Pessoas inspiradoras

Ao invés de prender mãe que furtou mercado para alimentar o filho, policiais fazem compra de R$ 700 para ela

Os policiais receberam a denúncia de que uma mulher havia furtado alimentos de um supermercado da Carolina do Norte, mas encontraram apenas uma mãe em desespero.



O nosso mundo é regido por leis, algumas são universais, enquanto outras podem variar, dependendo da região. Cada país tem o seu conjunto de regras, que devem ser seguidas, e um conjunto de punições, caso existam infrações. Essas normas existem para estabelecer limites, isto é, até onde o outro pode ir e o que é permitido ou não, pensando no bem da coletividade.

Um indivíduo jamais pode ser preso sem que antes sua infração seja confirmada e, para isso, ele precisa passar por um julgamento justo, tendo direito de ser defendido por um advogado, mesmo que não tenha dinheiro para pagar por isso. O juiz ou a juíza vão analisar, com base nas evidências e nas provas apresentadas, se o réu é ou não culpado, e vai sentenciá-lo com base no código do seu país ou região.

Muitas vezes, embora uma pessoa tenha cometido um crime, é preciso tentar se distanciar por um momento da situação em si e tentar compreender o que motivou o delito. Na Carolina do Norte (EUA), dois policiais atenderam a um chamado denunciando furto em um supermercado. No local, encontraram uma mulher em desespero, que havia furtado para alimentar seu filho.


Sem alimento por três dias, a mulher foi ao estabelecimento e furtou mais de 100 reais em comida, para ela e para o filho pequeno. Os oficiais do Departamento de Polícia de Hillsborough, Keith Bradshaw e Candace Spragins, localizaram a suspeita em sua residência e ela devolveu todos os produtos que havia furtado.

Em uma publicação do departamento de polícia, os agentes afirmaram que aquele não havia sido um crime cometido por ganância, mas por necessidade, já que aquela mulher precisava alimentar o filho. Segundo reportagem da BBC, o tenente Andy Simmonds, que postou a história no Facebook, explicou que assim que os policiais entraram na casa da mulher, logo perceberam que a geladeira estava completamente vazia.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Hillsborough Police Department.

O tenente ainda leu o relatório da polícia sobre o caso e soube que a família havia ficado cerca de três dias sem se alimentar. Diante dessa situação, os dois agentes decidiram tomar uma providência, não podiam deixar aquela mulher e seu filho sem comer, era uma grande violação dos direitos humanos mais básicos.


Enquanto estava em frente ao magistrado, os policiais foram até o supermercado e fizeram uma compra de R$ 700, pagos com o dinheiro do próprio bolso. Eles queriam diminuir um pouco o sofrimento daquela família, mesmo que a atitude não resolvesse o problema do desemprego e da total negligência do estado.

A mãe foi levada para casa, pelos oficiais, junto com os mantimentos, onde ficou em segurança com sua família. Em entrevista à estação de rádio, ela disse que teve de sair e furtar comida porque estava completamente desesperada, mas que sente muito por fazer o que fez. A boa ação dos oficiais foi compartilhada nas redes, que esperam que gentileza e compaixão possam inspirar outras pessoas.

“Elas precisam de um lar, a raça não é relevante.” Casal adota 3 crianças e celebra família sem preconceito

Artigo Anterior

“Coisa de Deus.” Casal vê jovem humilde vendendo bolos de pote na porta de sua lanchonete e o contrata

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.