Antes de esperar o amor do outro, leve o amor com você!



Quantas canções falam de “alguém para nos completar”, preencher a nossa vida, um grande amor que chega para tirar aquele vazio e fazer tudo melhorar. Sabe aquela relação que a princípio é um mar de rosas, e com o tempo um verdadeiro desastre? A crítica toma o lugar da admiração, a irritação toma o lugar do companheirismo e a vontade de sair daquela situação ou de mudar tudo toma o lugar do amor. Mas será que era amor?

Quando se fala em amor, a primeira coisa que vem à mente é que o amor pode ser recebido, esperado como um presente, como se nosso coração fosse um copo vazio que alguém pode encher com água.

Mas quando o nosso coração está vazio, quais são as chances do que vem de fora ser suficiente e adequado para o espaço? O amor é o nosso estado de plenitude, de alegria e, principalmente, entusiasmo, palavra derivada do grego “enthousiasmos”, que significa “ter um Deus interior”. O quão cruéis somos conosco e com o outro ao esperar que tenham a capacidade de eliciar nosso estado de inspiração maior, o entusiasmo, se sequer nós mesmos sabemos como fazer isso. Sabemos como ter paz de espírito sem depender do externo?

Somos ingênuos ao procurar um relacionamento esperando o amor do outro, sem antes sentir o amor conosco

Precisamos descobrir o amor-próprio, enxergar o que buscamos, o quanto acreditamos em nós mesmos, o quanto somos especiais, quem somos! Sem isso qualquer líquido incolor que preenche o seu copo serve, mesmo que seja veneno.


E quais os passos para se amar em primeiro lugar?

Limpe a bagunça para receber a visita, tire a poeira de padrões de relacionamentos anteriores, de referências que aprendeu observando o relacionamento de seus antecessores, como os seus pais. Perceba se você vive buscando o oposto do que eles eram, ou se está repetindo exatamente o que faziam. Não adianta sair de um relacionamento entendendo onde o outro falhou, e começar outro sem entender onde VOCÊ falhou também. A tendência é que a história se repita.



Para isso é necessário querer olhar para suas feridas, querer olhar para as atitudes em que se sentiu fracassado, queira enxergar agora, pois, esconder suas falhas, fugir dos teus defeitos não faz com que eles deixem de existir. Pare de se criticar, acolha esses comportamentos perdoando a si mesmo e perceba que fizeram parte de você para um determinado contexto, mas agora você tem a chance de seguir com novas escolhas para seus novos contextos. Encaixe suas peças do quebra-cabeça simplesmente reconhecendo o que está sentindo, ao invés de ficar racionalizando. Se doer deixe doer, deixe sair, mas cure-se. Prepare-se para estar em paz de espírito e feliz consigo mesmo.

Assim, quando o amor que está dentro de você cruzar com outro amor, ao invés de precisar ser preenchido, vai transbordar!
_____________

Direitos autorais da imagem de capa: sasamihajlovic / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.