Notícias

Aos 9 anos, aluna da rede pública já é tricampeã paulista e campeã nacional de xadrez escolar

Design sem nome 79

Aos 9 anos, a estudante Elisa Feng, de Santos, no litoral de São Paulo, já é tricampeã campeã paulista e campeã nacional feminina de xadrez escolar.



De escola pública, a menina surpreendeu o professor pela concentração e talento que tem para o esporte. Sua inspiração veio da irmã mais velha, Sophia Feng, de 11 anos, que também já é destaque no xadrez.

Em entrevista ao g1, o professor Wlamir Pestana Ursini, de 55 anos, explicou que Elisa competiu com outras meninas de escolas públicas e também particulares.

O Campeonato Brasileiro de Xadrez Escolar 2021, reuniu estudantes do país inteiro em setembro. Os competidores são separados por série e por sexo.


A estudante foi vencedora no sub-9, que contempla sua idade. O campeonato é reconhecido pela Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e pela Federação Internacional de Xadrez (FIDE).

“Ela é muito boa, muito avançada. Foram três dias de campeonato, com seis rodadas no total, que duram cerca de 65 minutos cada uma. Agora, ela terá direito de disputar o Sul-Americano, mas será difícil ir sem patrocínio”, diz o professor.

Design sem nome 78

Direitos autorais: arquivo pessoal

Wlamir conta que faz parte da ONG Caminho do Sol, criada em 2002 para ajudar crianças carentes em vários esportes. Mas, somente o xadrez seguiu em frente, com aulas em uma garagem adaptada para o esporte. Segundo ele, a ONG já formou vários campeões paulistas e 11 campeões brasileiros.


“Como eu trabalho em escola pública e particular, eu vejo as crianças que me surpreendem em matemática e raciocínio lógico e as treino no xadrez. Aí, elas começam a participar de campeonatos santistas.

Os melhores vão para campeonatos paulistas, e, se vencem, vão para o campeonato brasileiro, que geralmente é em Minas Gerais. A Elisa é especial porque foi, das que treinamos, a primeira aluna de escola pública que ganhou o campeonato brasileiro”, explica ele.

Segundo Wlamir, Elisa começou a jogar xadrez com 7 anos porque via Sophia, a irmã mais velha dela, também praticar o esporte. “Sophia foi minha aluna mesmo na escola, eu dava aulas para classe dela. Após reconhecer seu talento, passei a treiná-la e ela chegou também a ser campeã paulista”, conta.

Elisa também já foi campeã paulista em 2019, 2020 e em 2021. Agora, ele tenta conseguir bolsa de esporte para a estudante, para que ela possa desenvolver cada vez mais seu talento.


“No campeonato brasileiro, além de minha ajuda, ela também teve a ajuda do Clube de Xadrez de Santos, que são enxadristas profissionais. Foi muito bacana vê-la ganhar, ela é muito boa em concentração, matemática, raciocínio lógico, tem um futuro brilhante pela frente”.

Design sem nome 76

Direitos autorais: arquivo pessoal

Orgulho para família

O tio de Elisa, o administrador Vitor Wu, de 33 anos, conta que tanto ela quanto a irmã são motivo de muito orgulho para a família, que tenta incentivá-las sempre. “Ficamos muito contentes. A Elisa se inspirou na Sophia, depois de vê-la jogando.


Uma incentiva a outra e ambas praticam juntas. No ano passado, a Elisa perdeu e ficou muito triste, e a incentivei dizendo que sempre temos a primeira derrota da vida. Ela não desistiu, sendo vencedora dessa vez”, diz.

Segundo o familiar, ambas precisam de patrocinadores para explorarem seus potenciais. “Sabemos que o ensino público é muito defasado e se tivesse um incentivo maior ao esporte, elas poderiam se tornar cada vez melhores”, afirma.

Design sem nome 77

Direitos autorais: arquivo pessoal


Passageira perguntou a um motorista como ele dirigia ônibus sendo gay

Artigo Anterior

Alec Baldwin apontava para a câmera quando a arma disparou e matou Halyna Hutchins, segundo depoimento

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.