transtorno obsessivo compulsivo, stress pós-traumático e fobia social.


Sintomas de ansiedade

Logo abaixo, temos uma lista das sensações ou efeitos colaterais da ansiedade. É comum que você encontre algum deles no seu comportamento habitual:

  • Taquicardia, suores nas mãos, dores de cabeça;

  • Preocupações, tensões, medos em excesso e dificuldade para se desligar dos fatos ou relaxar;
  • Constante sensação de que está para acontecer algo ruim;
  • Preocupação constante e exagerada com saúde, dinheiro, família ou trabalho;
  • Medo extremo de alguma coisa ou situação específica;

  • Medo exagerado de ser humilhado publicamente, passado para trás, traído ou magoado;
  • Falta de controle sobre pensamentos ou atitudes e emoções;
  • Reação emocional desproporcional aos fatos;
  • Falta de harmonia para lidar com situações cotidianas, transformando-as em bicho papão sem motivo.

Quando a ansiedade se mostra

Sem título-7

E como é que podemos ser menos ansiosos hoje em dia? Como podemos sair ou ficar bem longe desse número e desses sintomas com tantos estímulos para ficarmos ansiosos, agitados e preocupados?


São as inúmeras chances de nos sentirmos “agoniados” durante o dia:

  • no trânsito, na correria para chegar ao trabalho, para ir à escola;
  • na fila do supermercado ou do banco, da loja, da padaria;

  • na hora de abrir o portão para entrar, ao chegar em casa muito tarde;
  • na internet, quando enviamos uma mensagem para alguém e queremos ser respondidos pela pessoa na hora;
  • quando estamos fazendo algo no computador (uma compra, um pagamento, até o envio de algum trabalho) e o computador trava;
  • na hora de usar o telefone e não encontramos o contato daquela pessoa com quem queremos falar;

  • quando abrimos nossa caixa de e-mails e vemos muitas mensagens a serem lidas, respondidas, vídeos para assistir, textos interessantes para ler;
  • na faculdade ou em algum curso, quando vemos aquela lista imensa de tarefas;
  • em casa, quando chegamos do trabalho, e sabemos que temos que fazer o jantar, cuidar da rotina da casa, dar atenção à família e dar conta de todo o resto (trabalho, estudo).

Ansiedade e os pensamentos

Antes da agonia, de se sentir ansioso, você pode ter pensado algo parecido com “Meu Deus, eu ainda tenho tudo isso pra fazer, será que eu dou conta?”, “Não vou conseguir”, ou algo que te faz se sentir mal, com medo. Pode ser que não tenha percebido o que pensa nessa hora, pode ser que você tenha acabado de confirmar consigo que pensa assim.

O fato é que, antes de sentirmos, nós pensamos, ou seja, os nossos pensamentos são gatilhos das nossas emoções. E as emoções negativas, como medo, raiva, mágoa, ansiedade, quando não são vistas, compreendidas e transformadas em algo bom, transformam-se em transtornos e doenças.

Então, uma boa forma de curar nossos males e doenças não está apenas em tratamentos controlados com medicações, mas o tratamento começa a fazer efeito quando tratamos dos nossos pensamentos e emoções, quando cuidamos de nós mesmos, quando acreditamos que somos merecedores de coisas boas e belas, de sermos felizes e realizados.

E os pensamentos bons e elevados vêm quando estamos em uma sintonia mais tranquila, amorosa, sem preocupações e sem medo. Assim, aquela ansiedade toda e todos os transtornos causados por ela podem ser curados e dissipados da sua vida ao elevar sua vibração energética.

Tratamento natural para ansiedade

Um tratamento natural e livre de qualquer efeito colateral (ao contrário dos tratamentos alopáticos) pode ser feito com a Fitoenergética.

Sem título-8

É um sistema natural de cura, que parte do princípio de que os vegetais possuem um campo de energia com a capacidade de gerar influência positiva e reparadora sobre a anatomia sutil dos seres vivos.  A partir dos tratamentos preparados especialmente para cada pessoa, a energia das plantas (fitoenergia) age nas causas geradoras de doenças e de desequilíbrio.

É certo que há alguns casos em que é necessária uma intervenção dos medicamentos alopáticos, mas o uso isolado deles se torna apenas um paliativo, uma solução momentânea das consequências e não das causas das doenças.

Jovem de 26 anos combate a depressão clicando imagens incríveis pelo mundo

Artigo Anterior

Uma carta sincera de um pai para uma filha

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.