Ansiedade: será que você antecipa suas dores e sofrimentos e por isso não consegue viver o presente?

Será que você antecipa suas dores e sofrimentos e por isso não consegue viver o presente? Então descubra aqui uma possível causa de tudo isso e como lidar com essa situação!

A ansiedade é uma sensação provocada pela tensão do corpo sobre eventos que atormentam a mente do indivíduo, com fatos que, talvez, nunca aconteçam. Ela também contribui para baixa autoestima.

O indivíduo passa a viver constantemente preocupado com o futuro, deixando de viver o presente, sem conseguir realizar seus projetos pessoais.

O termo preocupação já indica a ação de se “pré-ocupar”, ou seja, antecipar cargas emocionais que não deveriam ser absorvidas no momento presente.

Geralmente, a crise de ansiedade está ligada a algum fator estressante que a pessoa tenha passado, gerando instabilidade emocional e, por fim, acaba atrapalhando momentos bons, relacionamentos e até negócios profissionais.

A ansiedade não pode ser vista como um inimigo. Ela é um processo natural e até benéfico, pois serve como um alerta da nossa mente para várias situações, porém, devido a este momento de nossa sociedade imediatista, “que quer tudo para ontem”, ela acaba nos sobrecarregando e desenvolvendo cobranças desnecessárias e pesarosas.

Se a observarmos, é ela que nos impulsiona para a ação e desperta nosso instinto de sobrevivência, logo, é positivo.

É importante se conhecer, reconhecer os sintomas e perceber até que ponto sua ansiedade é normal e quando ela se torna um TAG ou transtorno de ansiedade generalizada.

Nestes casos a ajuda profissional é necessária, sempre que perceber que não consegue lidar com seus sentimentos e atitudes.

A medicação, indicada sempre por um profissional da área, proporciona o apoio químico que auxilia no tratamento e o psicólogo é fundamental no processo de reestruturação do equilíbrio emocional.

Há, no entanto, outras opções para torná-la mais branda, até que se possa controlá-la, como:

  • alimentação saudável;
  • exercícios físicos;
  • objetivos constantes;
  • manter vínculos emocionais;
  • treinar a respiração;
  • e a psicoterapia.

O mais importante é aprender a lidar com ela e dominá-la, antes que ela o domine. E este aprendizado se faz por meio do autoconhecimento.

Conhecer seu corpo, seus sentidos, seus sentimentos e seu organismo farão você reconhecer quando os sintomas começarem a aparecer.

E então é o momento de agir e controlar as emoções com total segurança. 


Direitos autorais da imagem de capa: wallhere.com / wallpaper/69445



Deixe seu comentário